Adultices

Sabe que tanto Fernando quanto eu já sentíamos uma agonia desde que o Otto nasceu a respeito de ser adulto —- quando nasce seu filho, nasce também a mãe / pai dentro da gente. E esses papéis, por definição, são de adultos.

É apavorante alguém depender de você (pelo menos pra nós). A gente teve a sorte de contar com a querida Maria que cuidou do Otto e de nós nessa fase tão difícil de aprender a ser pai e mãe.

Fosse ela ou a sempre presente Mami Vera, de alguma forma sempre estivemos cuidados por adultas MUITO responsáveis, experientes, que sabem tudo de tudo. É muito reconfortante.

Aí chegamos aqui, e os adultos somos nós mesmos 😭 Limpar, organizar, cuidar, decidir, resolver, e sem ninguém pra cuidar de nós além um do outro.

(Mas tem a Claire, que é uma pessoa maravilhosa e nos ajudou TANTO a descobrir onde ir e o que fazer)

Não posso dizer que é assim GOSTOSO ser um adulto responsável, mas dá uma sensação bem boa de independência.

E jamais conseguirei explicar a sensação de EU CONSIGO quando encho o tanque do meu carro sozinha, eu mesma, e nem esqueço a tampa do combustível aberta (aconteceu com uma amiga, ouvi falar. Mais de uma vez.)

Deixe uma resposta