o fim da banguela

tou triste, confesso. o menino tá com dentinho desde a semana passada (5 meses e meio), e tou sofrendo já com saudade do banguelão. fala a verdade, não tem coisa mais fofa que sorrisão banguela! é tão limpinho, inocente, fofo… os dentes me lembram que mordemos, trituramos, rasgamos, somos bichos onívoros. a banguelinha é tudo de mais doce e inocente, ah, meu deus.

meu menino começou a crescer.

e tá um pitbull, que conste. morde até pensamento. inclusive minha bochecha, queixo, nariz, dedos e joelho. e o que mais vier pela frente, é claro. parece o godzilla neném, com direito a grunhidos: GRAAAA, GRRRR, ARRRRRGGG, etc.

coincidência ou não, a alimentação sólida dele começou quase junto com o primeiro dentinho. alimentação que ele aceitou muito bem, diga-se. apesar da cara de nojo (provavelmente por causa da consistência das papinhas), ele abre a boquinha e come, com gosto. cospe, tem dificuldade de engolir, mas já ensaia mastigar e demonstra prazer com algumas coisas (como pera, por exemplo, minha fruta predileta. orgulho da mamãe :D). e engordou, só nessas 2 semanas de papinha de legumes, impressionante.

por mais que as radicais de plantão defendam o aleitamento exclusivo até o sexto mês, acho que acertamos em iniciar no quinto mês, ele continua mamando e está comendo muito bem, o que pra mim significa que ele estava pronto. não precisamos forçar nada.

e o mais fofo: meu onivorinho está querendo pegar a NOSSA comida. não pode ver ninguém comendo que estende as mãozinhas 🙂 coisa fofa.

a quem interessar possa, como fizemos a iniciação aos alimentos:

semanas 1 e 2

– por volta de 9h da manhã, suco de 1/2 laranja lima coado (descascamos a laranja antes de espremer, pois ela é muito ácida), dado na chuquinha (mas pode ser no copinho também)

– por volta de 15h, 1/2 fruta amassada e peneirada (algumas você pode cozinhar pra ajudar na consistência, eu cozinhei a maçã e pera, e vou cozinhar a banana na próxima vez, ele pareceu gostar mais da consistência)

dica: dê a mesma fruta por 1 semana, para o bebê acostumar com o sabor e consistência. como é tudo novo pra ele, e novidades são sempre difíceis de assimilar, eles precisam de um tempo pra “fixar” aquele gosto e consistência. alguns lugares falam de tentar 3 dias, eu preferi seguir a dica do meu pediatra (1 semana)

semanas 3 e 4

– mantenha o suco e a fruta

– por volta de 11h, adicione a papinha de legumes (batida e peneirada), de 4 a 5 colheres de sopa. fazemos a papinha com mandioquinha, batata (ou nhame, ou cará, ou mandioca), cenoura (ou abóbora, ou beterraba) e chuchu (ou abobrinha). não adicionamos sal e nenhum tempero, só um fiozinho de azeite.

dica: a função intestinal se modifica completamente com a adição de frutas e papinha de legumes. o otto passou a fazer cocô 1 vez por dia somente, consistência pastosa tipo homus 😀 (antes fazia de 4 em 4 horas, e bem líquido). começamos a achar a consistência muito pastosa, e nossa super-babá adicionou 1 quiabo batido (e peneirado) na papinha. o cocô melhorou bastante, soltou um pouco o intestino dele, facilitando o processo.

na próxima semana adicionaremos carne à papinha de legumes, já que ele aceitou bem todas as adições. a recomendação do pediatra é carne magra (vaca ou frango), cozida e batida no liquidificador. não adianta só o caldinho, ele precisa comer a proteína mesmo pra começar a ingerir mais ferro e ver como se comporta para digerir carnes. em breve conto mais como foi essa transição.

o que já sabemos é que o cocô vai ficar ainda mais asquerosinho, mal podemos esperar… #not

a propósito, nunca achei o cocô dele sem cheiro, como algumas mães dizem. cheguei a perguntar sobre isso pro pediatra, e segundo ele essa história de “cocô de bebê não tem cheiro” é coisa de mãe alterada 😀 tem cheiro sim, e não é agradável não senhores.

