Sagrado feminino? Prefiro um PHD

Me incomoda esse negócio de “sagrado feminino” porque pras mulheres que não encontram isso em si mesmas fica parecendo que é mulher que veio com defeito. Eu tenho um pouco de dificuldade de entender o que é o “feminino”. Depois de muito ler e pensar e observar ao longo dos anos me parece que sim, há algumas “features” que vêm embutidas na maioria das mulheres, e outras “features” que absorvemos socialmente por osmose. Mas não consigo conectar isso com algo que não seja simplesmente humano.

Tenho estudado tarô, de forma não mística, mais na linha dos arquétipos, e me parece tão evidente que um rei não é um homem e sim elementos atribuídos ao masculino socialmente, assim como a rainha não é uma mulher… então o tal “sagrado feminino” seria talvez o conjunto arquetípico do que consideramos feminino? E os homens que têm atributos / características fortemente femininas, de alguma forma têm acesso ao sagrado feminino, ou é um clube de cis-fêmeas?

As perguntas são sérias, apesar de retóricas. Zero ironia, eu não sei mesmo, é um assunto sobre o qual não conclui nada até o momento.

Só não enxerguei a princípio a misoginia, fui ler comentários de outras mulheres pra ver se fazia sentido.

**

Ok, li muitos comentários do post e tenho mais a dizer.

Como mulher ateia e fã de ciência, não me identifico com nada do tal “sagrado feminino”, e quanto mais eu leio outras mulheres falando a respeito aqui mais entendo o que o Alex quis dizer com ser misógino, porque esses conceitos AFASTAM as mulheres das ciências e do saber científico, reforçando o estereótipo de que ciência não é coisa de mulher, e que mulheres são “instintivas” e “sensitivas” e “empáticas”. Nos coloca numa categoria de menor valor intelectual no mundo atual.

“Ah mas o capitalismo e o patriarcado é que desvalorizam a natureza e o instinto e tudo que é feminino…” — não discordo, mas tá mais que na hora de parar de nos colocarmos DE NOVO numa caixa. Não faz sentido algum pra mim em pleno século XXI retomar práticas religiosas / “mágicas” associadas às mulheres. O mundo mudou, a ciência evoluiu, a sociedade também, e as mulheres também.

Não é porque nascemos com uma vagina que temos conexão com nada sagrado. Não é porque alguém nasceu com um pênis que tem “instinto de caçador”.

Religião é puro controle. A diferença do tal sagrado feminino é que quem está no controle são mulheres. A baboseira não científica é igual, e só serve pra gente se iludir com uma falsa sensação de estar no controle.

Eu quero é muita mulher CEO, presidenta, cientista, prêmio Nobel. Se elas vão dançar peladas na floresta é totalmente irrelevante. No mundo em que vivemos, poder não tem nada a ver com encontrar sua deusa interior.

**

Tem mais: nos primórdios da história da humanidade, as mulheres ERAM cientistas. As que detinham o saber das ervas, das comidas, dos ingredientes, do fogo, do tecer e tear. Fomos massacradas e perdemos esse poder, conforme a civilização foi se construindo, e os homens tomaram o poder de nós e nos subjugaram.

Hoje, no século XXI, não faz sentido retomar aquilo que nos dava poder há milhares de anos; temos que retomar nosso poder dentro DESSA realidade.

Ciências, política, tecnologia.

O resto é de cunho pessoal, no campo da fé, e em nada ajuda a tornar o mundo mais igual.

**

Lendo lá os comentários do post do Alex que acabei de compartilhar, tou impressionada com:

  • O quanto as pessoas não conseguem ter uma discussão filosófica sem se colocarem como protagonistas e usarem sua informação anedótica como verdade. “Na MINHA religião não é assim”, “no MEU grupo de amigas não é assado”
  • A agressividade de quem (diz que) busca paz, alegria e conhecimento em religiões. É uma gente furiosa né?
  • A facilidade com que as mulheres ligadas a movimentos feministas caem na armadilha de recorrer às práticas antigas e antiquadas ao invés de se conectarem com a ciência, a matemática, a tecnologia. Os homens se apropriaram das ciências e as mulheres ao invés de usarem o feminismo pra INVADIR essas áreas e tomarem as rédeas da sua participação na história do mundo, voltam pra era da pedra lascada e vão dançar peladas na floresta enquanto os homens dominam os meios de produção.

ACORDA MULHERADA, século XXI dominado pelo capitalismo! Escolham bem suas armas, colegas. Chá de camomila não vai derrubar o patriarcado, não.

Deixe uma resposta