O pó da rabiola feminista

Eu adoro ela, gente. Mesmo. Talentosa, engraçada, inteligente. Aí eu vi essa piada e não consegui achar graça nenhuma, porque

(meodeos quando isso vai mudar?)

não consigo achar mais graça de uma mulher dizendo que estar quebrada e sem grana não é problema porque ela é GOSTOSA.

Gostosa é um dos adjetivos que acho mais asquerosos pra se referir a mulheres. Eu sei, eu sei, eu também achava legal em algum momento. Quando eu era pré-adolescente e ainda me importava pouco com homens, odiava. Me sentia ofendida. Aí cresci, passei a me sentir atraída por homens e comecei a achar ótimo; me sentia poderosa e reconhecida. Eu não era bonita mas ainda podia ser gostosa né?

OBRIGADA PATRIARCADO! 👍🏻

Depois de amadurecer, quando passei a me importar ZERO com a opinião de homens, voltou o incômodo. Esse elogio não tem nada a ver com beleza. Tem a ver só e exclusivamente com o quanto um homem nos considera aceitável para fazer sexo e nos consumir (comer, essa expressão tão interessante). Tá ali empatado com o adjetivo “Raimunda”, que é sinônimo, só que aplicável pra mulheres que os homens acham feias.

Não sou puritana, acho legal linguagem adulta entre adultos. TESUDA por exemplo já gosto mais, porque pode ser tanto como eu me sinto ou o que provoco. Inclusive você pode ser mega tesuda e não ser gostosa dentro do modelo do patriarcado.

Enfim, só vim aqui desabafar, porque sou uma feminista cansada e tem horas que eu gostaria de não pensar tudo que eu penso.

Deixe uma resposta