by
on
under
tagged
Permalink

história #17: priscila

Oi, Zel!

Meu nome é Priscila, e eu sou uma leitora antiiiiga sua, desde a época do Delícias Cremosas. Não cheguei muito a comentar, é verdade, mas estive aqui, firme e forme, por alguns anos.

Acabei de ler o seu post de aniversário e chega me arrepiei na parte que você fala do início do blog, em 2000, seu retorno de saturno. Quanta coisa parecida com o que estou vivendo/vivi! Eu não tinha me dado conta de que meu retorno de saturno estava chegando! Quanta coisa eu vivi e como a vida foi conturbada nesse período.

Me divorcei pouco antes, com 27, fiz a minha primeira viagem internacional com 28 (que era um sonho de criança, realizado sem nenhuma expectativa de realização, entende? Nunca achei que conseguiria, assim como também achei que nunca casaria. Como a gente pensa bobagem, né não?) e com 29, um novo e surpreendente amor surgiu na minha vida: a música. Eu explico melhor isso em outro e-mail, pra não misturar as coisas (mas se você recebeu o e-mail “música música música” da Fal, já sabe do que eu estou falando).

Ainda estou metida em uma confusão mental enorme, mas ao contrário de você, eu fico mais pra reclusa quando me sinto assim. Foi muito bom ler que você passou desse período com ajuda da terapia e que vive uma nova fase, muito mais centrada e feliz. Eu estou começando a sentir o mundo voltando pro prumo, sabe? Mais vontade de cuidar de mim mesma, deixado de lado posicionamentos que não são exatamente meus, mais organizada, mais eu mesma. Me da um certo conforto ler uma história parecida com a minha e essa ser uma história de sucesso. O sucesso que você quer pra você.

Eu te desejo muita felicidade nesse momento-delícia da sua vida. Saúde, amor, disposição pra estar sempre de acordo com a verdadeira Zel.

Um beijão pra você, pro marido e pro piolho (sim, eu tb acompanho o Fabricando! =P),

Pri.

*******************************************************


pri, eu fico impressionada com a quantidade de pessoas que passa mais ou menos pelo mesmo processo que eu passei nessa fase da vida dos 28/30 anos. não é à toa que os 30 anos são tão marcantes, acho que é mesmo o momento na vida da maioria das pessoas em que as coisas começam a fazer sentido, quando os aspectos emocional/intelectual/afetivo se assentam, ou combinam, sei lá. claro que sempre tem os que não aprendem nada e continuam no mesmo esquemão de sempre, mas as pessoas sensíveis mudam, percebem que algo se encaixou ou está se encaixando.

você acompanhou (e percebeu) muito bem a minha mudança, e seu depoimento me deixa feliz por dois motivos: por que você se achou, encontrou seu caminho e está aí realizando seus sonhos, dando seus próprios passos; o outro motivo é que de alguma forma ter acompanhado a minha história e evolução ajudou você a reconhecer em você mesma a mudança. quisera eu ter tido alguma referência nessa época, pri… eu me senti muito perdida, e não tinha ninguém esclarecido por perto que pudesse me dizer que as coisas são assim mesmo, que ia melhorar ou me dar um conselho.

aliás, foi um momento tão tumultuado da minha vida que eu me cerquei de pessoas ainda mais perdidas que eu!

muito obrigada pela linda história de crescimento e auto-conhecimento, por compartilhar conosco um pouco da sua própria trajetória. fico feliz por você continuar aqui depois de tantas mudanças deste blog e de mim mesma 🙂

Deixe uma resposta