Na prática

Mulheres da minha vida, por favor, vamos combinar uma coisa, pra não brigarmos (porque vamos, se a conversa for nessa linha):

Não duvidemos de mulheres que denunciam estupro e violência. Nunca. Porque embora existam mulheres que mentem, até porque são humanas, elas são realmente minoria. A probabilidade de ser verdade é muito maior que a probabilidade de ser mentira. Não porque são seres humanos melhores, mas porque têm muito mais a perder quando mentem.

Aliás, já perdemos muito quando dizemos a verdade também, que é exatamente o motivo de tantos casos não serem reportados. Falando a verdade e com evidências ou testemunhas, ainda somos colocadas como loucas, aproveitadoras, vagabundas, que merecem a violência que receberam. Mesmo que o violentador seja condenado pela justiça, nós também somos — pela sociedade. O caso do goleiro Bruno tá aí pra não deixar esquecer. Ele cumpriu a pena por ter matado, esquartejado e dado os pedaços da moça pros cachorros comerem, saiu da prisão com fãs e emprego. Ela? É a vagabunda Maria Chuteira que virou literalmente cocô de cachorro.

Você pode achar que é injusto condenar um homem publicamente antes do julgamento, e não tenho como discordar. É pra isso que existe justiça (embora falha). Só que quando o caso fica público, as pessoas podem ter opinião, e a tal opinião pública pode afetar julgamentos, e vidas. Em casos públicos é inevitável o comentário e a opinião com base no EU ACHO QUE.

E se for com base no EU ACHO QUE, convido você, mulher, a achar que a outra mulher está dizendo a verdade quando disser que foi agredida. Simplesmente por que é mais provável que ela esteja falando a verdade. Você não é membro de júri e não vai decidir o caso, estou falando de MUDAR A HISTÓRIA E A SOCIEDADE, passando a acreditar nas mulheres pela primeira vez. Estou falando de dar às mulheres o benefício da dúvida, que todo mundo dá pra qualquer homem que é acusado, o tempo todo. Esse é o padrão.

Inclusive convido você a se perguntar porque diabos você desconfia das mulheres. O que será que te leva a achar que uma mulher mente sobre isso, já que é exposta numa vitrine pelada e descabelada quando denuncia? Ela e sua família viram alvos, pra sempre. Enquanto isso, os Brunos da vida retomam a vida sem grandes problemas.

Mas se depois disso tudo dito você ainda achar que alguma mulher é ou pode ser uma mentirosa aproveitadora quando denunciar, eu a convido a guardar sua opinião pra você. Porque quando uma mulher duvida da outra publicamente, entrega um caminhão cheinho de munição pra essa sociedade machista e escrota que nos ensina que mulheres são mentirosas, ardilosas, aproveitadoras, gananciosas e querem destruir a vida dos homens e das “concorrentes”. Posso até ouvir os pensamentos do homem-padrão: “Se nem outra mulher acredita nela, EU vou acreditar?”

Ou seja: a menos que você tenha visto com seus próprios olhos e possa afirmar que uma mulher está mentindo, dê o benefício da dúvida. Ou fique quieta, e não atrapalhe a desconstrução dessa história machista de nos colocar como mentirosas.

Deixe uma resposta