diário do otto: 2 anos e 7 meses + 8 meses

menino-otto,

agora você é um menino. ainda não sabe usar o banheiro, é verdade, mas não fosse isso já poderia considerar você um ser humaninho, e não mais a criatura pertencente à espécie toda especial que são os bebês. pra nós — eu e seu pai — essa sua nova fase é infinitamente mais interessante e deliciosa. estamos apaixonados pela sua versão criança, por mais que você-bebê fosse lindo, louro e fofo.

agora é possível conversar com você! negociar, explicar, ouvir suas ideias, suas questões. nas últimas semanas você começou com questionamentos mais claros, e perguntou pra mim pela primeira vez “por que aquela luz tá piscando, mamãe?”. era um carro, na minha frente, e fiquei tão emocionada que expliquei pra você quase o código de trânsito 🙂

você agora pergunta “o-quês”, “porquês” e “comos”. e nós respondemos, cheios de encantamento e espanto. repito — pra quem não passou pela experiência de acompanhar um ser crescer daquela minhoquinha que é um recém-nascido para uma criança aprendendo sobre o mundo, é difícil explicar o quanto é incrível. tão incrível quanto ver um cavalinho sair de dentro da sua mãe e andar/correr (ok, os cavalos são mais incríveis). nosso cérebro é uma máquina espantosa, assustadora. observar você crescendo nos torna ainda mais amantes da natureza e da vida.

agora você canta músicas, da sua cabecinha, inventa palavras pra gente rir, conta histórias de forma eloquente e sempre bem-pau-sa-do, explicando tu-do. e fala com as mãozinhas <3 enfatizando seu ponto de vista com dedos, braços, caras e bocas. você é muito expressivo, sério e engraçado no seu método. nos últimos meses você tem sido mais “moleque”, sobe nas coisas, alcança coisas no alto, se arrisca mais. bem diferente do seu comportamento de sempre, o que nos deixa muito felizes. achamos que é a escola que está ajudando você a se soltar mais, e ser menos sério e contido.

ultimamente você tem se interessado ainda mais por livros, histórias, e pede que contemos a mesma coisa várias vezes. começou a achar filmes (TV ou ipad) mais interessante, até senta pra ver um pouco. a TV você não gosta muito porque quando tem intervalos (comerciais) você reclama e se desinteressa; quando precisamos que você dê sossego por um tempo mais longo, o ipad é tiro e queda — são horas (mesmo, se a gente deixar!) de desenhos, vídeos, músicas e jogos. mas você continua se interessando pelos carrinhos, dominó, pião e outros brinquedos.

e hoje, do nada durante o café da manhã, você anunciou “vou ler!”, e foi para o seu quarto. sentou, sozinho, com 2 livrinhos, 1 deles no colo e outro do lado, e ficou lá, “lendo”. sozinho. tranquilo. e nos convidou pra ler junto, pra rever as mesmas histórias, uma depois da outra. não sei descrever a emoção de ver você “lendo”, no seu quarto, como uma pequena pessoinha, não mais um bebê. com vontade própria, calmo, independente.

conviver com você tem sido fácil, na maior parte do tempo (tirando o desfralde, por enquanto sem progressos além do xixi). alimentar você é moleza (come de tudo, e muito), divertir você é fácil, seja na rua ou em casa. dormir ainda é aquela novela de 1 a 2 horas, na nossa cama. mas você dorme a noite toda, o que acaba nos deixando tão felizes depois de 2 anos de drama que a gente até esquece que você devia dormir na sua caminha 😀

a paixão pelas letrinhas e números continua, e você agora conta bonitinho em inglês (até 10, que tem num livrinho que você ganhou), e até corrige o meu THREE (“é FREE, mamãe!”). fala o SEVEN com o “n” bem marcadinho, chega a ser engraçado.

e recita as músicas e a “oração” de agradecimento pelo almoço, que fazem na escola. junta as mãozinhas e fecha o olho, agradecendo “a cleonice pelo almoço gostoso que ela preparou!”. é de apertar muito, de tanta fofura!

já não sei mais se vou conseguir escrever a cada mês. a impressão que tenho é que algo mudou, alguma chave, e aqueles marcos de desenvolvimento tão claros dos primeiros meses agora se misturam, e seu tornar-se menino é fluido, cada vez mais próximo dos seres humanos que somos nós, seu pai e eu. o sorriso de um, o cenho franzido do outro. mais que só mistura, você é uma ponte, um caminho que traz e leva mensagens de um para o outro, cria mundos e questões que não existiam antes de você existir.

acho que finalmente estamos aprendendo a ser pais, e não só filhos. incorporamos estes novos (e difíceis) papéis na nossa existência. e quanto mais você se destaca como ser independente de nós, mais nossa condição se aprofunda e evidencia. temos um compromisso, uma meta, um desejo — que você seja feliz, autônomo, confiante. um menino louro e sorridente no meio desse mundo enorme.

observo você sozinho pela casa, comendo, brincando, se escondendo. atravessando a escuridão de um corredor enorme e escuro, e sem medo algum, ficando na ponta dos pés para acender a luz. sozinho, tão confiante e tranquilo. ia dizer que tenho muito orgulho, mas a verdade é que não é isso, não; é admiração pela sua independência, seja nos passos do escuro, seja no dizer claramente que “não” quando necessário. porque, diferente da sua mãe, você diz não e sim com a mesma facilidade e tranquilidade. anda na escuridão, e enfrenta com alegria (e óculos escuros) a luz do sol do meio-dia.

menino solar, molequinho cheio de opinião, gatinho doce e carinhoso da mamãe — cada dia amamos mais você e suas descobertas. viver com você tem sido um grande presente!

beijo da mamãe.

PS: e as fotos e vídeos continuam! divirta-se com seus 2 anos e 7 meses e 2 anos e 8 meses.

2 thoughts on “diário do otto: 2 anos e 7 meses + 8 meses

  1. Que lindo! “mais que só mistura, você é uma ponte, um caminho que traz e leva mensagens de um para o outro, cria mundos e questões que não existiam antes de você existir.”

    Vou sentir saudades desses relatos se vc realmente parar de escrever…

Leave a Reply