Home > elucubrações > perigos há por toda parte

perigos há por toda parte

Meu pai tornou-se diabético aos 50 anos. Curiosamente, pouco depois de perder a mãe.

Diabetes é doença, e mata. Requer medicação, em alguns casos (nos últimos meses ele precisou, mas já chego lá), mas muito mais que isso: requer mudança e dedicação.

Ao ser diagnosticado, ele foi orientado a cuidar de si mesmo com atenção: comer melhor, fazer exercício, não fumar, cuidar dos pés e das mãos, etc. etc. etc.

Ele ignorou tudo isso e tocou a vida. Até que teve um acidente, machucou o pé e quase perdeu o pé. Mas quase MESMO. Ele teve sorte, e passou semanas com dor, com medo, em médicos e hospitais e tomando uma tonelada de remédios.

A doença é real, não é frescura nem bobagem. Mas ela se agrava e o risco aumenta MUITO quando não há dedicação em mantê-la sob controle.

E sabe o que é bem parecido com essa doença? A depressão.  A pessoa não sabe que tem, até estar mal e (com sorte) ser diagnosticada e medicada. Algumas pessoas precisam tomar medicação pro resto da vida (como alguns diabéticos). Se não tomar, o risco aumenta.

E como a diabetes, requer cuidados de manutenção: comer bem, dormir bem. Exercitar-se. Terapia, se for possível. Meditação, que já se mostra super eficiente pra ansiedade e depressão. E muito, muito importante: cultivar ATIVAMENTE uma forma de enxergar o lado bom e bonito da vida e das pessoas. O mundo muda quando a gente muda, isso é real, não é papo de autoajuda. Uma amiga que fez terapia cognitivo comportamental me contou que a terapeuta deu pra ela a tarefa de anotar num caderno cada coisa (não importa quão pequena) de boa que tinha acontecido no dia. E ler antes de dormir. Ela ficou encantada com a mudança — ela aconteceu, claro.

Então você, amigo ou amiga que sabe que tem essa doença (qualquer uma das duas, aliás), não deixe chegar no ponto que meu pai chegou e que vejo tanta gente chegando também. CUIDE-SE. Admita que tem uma doença e cuide dela, cuide de você. Se você não cuidar, vai dar merda, é inevitável.

Há mil coisas que se pode fazer pra ter uma vida melhor. Se precisar se medicar pra melhorar, medique-se. Mas não deposite todas as suas fichas no remédio, há mais coisas que podem ajudar. Não perca essa oportunidade.

A vida é bonita, como disse pro meu pai. Não perca a oportunidade de ver seu neto adulto, eu disse pra ele.

E digo pra você também: cuide-se bem.

**

Faço um update aqui pra não parecer que sou insensível:

Qualquer um de nós, sabendo que meu pai é diabético, acharia ele no mínimo descuidado se o visse comendo macarrão em todas as refeições, fumando 3 maços por dia e comendo açúcar normalmente, certo?

É o que sinto quando vejo pessoas com depressão que abandonam medicação, são desorganizadas e reclamam de tudo sistematicamente.

A descoberta de uma doença precisa nos levar à mudança, ou só vamos piorar. Não adianta continuar vivendo como sempre (definição de loucura e tals, lembram?).

De novo: cuidem-se. Nossa vida é preciosa, e tem gente que ama vocês e quer vocês por aqui nessa vida maluca.

Categories: elucubrações
  1. No comments yet.
  1. No trackbacks yet.
You must be logged in to post a comment.