Archive

Archive for Março, 2018

representatividade importa!

Março 19, 2018 Leave a comment

Adoro fazer trabalho voluntário de forma geral, mas gosto mais ainda quando é pra ajudar outras mulheres a se desenvolverem na carreira. Sempre aceito pedidos de mentoria, palestra, coaching, bate-papo, apoio, treinamento, enfim. Quero ver a mulherada liderando, com confiança.

 

Hoje fui voluntária num painel sobre carreira, de mulheres mais (cof cof) experientes para mulheres líderes iniciando nessa carreira. Aprendo tanto com esses eventos que tenho a sensação que eu é que devia pagar pra estar lá, sabe? É sempre maravilhoso.

 

Mas nada poderia me preparar pra hoje.

 

Alê e eu respondemos muitas perguntas e dúvidas, todas ótimas. Falamos da importância de ser flexível, mas assertivas; falamos de liderar por influência e não por autoridade, e de não ter medo de errar. Ou melhor: ter medo sim, mas não deixar que isso nos impeça de arriscar. Permitir-se errar. Praticar a generosidade ao olhar para o outro, e trabalhar em conjunto aproveitando as diferentes qualidades dos colegas e equipe pra nos tornarmos líderes melhores.

 

Neste ambiente, e neste contexto, nem surgiu o tema representatividade de mulheres na tecnologia, porque afinal todas sabemos como é.

 

Aí no final, na última pergunta, essa moça (a Karla; só lembrei do nome dela depois de ver o crachá) pegou o microfone e contou essa história:

 

“Você não deve lembrar de mim, mas te conheci há 11 anos. Eu era estagiária, na equipe do Fulano e Beltrano, eles sempre foram muito legais e me ensinaram muito sobre TI, mas eu nunca senti que podia progredir nessa carreira. Eu achava que só serviria pra servir cafezinho.

 

Aí um dia você chegou, e deu uma palestra pra gente [era um treinamento sobre gerência de projetos, para TI e para o time de negócios] e eu pensei ‘nossa, EU POSSO SER COMO ELA! Eu também posso chegar a essa posição!’.

 

Eu saí de lá, não fui efetivada, mas sabia que era ali naquela posição que eu queria estar — de líder. Sendo mulher. Eu não ia servir cafezinho.”

 

Tou escrevendo aqui enquanto lembro, e chorando tudo de novo. Eu vi a Alê chorando ali também do meu lado, porque

 

PUTAQUEPARIU

 

é pra isso que a gente tá aqui, ok? Pra ajudar as outras. Pra mostrar que a gente pode ser o que a gente bem quiser. E arriscar, se expor, ABRIR esse espaço importa, e muito.

 

Amigas, queridas: se exponham. Abram espaço, ouçam essas mulheres que rodeiam vocês, sejam exemplo pra suas amigas, irmãs, filhas, primas, sobrinhas, vizinhas, ou uma estagiária.

 

O fato de EXISTIRMOS, e ocuparmos os espaços, faz diferença.

 

Não sei como agradecer à Karla por me contar essa história.

 

Perguntaram antes dessa história pra gente “como você quer ser lembrada? Qual o legado que você quer deixar?”

 

Eu quero ajudar outras pessoas a serem versões melhores delas mesmas. É isso que eu quero pra mim também: ser melhor, me orgulhar do meu caminho, encontrar formas de ser melhor e ajudar os outros.

 

Pelo menos hoje eu sei que consegui ajudar UMA moça. Não tem medida pro tamanho da minha alegria.

 

Obrigada, Karla, por persistir e acreditar em você mesma; obrigada Carine, pela oportunidade; obrigada Alê por não me deixar chorar sozinha.

 

😘❤👊🏻

Categories: feminismo, tecnologia

dia da mulher, 2018: um pedido

Março 9, 2018 Leave a comment

No dia da mulher, comecei o dia dando uma palestra para mulheres sobre como se comunicar mais objetivamente. Voluntariamente. Com amor.

 

Não porque é dia da mulher, mas também porque é. Adoro escrever sobre isso aqui, e no blog, e onde for, é preciso falar sobre igualdade de gênero, mas muito mais importante que falar é FAZER alguma coisa para que o mundo mude.

 

Nesse dia das mulheres — e de aniversário 🙂 — eu queria pedir que cada um de vocês pensasse como pode ajudar alguma mulher a ser mais forte, mais feliz, mais segura.

 

Faça alguma coisa por outra mulher.

 

Se for mais experiente, seja mentora de alguém no trabalho; se for menos experiente, envolva-se com outras mulheres. Não chame a colega de puta. Não duvide de mulheres quando elas denunciam abuso. Não duvide da capacidade de uma mulher porque ela é mulher. Pare de pensar que ser mãe define uma mulher, para o bem ou para o mal. Lembre que mulheres não estão aqui pra enfeitar o mundo nem pra agradar todo mundo.

 

Elogie uma mulher sem mencionar seus atributos físicos. Pratique isso.

 

Pare de julgar tanto outras mulheres. Isso vale pra você também, amiga.

 

Se você for homem, leia tudo e pratique. Mas faça mais — não seja omisso quando houver mulheres sendo oprimidas ao seu redor. Aliás, abra os olhos e veja; ao ver, aja. Confronte seus amigos machistas.

 

Não se cale.

 

Nosso silêncio, nossa paralisia, são fatais. Pro mundo mudar, a gente tem que colocar a mão na massa, empurrar a roda, puxar mesmo.

 

Tou aqui firme no arado, meninas. Pra mim, e pra vocês também.

 

Que o dia da mulher sirva pra lembrarmos que estamos vivas, fortes e chutando.

 

❤👊🏻

Categories: feminismo

dia da mulher. mas?

Março 9, 2018 Leave a comment

Uma moça aqui do meu lado comentando que recebeu no whats um comentário de feliz dia da mulher pra quem “nasceu mulher”, porque as demais… só em 1o de abril.

 

As 3 mulheres que ouviram, silenciaram, eu inclusa.

 

“Que sem graça.”

 

Uma das coisas mais perigosas para nós, mulheres, é essa visão de que mulher é uma buceta. Um buraco. Que uma parte do nosso corpo é determinante, fundamental, IMPORTANTE.

Não é à toa que mulheres mais velhas entram em outra categoria, são invisíveis. Não podem procriar mais, não servem mais pra ser

OBJETO

de desejo para os homens.

 

Desencana da minha buceta, do meu peito, olha no meu olho.

 

Sou uma pessoa. Mereço respeito independente de como você me categoriza.

 

Também merecem respeito as travestis, transsexuais, transgêneros, quem quer que se identifique como mulher.

 

Olha no olho, respeita a gente.

 

Não somos nossos órgãos sexuais.

 

❤👊🏻

Categories: feminismo