8 thoughts on “o fim da banguela

  1. Que legal esse relato, muito útil 🙂 eu conheço cocô de aleitamento materno exclusivo e fede, sim, mas fede iogurte ou algo do gênero, tem dias inclusive que foi mais esverdeado, culpa de gases, tudo explicadinho pela comunidade científica 🙂

    E o cocô muda, vira aos poucos um cocô “adulto” mas sempre vi pastoso. Olha, ainda bem que o tema do post é mesmo cocô senão eu acharia que estou falando demais no assunto. O Otto está de parabéns 🙂

  2. Zel, me enxergo em praticamente tudo o que vc escreve, pois o Luca nasceu 2 dias depois do Otto. Você é “eu-depois-de-amanhã”. Também amamentei exclusivamente até 5 meses e meio, e começamos a introduzir as papinhas na semana passada, pois volto a trabalhar em março, ele começou a adaptação na escolinha, e eu fiz questão de acompanhar o início do processo. Tanto que ordenho meu leite e mando pra escolinha, pra ele tomar em vez da papinha de frutas, e essa eu mesma dou à tarde. Na escolinha, dão a papinha só de legumes no almoço (amanhã começa o arroz, na semana que vem o feijão…).

    Ai, eu não sou mãe-odara, tá (tô rindo moooito com esse assunto e concordo com tudo!), mas não acho ruim o cheiro do cocô dele…!rs Só que tive que parar de comer Activia (pra mim era o mesmo cheiro).

    Bjs e sucesso pra vcs!

  3. danielle, HAHAHAHA! você deve ser das mães hormonais, que ama até o cocô do bebê 🙂 o cocô do otto é fedido mesmo, sério. eu como muita proteína, pode ser por isso. sua alimentação, como é? (curiosidade)

    aliás, outra curiosidade: como está o cocô do luca?

    ser mãe é: falar do cocô do filho. aiai.

  4. Zel, como de tudo, inclusive as coisas que a pediatra disse pra evitar, como carne de porco, café, chocolate, pimenta… (e ele nunca teve cólica, que eu tenha percebido). Mas acho que não tenho comido muuuita carne. Tenho tido muita vontade de carboidratos (antes minha dieta era bem low-carb), e a base da minha dieta tem sido laticínios (todos), granola, aveia, linhaça, pão integral, sucos, frutas e barrinhas de cereais. Ovo no café da manhã, carne e legumes no almoço…

    O cocô do Luca, como o do Otto, mudou radicalmente no dia seguinte à primeira papinha (que foi de ameixa). Antes era amarelo-mostarda-escuro, quase líquido, e passou a ser uma pasta (consistência de papinha! menos a água que foi absorvida), cuja cor depende do que ele comeu.

    Uma curiosidade minha agora: por que o pediatra do Otto mandou bater e peneirar as papinhas? Tanto a pediatra do Luca quanto a nutricionista da escolinha recomendam apenas esmagar com o garfo as frutas/legumes. Na escolinha, ele come berinjela com casca, abobrinha com as sementes… em casa já dei até manga, com aquele monte de fiapos, morrendo de medo que ele fosse engasgar, mas nada. Engoliu tudo direitinho (orgulho da mamãe!).

    A curiosidade é se o que o Otto come sai “como entrou”, pois é o que me parece no caso do Luca, então não sei se ele está absorvendo bem os nutrientes, ou se isso muda com o tempo… Ou seja, será que a questão de bater as papinhas é pra não engasgar, pra não estranhar ou pra absorver melhor?

    (comment mais longo ever!)

  5. dani, o bater e peneirar é só pra ele não estranhar a consistência no começo, isso mesmo. porque eles precisam aprender a engolir, né? a primeira semana ele estranhou muito a consistência, agora ele come e engole numa boa. tou mais tranquila de começar a dar coisas mais pedaçudas (ele inclusive tá pegando fruta pra comer direto na fruta, viu? já chupa/morde, coisa mais fofa!)

Leave a Reply