Renata Crispim

Hoje é dia da Renata e eu jurava que já tinha feito um #retratofalado dela, mas deve ter sido na minha cabeça 🙂

Ela é difícil de ler, a Renata. Ela passa uma força, uma solidez tão grande nos seus textos sempre muito bem elaborados, que eu pensava que ela era daquelas pessoas “densas”, sabe? Complicadas.

Mas ela é doce, leve e simples como uma caminhada num parque bem verde. Ela sorri com o rosto todo, e mexe as mãos quando fala, super expressiva e tranquila. Por dentro nem tanto, claro, ela pensa rápido e fala também, mas passa pra gente uma sensação de paz, de calor e carinho. É muito gostoso estar perto dela.

Não sei como ela faz isso, mas ela discorda de você com amor, embora sempre firme. E concorda também com ressalvas, coisa que amo muito. A gente aprende demais convivendo com ela, e sou muito grata por ela estar na minha vida.

Querida, você é uma luz de racionalidade e respeito nesses tempos obscuros. Você é um abraço  de amor quando a gente está precisando.

Te adoro, seja sempre muito lúcida <3

Deixe uma resposta