os pequenos dramas da (quase) maternidade

nem pari ainda e já tem coisas que me preocupam em relação ao bebê. vacinar ou não, forma de tratamento médico (alopatia, homeopatia), alimentação, educação e outras coisas.

tenho amigas (como a dani e a denize) que são contra vacinação e não vacinam seus filhos; tenhos outras amigas e amigos (e família) que vacinam. não conheço histórias problemáticas em nenhum dos dois grupos, portanto não posso afirmar o que é melhor. pelo meu conhecimento do que é e como funcionam as vacinas contra viroses básicas, não vejo motivo pra não vacinar. mas estou disposta pensar no assunto.

assim como estou disposta a pensar em métodos de educação, tratamento médico e outras coisas. o essencial pra mim (e acredito que pro fer também) é que as decisões sejam baseadas em fatos comprovados e isentos, e não em impressão ou opinião enviesada. não tenho nada contra crenças, elas têm seu valor, mas – para o bem ou para o mal 🙂 – tanto eu quanto o fer somos ateus e céticos. precisamos de justificativa científica pra crer.

pessoalmente fico confortável com homeopatia, porque tive experiências positivas (muito embora não entenda ainda a explicação científica), mas não sei se submeteria meu filho a algo que não entendo mas que funcionou especificamente pra mim.

tenho bastante resistência a aplicação de restrições alimentares, por exemplo. é preciso me explicar com muito detalhe porque grávidas não devem comer alimentos crus, por exemplo. não sou supersticiosa e não dou crédito pra “cultura popular”. ou tem explicação, ou eu ignoro. vale o mesmo para crianças: não pode comer (sei lá, tou chutando) carne de porco até os 3 anos (ou chocolate). por quê? quais são os riscos? há alguma comprovação?

sinceramente não me importo de explorar novas possibilidades, eu inclusive gosto de mudar de idéia e abraço novas propostas com prazer. mas precisa me convencer. como eu não tenho crença, ideologia e nem religião definida, estou aberta a novas possibilidades… desde que muito bem fundamentadas 🙂

já vi que nos próximos anos vou ter que rever muitos conceitos…

One thought on “os pequenos dramas da (quase) maternidade

Leave a Reply