diário do otto: 12 meses! \o/

 otto,

ogrinho em desenvolvimento 🙂

você não sabe a alegria que tem sido ver você crescer, desde aquele primeiro dia aqui em casa, com sua cara de carcamaninho, até agora, um bebezão crescido e cheio de vontades! parabéns, meu amor. sei que você não vai se lembrar dessa época da sua vida, e é exatamente por isso que comecei a registrar tudo no blog (e nas tantas fotos…). tenho certeza que um dia você terá curiosidade de saber como foram esses seus primeiros anos, então estou capturando o máximo possível!

foi gostoso juntar essas 12 fotos aí. você nasceu com essa cara de mau humor da primeira foto, o próprio disapproving rabbit 🙂 suponho que todos os recém-nascidos se ressintam um pouco da experiência de sair do conforto pra esse mundo barulhento e estranho. mas sua chegada foi bem difícil, então entendo sua indisposição. nos 2 próximos meses seu cabelinho caiu todo, ficou uma coisa bem falhada, parecendo (desculpa a franqueza da mamãe, tá? :D) o sméagol! mas a gente sempre achou você lindo, viu? e depois você foi ficando cada vez mais lindo, e não digo isso porque sou sua mãe corujona, a lindeza é confirmada por todos 🙂

aqui no flickr e no blog estão todas as suas fotos, e o diário mês a mês. adorei escrever sobre você e capturar sua carinha. foi bom também pra aliviar minhas angústias e o cansaço, porque você não é fácil, meu filho. você é DUREZA… mas vou aprendendo, e as dificuldades vão diminuindo com o tempo.

esse mês muitas coisas novas aconteceram:

– você aprendeu a sentar e ficar de pé no berço/chiqueirinho, sozinho! até esse mês você não conseguia se levantar nem sentar sozinho. segundo seu pediatra, a musculatura que permite sentar e levantar (pra ensaiar passos) é exatamente a mesma, e precisa estar fortalecida pra que você consiga partir pro próximo passo, que é andar. foi aqui que seus primeiros passos começaram, bebê!

– você também ficou doentinho, com febre muito alta, sem apetite (primeira vez!) e todo manhoso. sua febre começou leve na sexta e piorou no fim de semana. na segunda, levamos você ao pediatra e o diagnóstico foi ruim: otite, amidalite e conjuntivite. a suspeita é que sua otite tenha sido virótica (culpa do papai, que ficou doente), desencadeando a conjuntivite e facilitando a amidalite. como você não tinha coriza de nenhum tipo, nem desconfiamos de otite, embora o fato de você não querer ficar deitado de jeito nenhum pudesse ter sido uma dica 🙁 você dormiu 4 noites somente no colo (seu pai e eu quase morremos de dor nos braços), e até por isso decidimos dar antibióticos pra você pela primeira vez. sua reação foi muito rápida (melhorou muito e logo), mas você é igual a mamãe e teve alergia ao remédio. trocamos, e logo você teve alergia de novo, felizmente já havia chegado ao fim o prazo do remédio. nós preferimos não medicar nunca, mas em caso de muito desconforto, priorizamos seu sono e seu bem-estar.

– e no meio da doença, derrubadinho e tudo, você simplesmente levantou e andou sozinho! deu 2 passinhos por contra própria, no seu quarto enquanto a maria separava suas roupas pro banho. foi um susto danado, mas uma alegria. o mais curioso é que você dá seus passinhos, mas arrisca muito pouco. você é cauteloso desde sempre, e não só com a história dos passos, mas também com a comida. você agora investiga tudo o que come, com todo cuidado antes de colocar na boca. chega ao ponto de fazer a gente experimentar a comida antes de você comer! ou seja: nunca será envenenado 😀

– você cada vez mais imita tudo o que a gente faz, e a nova do mês é que você dá bronca na nai 🙂 você imita as mãos, com o dedinho em riste (tipo: pra fora JÁ!), dando bronca e “falando” seus ahs-ohs. é muito fofo. e agora você se mete nas nossas conversas, “falando”, gesticulando e querendo chamar a atenção. ah, e você aprendeu a virar a cabecinha de lado pra chamar nossa atenção, como quem diz: presta atenção em mim! fofo demais.

