só quero saber do que pode dar certo

(texto meu, mas adaptado do #FB)
 
há muitos anos decidi parar de assistir aos programas de TV aberta, e os meus motivadores foram simples: não gosto de ver/ouvir sobre desgraças, mortes, acidentes, crueldades; não gosto de programa de fofoca; não gosto de novela; não gosto de mensagens religiosas; não gosto de ver programas sobre política; não tenho paciência pra autoajuda barata e mensagens de “gotas de pinho” (nasci nos ’70, me entreguei!).
 
por muitos anos achei que a TV embotava a mente das pessoas, era vilã. as pessoas se alienam, tornam-se pessimistas e limitadas de tanto ver esse lixo, TV má! mas descobri, e confirmo dia a dia, que a realidade é bem outra. a programação da TV é simplesmente reflexo das pessoas na frente dela. todo o lixo que está ali, sendo apresentado todo dia, é nada menos que exatamente o que as pessoas procuram, e querem. (afinal, sempre houve a opção de DESLIGÁ-LA)
 
a minha TL no Facebook — que já é seleta, creiam — comprova essa teoria. é assustadora a quantidade de mensagens religiosas, políticas, fotos extremamente desagradáveis de ver (de gente e de bichos) e as constantes reclamações de todas as naturezas.
 
me espanta como as pessoas não percebem que estão sendo desagradáveis. ninguém gosta de ouvir reclamações, ser inundado por mensagens religiosas, de autoajuda e política, ver imagens asquerosas de animais e/ou humanos mutilados. tenham noção!
 
ofereço aqui algumas sugestões sobre comportamento no FB para os que me lêem. é grátis, adotem ou ignorem como preferirem.
não gosta do seu país, cidade, estado, bairro? MUDE-SE. se falta a você coragem ou competência de sair de um local que o incomoda, não encha o saco dos outros com isso. habitar um lugar que seja do seu agrado é responsabilidade só sua.
não gosta do seu emprego, do seu chefe, do seu “significant other”? MEXA-SE. ninguém é grudado com ninguém, pare de reclamar dos outros e faça algo por você.
quer defender a causa dos animais? tira a bunda da cadeira e faça alguma coisa na SUA VIDA, mas PARE de mandar mensagens para que os outros façam alguma coisa. pare de colocar fotos horrorosas de animais estropiados, simplesmente MUDE SEUS HÁBITOS. ninguém quer ser convencido por você a mudar, e mostrar fotos horrendas não faz ninguém mudar de ideia, só faz ficarem irritados com sua falta de noção
acha que as pessoas não devem beber e dirigir? NÃO BEBA OU NÃO DIRIJA, cuide da sua vida, não fique dando lição de moral nos outros. todo mundo sabe que não é legal beber e dirigir, tem milhões de mensagens por aí sobre isso. sua foto de um acidente nojento com cabeças decepadas não vai mudar ninguém.
acredita em deus, entidades, espíritos, florais de bach? QUE BOM PRA VOCÊ. uma mensagem ou outra a respeito tudo bem, mas a menos que você esteja querendo vender livros, palestras ou ganhar inimizades, não exagere. é chato ver mil mensagens sobre a mesma coisa.
é politizado, engajado com causas? MUITO BOM. quanto mais você fizer isso fora do teclado, melhor para o mundo. gaste menos tempo escrevendo repetidamente no FB sobre isso, e vá mudar algumas vidas de fato.
 
ou faça diferente: olhe bem o que você publica e pergunte-se — “se eu estivesse numa rodinha de amigos, numa festa, eu falaria essas coisas todas?”. sério — você descreveria em detalhes, e mostraria fotos no seu celular de animais destroçados? faria propaganda do seu candidato? ficaria pregando sobre como deus é bom, reencarnação, sei-cho-no-iê, etc.? gritaria CHUPAAAAAAAAAAA BAMBI! na orelha da sua prima? pense bem. por que as pessoas se permitem certos comportamentos desagradáveis nas redes sociais?
 
mas como não posso impedir ninguém de ser desagradável ou inconveniente, vou adotar para o Facebook a mesma regra que adoto para a TV: desligar certos canais.
 
nada pessoal. é que realmente não tenho tempo a perder.
12 comments to “só quero saber do que pode dar certo”
12 comments to “só quero saber do que pode dar certo”
    • letícia, indireta não me incomoda em nada, porque eu pessoalmente não visto carapuça. e se levar pro limite, muita coisa pode ser interpretada como indireta. por exemplo: esse seu recado é uma indireta pra que eu fale destes pontos do post diretamente pra alguém? 🙂

      além disso, acho que é direito das pessoas não querer dizer coisas diretamente, seja por medo, insegurança ou receio de magoar. eu acho que ser direto é bom em alguns casos e inútil em outros. tudo depende do problema, da pessoa, do grau de intimidade.

      ver mensagens que podem ser interpretadas como indiretas não me incomoda, não acho agressivo nem ofensivo, e nem chato. só um pouco inútil.

      beijo!

      • Você tem razão, e eu confesso que me passou pela cabeça depois que cliquei em “publicar” que meu comentário podia, em última instância, ser uma indireta para você 🙂 Eu acho, como você, inútil, e me incomoda na medida em que não acesso o facebook, o twitter etc. pra isso, e sim para 1) achar coisas interessantes para ver, para pensar 2) para rir. Continua me incomodando, mas você me fez pensar. Beijo!

  1. Acho melhor vc. sair do facebook…ou nunca leu a palavra compartilhar? Quanto os cachorros….triste pensar dessa forma…através do compartilhar inúmeros animais foram doados, ajudados etc…äs vezes ou quase sempre, só uma pessoa, ou melhor, a pessoa, levantar a bunda da cadeira – como vc. falou – não adianta. E toda forma de ajudar vale a pena, compartilhar vale a pena, acho que seu comentário foi um pouco grosseiro e infeliz.

  2. Seu blog nao leio mais…inclusive vc. devia desitir de te-lo tambem….não aceita criticas…se quer só elogios arrume outra forma de comunicação!!! Vc. que deve ser infeliz com seus comentários impertinentes e mal humorados.

    • Tania, demorou! Não conheço você e não faço questão de conhecer… Já vai tarde, tchau! Quem é infeliz, impertinente e mau humorada é você, se manque, eu escrevi um TEXTO. Quem comentou foi você, dã. E pare de me perseguir, get a life, filha.

  3. Adorei! Pelo o que eu li, você esta dizendo que é chato uma pessoa postar sempre a mesma coisa ou compartilhar coisas que você sabe que não vai mudar em nada, por exemplo: “Compartilhe se é contra aos mal tratos”, você compartilhando ou não, não vai mudar a sua vida, ou a de quem postou… enfim, gostei muito! E como você mesma disse “Adotem ou ignorem como preferirem.”

Deixe uma resposta