retomando a vida (quase) normal

ufa, que mês. juro, foi muita emoção… as histórias de 10 anos do blog me deixaram impressionada e emocionada. foi super-gostoso fazer o sorteio, o vídeo e vai ser uma delícia mandar os prêmios pras sortudas que ganharam!

neste meio tempo cheguei ao final da gravidez, agora só faltam 6 semanas. o menino chuta loucamente (ainda) e tenho mais 2 semanas somente de trabalho. resolvi não trabalhar nas 4 últimas semanas, pra descansar e dar tempo de descomprimir antes do parto. afinal, preciso de um descanso antes de trocar um stress pelo outro 🙂

estou me sentindo muito bem, fora o peso barrigal desproporcional. ganhei pouquíssimo peso até agora (3,5kg), então não posso reclamar disso, mas eu já estava bem acima do peso quando engravidei. então além do peso extra que já tinha, estou desbalanceada graças ao barrigão. mas não reclamo: pressão, glicemia e tudo o mais que é crítico está 100%. não tive sequer um resfriado, só a lombar me incomodou um pouco no início do sétimo mês, até acostumar com a barriga e o novo centro de gravidade.

acabei a série duna (os 6 livros) e entrei nas (poucas) leituras dirigidas sobre gravidez e bebês. digo poucas porque tenho somente 3 livros pra ler: the happiest baby on the block, pra entender um pouco mais sobre o desafio do primeiro trimestre do bebê, a larousse da gravidez que cobre o básico e um livro de shantala. e é só. tudo o que eu não quero é me tornar a louca da gravidez ou do bebê, quero me informar somente o mínimo necessário pra não ser completamente surpreendida nos próximos meses.

fiz 1 curso de parto na primaluz (1 manhã) que foi super-legal pra entender o processo do parto normal. achei sensacional, foi muito esclarecedor. e fico realmente espantada como a mulherada tem medo de parto normal e não tem medo de cesariana (que afinal é uma cirurgia, com todos os riscos que existem em qualquer cirurgia). o parto normal é tão simples e fisiológico, realmente não compreendo a resistência. se a questão é dor, qual é a diferença entre sentir dor de dilatação antes ou a dor de pontos de uma cirurgia (e já com o bebê pra cuidar, inclusive)? enfim, escolhas, como eu digo e insisto.

estou feito louca aqui no trabalho, fazendo a transição das minhas atividades todas para outras 3 ou 4 pessoas. cada uma vai pegar um pedaço pra cuidar nos próximos 6 meses. saio de licença dia 16/julho e só volto no início de fevereiro do ano que vem! vai ser a primeira vez desde 1992 que fico sem trabalhar sem estar de férias. não tenho idéia de como será, estou curiosa pra ver…

tenho uns 1000 posts na cabeça sobre vários assuntos, e preciso organizar a cachola. neste mês que passou, não escrevi nada que não fosse relacionado ao aniversário do blog, então os assuntos abundam por aqui 😀 aguardem mais notícias nos próximos dias, que tem muita elucubração aqui na minha cabeça.

2 comments to “retomando a vida (quase) normal”
2 comments to “retomando a vida (quase) normal”
  1. zel, adorei assistir o sorteio no video e ouvir sua voz suave e doce! muito bacana a comemoração de 10 anos do blog (parabéns!), lin-do o último post, o do marido!!!

    em breve, vc começa uma nova etapa, a maternidade, e acho que vc vai adorar e tirar de letra, pq acho vc sensata e equilibrada pra mudar alguma coisa durante o percurso, se isso for necessário (e como é, às vezes! rs).

    permita-me dar uma dica de leitura “básica”: “a arte de amamentar”, da karen pryor, ed. summus, que vc compra por R$ 5,00 na estante virtual. é um livro escrito na década de 60, acredite, mas, descontadas algumas besteiras típicas daquela época (do tipo “estoque feijão em lata pra vc descansar nos primeiros dias”!), a parte conceitual, a abordagem do mecanismo de descida do leite, o apoio (ou não) ao aleitamento e seus reflexos, tudo é muito bem explicado, numa linguagem muito clara e sensata! eu acho que vc ia gostar a aproveitar muito esse livro!

    bjs, boa semana!

    a.

Deixe uma resposta