– sua avó maria lúcia ensinou e você amou apontar o dedinho pra mão e fazer a brincadeira de “cadê o toucinho que estava aqui?”. faz toda hora, e aponta pra mão da gente. aliás, você agora aprende tudo que é brincadeira super-rápido e imita tudo, nosso macaquinho!

– nada de falar ainda, nenhuma palavra realmente reconhecível. só fala DADA, BABA, TITI. parece que você fala MA-MA-MA associado a mim, mas ainda tenho dúvidas…

– você finalmente aprendeu a engatinhar em 4 apoios! bastou aprender a dar os passinhos e o engatinhar aconteceu. você ainda alterna minhocação com engatinhar, mas tem preferido usar os joelhos. é INSUPORTÁVEL ver você engatinhando com as pernocas gordas e a bundinha pra cima. amo!

– além de ensaiar andar sozinho (embora peça ajuda constantemente pra andar, e agarre bem na nossa mão), você fica de pé com facilidade, apoiando onde der, e gosta de se abaixar pra pegar as coisas. mil vezes. joga-abaixa-e-pega. as costas da mamãe não agradecem.

– agora está mais fácil fazer você dormir, quase nunca precisamos usar a bola. você dorme no meu colo, com pouco ninar, no escurinho. e à noite tem sido um pouco mais fácil, com menos interrupções, mas ainda acorda 2 a 3 vezes depois que dorme (por volta de 19h). e tem vindo dormir na cama com a gente lá pelas 5 da manhã (e eu adoro :))

– tem comido de tudo, mas ainda não damos a nossa comida pra você (não usamos sal, açúcar, cebola e alho ainda). aos poucos vamos adaptando… você não gosta de beber água, e nem suco. seu negócio é fruta, mas especialmente quando está calor. o que você gosta mesmo é comida, pratão e tal. e de novo, você provou queijo, e amou. agora tenho dado cottage pra você todo dia de manhã.

– e teve dentinho novo! chegou seu oitavo (!) dente, e aparentemente vem mais por aí. você morde até pensamento, e tá difícil me livrar da sua mordida assassina…

no mais, você está muito esperto. apesar de não falar nada, se comunica muito bem e é perfeitamente possível entender o que você quer (e não quer). você passa o dia todo “falando” e “respondendo” pra gente: ah, eh, oh, etc. é bem engraçado como é possível conversar sem palavras 🙂

seu aniversário de 1 ano foi lindo. exatamente como eu queria: somente amigos muito chegados e a família, pra gente poder aproveitar sem tumulto. você se divertiu, brincou e foi mimado por um monte de gente. pudemos compartilhar com as pessoas que mais amam você a alegria da sua companhia, o prazer de ver você crescer e se tornar esse menino lindo que é.

fiz pra você um bolo arco-íris de limão, decorado com borboletas e beija-flores, a tia denize que inventou. sua tia paula e sandra decoraram  festa, sua avó vera fez o almoço, e você ganhou montes de presentes e carinhos de todo mundo que veio e que não veio também. além de ser amado e mimado pessoalmente você é também mimado virtualmente, porque tem um monte de gente que adora ver você crescendo e torce pela sua felicidade.

você é um menino de sorte. e nós todos também temos sorte, porque não é todo dia que conhecemos alguém lindo, querido e tão feliz, tão cheio de luz. você faz nossos dias melhores com seu sorriso, suas descobertas, traz um monte de novas cores pra nossas vidas. pra gente não esquecer que é sempre possível ver as coisas com olhos novos, olhos de bebê descobrindo o mundo.

amo você, meu querido. todos amamos! parabéns!

mamãe.

