Perdoa, Santa Cecília!

Quando eu era criança, amava a Elis Regina. Falso Brilhante era (ainda é) um dos meus álbuns favoritos. Fui criada ouvindo uma mistura de MPB, Pop e Rock; jazz eu só ouvi depois de ir pra faculdade, assim como música erudita (minha formação musical clássica veio da Hanna Barbera :D)

Só que eu conheci a Elis versão mais pop, menos samba e jazz. E ao começar a aprender mais sobre jazz e canto (comecei a estudar canto aos 18, embora já estudasse violão desde os 10), comecei achar a Elis chata e “over”. Muita cara, boca, grito. Achava cafona.

(Me perdoa, Santa Cecília!)

Um grande amigo, cantor, conhecedor de música (vou marcar nos comentários) não se conformava quando eu reclamava da Elis. “Zel, pelamor, não é possível, você não conhece direito o repertório dela, só pode!”.

E eu, com toda a certeza burra da juventude (inevitável, gente. Só relaxa e espera a maturidade chegar) dizia “nhé” e não dava bola. Mesmo ouvindo aquele álbum espetacular de 1974 (mesmo ano dessa música do vídeo) eu não me convenci.

O tempo passou, eu continuei estudando canto, e ouvindo jazz, e a opinião não mudou. Sempre achei Elis menor que Billie, Ella, Nina.

(Nina é maior que todas pelo absurdo de completa que é, mas vamos focar no canto)

Não sei quando foi que percebi a grandiosidade de Elis, mas foi recente. Apaga aquelas papagaiadas todas que ela fazia, sei lá, era da época. Datado, perdoável.

A precisão dela, articulação perfeita, afinação impossível. E a interpretação que vem não sei de onde, do útero, parece que ela manipula a música pra tirar dali algo impensável. E as coisas mais loucas e mágicas saem dessas interpretações mirabolantes, a gente se sente numa montanha russa enquanto ouve.

O que mais ela vai fazer?

Aí você assiste esse vídeo, por exemplo, e se choca com o domínio absoluto. De onde vem, se vem de estudo ou nasceu ali, não sei. Mas é fascinante e lindo.

Desculpe demorar tanto pra te entender, Elis, e apreciar sua genialidade. Que você esteja bem confortável numa jam session junto das demais divas da música, no paraíso de quem criou tanta coisa linda nesse mundo.

Deixe uma resposta