diário do otto: 3 anos e 6, 7 e 8 meses

otto,

parece que agora minhas cartinhas serão a cada 3 meses, pelo menos. suponho que quanto mais você crescer menos terei a atualizar e contar pra você, e desconfio do porquê: agora converso com você, e consigo expressar em cada momento como me sinto, e escrever aqui parece um pouco redundante (embora não seja, já que você não vai se lembrar de muita coisa dessa época). por mais que você não compreenda a dimensão de alguns assuntos que conto por aqui, e do seu próprio desenvolvimento, cada dia mais você interage como um ser humano 😀

farei um esforço pra manter as cartinhas, pois acho que será super legal você ler depois, mais velho, sobre seu próprio desenvolvimento e personalidade nessa idade.

sempre leio o diário anterior pra ver como as coisas estavam na última vez que escrevi, e uma mudança importante que percebi (e seu pai também, e ele está muito contente com isso) é como ficou mais fácil cuidar de você, agora que já é um menino mais crescido. já não usa fralda, come sozinho (demora e faz uma bagunça, mas…), conversa com a gente, explica como quer brincar, entende quando explicamos as coisas. no fundo, agora é possível negociar com você — mesmo que não goste do que estamos falando, você ouve e muitas vezes entende. muito diferente de lidar com sua versão pequeno-homem-das-cavernas 🙂

ainda temos episódios de homenzinho-das-cavernas, mas somente quando você está cansado ou com fome (o que é totalmente compreensível, pois até a mamãe com 42 anos é assim até hoje quando está cansada ou com fome!). no mais, conviver com você e estar ao seu lado tem sido muito divertido.

tiramos nossas sonhadas e aguardadas férias para os Estados Unidos com a tia Kelly e a Julia, e foi muito legal. fomos para NYC com você, mas apesar de ter gostado de várias coisas (caminhar no parque, ir aos museus, andar de táxi e de metrô), essa parte da viagem foi um pouco difícil pra você, e pra nós. o frio estava ainda muito intenso (mas você não reclamou de nada, e até disse que gostou do frio), e a cidade é muito cheia. andar com uma criança do seu tamanho em NYC não é tarefa fácil, e seu pai teve que carregar você muitas vezes. o que você mais gostou, de longe, foi estar com sua tia e prima, e andar de táxi e metrô. trouxemos de lá vários carrinhos (sua nova paixão) e em especial o táxi amarelo, que você adorou e carregou pra todos os lados (e te conto um segredo: sua prima de 12 anos gostou tanto do táxi também que demos uma miniatura de presente pra ela!).

dali fomos para o grand canyon, que foi mais gostoso pra todos nós — mais aberto, mais quente. pudemos caminhar bastante, andar de ônibus e carro, vimos paisagens incríveis e muito pouca gente. mais silêncio e um visual inesquecível. a viagem de volta foi muito cansativa (saímos do hotel de las vegas às 9:30 da sexta e chegamos na nossa casa em Vinhedo ao meio-dia do sábado), mas você não reclamou nenhuma vez. não deu trabalho nenhum em especial na 2a parte da viagem (em NYC você estava mais irritado, eu acho), e foi um amor. as pessoas inclusive elogiavam você no meio da viagem, vendo como você convive com as demais pessoas da forma que sempre ensinamos você: com respeito, com educação. temos muito orgulho de você ser essa pessoa tranquila e educada que você é <3

vou escrever um post separado sobre a viagem, mas foi muito legal e você gostou. nós também adoramos sua companhia!

na escola você está ótimo, a gente nem acredita — você agora ama ir para a escola, apesar da resistência inicial. o ambiente é ótimo, você gosta e está aos poucos se soltando. até o momento você mantém seu jeitão introvertido, não gosta muito de muita gente junta (nem crianças), e nem de crianças que gritam, ou fazem muita algazarra. você prefere brincar com as crianças mais velhas, e ainda assim desde que não sejam agitadas demais. aos poucos estamos tentando ensinar você a conviver com as outras crianças, incentivar a chamá-las pra brincar (e é curioso que você chama — não é tímido. a questão não é timidez, parece que não quer mesmo se envolver em certos tipos de brincadeiras). acredito que nosso maior desafio atualmente é integrar você nas brincadeiras com outras crianças, e ver se você prefere mais a companhia de crianças que de adultos.

seu interesse pelas letras, números e até pelos desenhos diminuiu, agora você quer brincar com suas coisas, e com as pessoas, criando suas próprias brincadeiras, o que é bem legal. você começou a inventar histórias, cenários, diálogos, e é muito divertido observar como funciona sua cabecinha. agora conseguimos entrar nas suas brincadeiras, e nos divertir bastante juntos.

a alimentação continua ótima, mas um pouco mais difícil de administrar em função das distrações — agora você quer brincar, e não sentar pra comer 🙂 mas o apetite continua ótimo, e o gosto pelas comidas mais saudáveis também. mês passado você foi ao dentista pela 1a vez, e tudo está OK com seus dentes. a única coisa que precisamos fazer é uma limpeza, que seu dentinho está amarelinho (não sabemos se é comida, ou escovação pouco eficiente. vamos limpar e depois observar). estávamos preocupados pois você ainda usa chupeta pra dormir, mas como é só pra dormir, aparentemente não fez nenhuma diferença! \o/

seu sono está excelente, ainda dormindo com a gente, e com planos de ir dormir no seu quarto assim que mudarmos para a casa nova (e você tá empolgado com o “seu quarto”). mas confesso que não tenho pressa, porque dormir e acordar com você é muito gostoso e eu sei que quando eu menos esperar você vai estar se mudando de casa e indo pra faculdade… 🙂

**

menino, o tempo voa, e só vejo seus cabelos crescendo como grama, suas perninhas ficando mais fortes, o rosto menos bochechudo, os pezinhos criando calos. você já pula com os 2 pés fora do chão (e eu que nunca soube que isso era importante?), ensaia escovar os dentes, e quer fazer coisas sozinho. mas se recusa a colocar roupas e sapatos, um curumim. bem ou mal, eu gosto de ajudar você. acho que é meu jeito disfarçado de esticar o máximo possível sua dependência (que é pouca) de mim, curtir meu bebê-que-não-é-mais-bebê, e aproveitar cada minuto do seu cheirinho, seu corpinho fofo e seu riso que ilumina os dias mais nublados, que faz a noite virar dia.

espero que um dia você leia estes escritos e consiga capturar uma faísca do tamanho do meu amor, do encantamento que é assistir sua vida desenrolando, seus caminhos se fazendo conforme você anda. mesmo quando minha mão já não estiver mais segurando a sua e você andar só pelo mundo, estarei presente quando você escolher ovos mexidos pro café porque “lembra a casa da mamãe”.

amo você, pirilampo!

**

aqui tem fotos desses meses deliciosos: 3 anos e 6 meses3 anos e 7 meses3 anos e 8 meses.

**

esqueci de contar uma coisa super legal que começou a acontecer nesses meses: você está cantando “em outros idiomas”, é de morrer de rir (e de fofura). a primeira música que você cantou foi “down to earth” (peter gabriel), e depois deslanchou e começou a cantar outras, inclusive em italiano (“fui no tororó”, que você adora uma animação que tem no youtube). claro que você não fala esses idiomas — mas você repete as palavras direitinho (nem todas, o que deixa tudo mais engraçado), e pronuncia muito bem grande parte delas! super interessante de observar.

Leave a Reply