(as fotos deste seu mês estão aqui)

das coisas todas

mais 4 dias e meu bebezinho faz 1 ano! mal consigo acreditar. em alguns momentos parece que os dias não passam, e tudo é cansativo e difícil, mas chega esse momento em que parece que voou (provavelmente porque as coisas ruins e difíceis ficam esquecidas, como convém à perpetuação da espécie :))

já são quase 6 meses de volta ao trabalho, o menino tá quase andando sozinho, creio que em breve vai começar a falar também, come feito um dragão e é constantemente feliz, sorridente e capeta. ou seja: tudo nos eixos. não fosse o desmame precoce e auto-imposto do menino e as doencinhas da estação, teria sido tudo perfeito.

a partir do primeiro aniversário vamos começar a alimentar o otto com a nossa comida, e pra isso eliminaremos o sal e reduziremos a quantidade de tempero. o sal cada um coloca no próprio prato (o que aqui entre nós eu achei bom, pois as meninas que trabalham aqui em casa carregam mais no sal e tempero do que eu gostaria). a vantagem é que nossa alimentação é bem balanceada e toda preparada em casa, sempre com legumes e verduras, carne, arroz e feijão, muitas frutas. comida simples e caseira, que é o melhor tipo.

bem, açúcar ele nunca comeu, e vamos continuar evitando. não quero ser absolutamente radical, porque acho que comida não é só combustível, é também ritual. não quero que o otto se sinta excluído quando todos estiverem comendo o bolo de aniversário dele, por exemplo, e ele não. vou evitar ao máximo o açúcar no dia a dia, mas quando o doce em questão for parte importante da refeição, se ele quiser vou deixar provar. refrigerante, só quando ele for bem maior, e ainda assim como exceção também. e se possível quero evitar que doces se tornem prêmio. odeio a idéia de comida como recompensa, ou associada com chantagem emocional (ai, meu filho, fiz esse pudim com tanto amor e você neeeeem ligou… eca!).

nossa rotina diária é muito bem estabelecida, e funciona bem: saio de segunda a sexta entre 7:30h e 8h, quando a babá chega, e volto às 17:30h, horário que ela vai embora. nos fins de semana costumo pedir ajuda à minha cunhada ou minha mãe, pra que eu tenha tempo de dormir umas horas a mais ou ir à manicure. mas no fim de semana, aproveito o máximo de tempo que tenho com o otto, e tem sido cada vez melhor. às vezes uma amiga ou minha mãe ficam com ele à noite pra gente poder jantar fora ou resolver algum assunto na rua, e ele fica super bem. o otto nunca chora quando eu ou o pai saímos, adora a babá, as avós e avôs, as tias. a partir dos 9 meses ele começou a estranhar pessoas que não conhece e ambientes estranhos e muito lotados (aí ele chora de dar pena, e se agarra na gente, tadinho). mas basta passar o tempo e acostumar, e ele volta a ser o bebê sorridente e sem vergonha de sempre, rindo pra todo mundo e brincando.

acho que o fato de termos sempre deixado ele ir pro colo de todo mundo ajudou a torná-lo sociável e amigável, mesmo sendo tão desconfiado como ele é (observa MUITO tudo ao redor, as pessoas, a comida, a roupa, os brinquedos. não pega nem come nada antes de olhar muito bem). estamos felizes em observar como ele é feliz e gosta de conhecer pessoas novas (mas não gosta, definitivamente, de gritos e bagunça).

o sono dele melhorou bastante, mas ainda está longe de ser uma maravilha. já não preciso mais ir pra bola de pilates niná-lo pra dormir, basta sentar no sofá com ele no colo e balançar de leve. ele costuma dormir sem muito drama em 10-20min. ainda não conseguimos fazê-lo dormir sozinho, mas confesso que não tentei a sério 🙂 tenho gostado de fazer ele dormir no colo, aproveitar pra mimá-lo e mantê-lo bem perto enquanto ele ainda cabe no colo e é bebê. sei que vou sentir falta disso no futuro, e aproveito ao máximo. ele acorda 2x para mamar depois de dormir (por volta de 19h), e chora 3 a 4 vezes (o fer vai lá, consola ele no berço mesmo, e ele dorme de novo). e nos últimos tempos, depois das 5h trazemos ele pra nossa cama, que assim ele dorme mais tempo (até umas 7h, às vezes).

