Oh dia oh mês oh azar

Vejo as amigas dizendo que em tempos de pandemia encontram esperança e alegria nas suas crianças, acho tão lindo.

Otto, quando falamos em caminhar na rua e tomar um ar:

– “sair?! Você tá louca? TEM UM VÍRUS LÁ FORA!!”

(voltando da rua, tomamos precauções de higiene tipo tirar sapatos e roupas na entrada, lavar as mãos imediatamente, não colocar as mãos no rosto antes de lavar, etc.)

– “viram? Por isso não podemos sair! Olha o trabalho que dá depois ficar seguros de novo!”

– “esse vírus podia afetar só a escola né?”

– “mamãe, quando volta a escola?” (Tá com saudade, Otto?) “não, é só pra me preparar mesmo pra quando precisar voltar”

TÁ FÁCIL, mas não é fácil. 😬

Reino Humano

Otto no banho, sempre filosófico ❤️

O: “ò mamãe… antes, eu achava que quem comandava o nosso corpo era o coração! Aí eu descobri que é o cérebro!”

Eu: “é isso mesmo. Mas o coração é importante — é ele que mantém o corpo oxigenado, bombeando nosso sangue.”

O: “… então a nossa cabeça é como um castelo, e o cérebro é o rei, e o coração é a fonte de energia!”

Eu: “é mais ou menos assim, tá boa a analogia!”

Eu podia ter explicado mais, mas achei tão bonitinho ❤️❤️❤️

CV19

Fernando: “Otto, tá sol e mais de 10C. Vamos andar de bicicleta na rua?”

Otto: “você tá doido?! Lá fora tem um VÍRUS, eu que não quero pegar!”

🤣🤣🤣

Fer e eu explicamos como funciona (que não é no ar que pega) e porque a escola foi fechada.

O: “ah, eu queria que o vírus só pegasse na escola!”

😬🤣

Piriri

Essa semana foi cheia de emoções. Começou com Otto escapando da sala de aula, levando várias broncas, e aí se tornando um LORD. Cumprindo as tarefas (inclusive de casa!), almoçando na escola, praticamente um milagre.

Além de tudo, desde o final do ano passado ele está dormindo sozinho A NOITE TODA, fato inédito até o momento (acordava pelo menos 1 vez por noite)

(Tá na dúvida sobre ter filhos? Converse conosco :D)

*** AVISO DE POST ESCATOLÓGICO. Quem é pai e mãe nem vai ligar, mas esteja avisado ***

Tudo lindo, todos dormindo. 3 horas da manhã o menino aparece pra dormir comigo, abri espaço na cama e ele deitou quietinho. Gente, instinto maternal é uma coisa muito poderosa — eu sou um urso que hiberna, e não consegui dormir, parecia (juro) que tinha uma SIRENE ligada na minha cabeça tipo “acorda acorda acorda”, e eu acordei, perguntei se ele estava bem.

O: “Na verdade eu tou estranho, como quando ando de carro…”

Eu: “você tá enjoado! Vamos pro banheiro, vem cá”

A loka ainda sentou pra fazer xixi, beeeeem pisciana, o menino de pé no meio do banheiro faz o quê? Vomita tudo, tipo TUDO, sei lá de onde tinha tanta coisa.

Tapete, armários, parede, chão, aquela coisa.

(Lembra que era tipo 3 e pouco essa hora)

Fernando acorda também, porque não teve como. Eu desinfetando o chão, ele ajudando o Otto, escova o dente, acolhe a criança. Fui deitar com ele, que dorme. Eu não, a sirene lá, firme e forte.

4 da manhã ele acorda de novo (e eu ainda tava lá), ainda enjoado.

Vamos pro banheiro, ele vomita tudo de novo, dessa vez na pia (não recomendo). Começa o processo de novo, acaba, ele decide fazer xixi…

O: “ih! