Escolhas, pero no mucho

Morta, depois de complicações decorrentes de uma lipoaspiração.

“Ain mas também quem mandou?!”

O patriarcado mandou, não se enganem. Não é culpa nossa por nos sentirmos impelidas a fazer sacrifícios, cirurgias, dietas, usar maquiagem, etc etc etc.

“Ain mas é escolha”

Só é escolha se as alternativas são viáveis dentro da subjetividade de cada mulher. É viável pra uma mulher negra escolher usar um afro? É viável pra uma secretária ser gorda, ou não usar maquiagem?

Não é que é impossível escolher ir contra o padrão, mas não é “só” escolher. Tem consequências, e algumas delas podem ter impactos financeiros.

Deixe uma resposta