ele ficou resfriado 2 vezes até hoje (nariz entupido), e teve otite/amidalite/conjuntivite neste último mês. os resfriados são chatos, porque o nariz entope e ele dorme muito mal, mas basta lavagem nasal com soro e paciência pra passar. as -ites foram realmente muito chatas, e decidimos tratar com antibiótico e colírio, porque 3 infecções simultâneas pra um adulto já são incômodas; pra um bebê, seria cruel demais esperar passar no dobro do tempo. mas se por um lado o remédio faz a infecção desaparecer rapidamente, por outro tem o custo no corpinho novo do bebê – o otto teve alergia ao veículo do remédio, empipocou todo. então além de -ites, ele teve reação ao remédio. mas foi 1 semana somente (que pareceu durar uma vida), e passou. o primeiro ataque de vírus e bactéria que o corpinho dele sofreu, que dó!

e mesmo doente o menino sorria, brincava e até comia (nos dias ruins só mamava e comia pedaços de fruta). e deu seus 2 primeiros passos no meio da crise de -ites!

enfim, ainda vou escrever o post de diário do otto no fim de semana que vem, mas queria registrar aqui pras amigas mães ou futuras mães que há esperança. é difícil no começo, a gente fica exausta e desesperada, parece que nunca vai melhorar, mas melhora e fica cada vez mais divertido e gostoso.

respirem, se acalmem e relaxem, que no fim tudo dá certo 🙂

(sempre procurando rir dos obstáculos, inevitáveis. bom humor é essencial)

festa de 1 ano, esse dilema

eu sou do tipo de pessoa que odeia festa infantil. bexiga (ou balão, como queiram)? detesto. sempre tem um espírito de porco que estoura as bexigas e as crianças choram (e eu também). bolo cheio de cobertura e recheio? odeio. familiares indesejados e seus agregados? sem comentários. crianças gritando, derrubando comida e mexendo nas suas coisas? argh. música de festa infantil? meus tampões, please. festa em buffet? cafona, comida gordurenta, impessoal, abomino.

sou seja: coitado do otto, ou coitada de mim. um de nós sofrerá muito nos próximos anos, a menos que encontre alternativas pra esse inferno na terra que são as festas infantis.

desconfio que enquanto ele for pequeno e não puder escolher as coisas estarão OK pra mim, e ele vai se divertir. mas morro de medo de quando ele crescer e eu tiver que convidar pais potencialmente chatos e ceder pra que ele seja feliz na festa, afinal, a festa é dele e não minha.

mas enquanto esse dia não chega, farei a festa do meu jeito, até porque pelo menos neste primeiro ano a festa é definitivamente para os pais e não para o bebê, que não está entendendo nada.

por isso mesmo não gosto da idéia de festa infantil de 1 ano, já que pra fazê-lo feliz tudo o que temos que fazer é não mudar a rotina dele. já que mudaremos a rotina, quero que o grupo de convidados seja mínimo, com o mínimo de bagunça na vidinha dele.

farei então um almoço só pros muito chegados, um bolo divertido e brigadeiros le chef gatô (que nós merecemos :D).

demos sorte, e o aniversário do otto cai num sábado, então farei uma bela feijoada! resolvi fazer um bolo arco-íris, que achei lindo, e é só. chamarei as avós pra me ajudar na preparação, pois minha mãe já quer fazer o bolo, é claro 😀 e as pessoas mais próximas de nós e do otto. vamos tirar fotos e filmar, pra mostrar pra ele quando for maior.

não farei decoração de festa nenhuma, mas não sou contra: sei que a tia paula e tia denize vão querer aprontar alguma coisa, e tá tudo bem. e vou pedir toda parcimônia do mundo pras pessoas convidadas, pra evitar presentes demais e coisas caras. e vou aproveitar a ocasião pra já começar uma prática que considero essencial: fazer uma reciclagem dos brinquedos dele. tudo aquilo que ele não usa ou não liga, vou doar.

e quando ele crescer, vou fazer como minha mãe fazia: pedir que ele próprio me ajude a escolher os brinquedos que serão doados pra outras crianças, e levá-lo a uma creche para doá-los. quero que ele possa sentir, como eu senti, a satisfação de ver outras crianças felizes com os brinquedos que eu não usava mais.

em outras palavras: não quero aniversário-mega-evento. não quero que ele acostume com esse tipo de festa, quero que ele valorize mais a companhia das pessoas que vêm dar os parabéns do que o evento em si. porque afinal, é isso que importa na vida: os amigos, a família que vêm nos dar um abraço e lembram de nós, e não a festa ou os presentes.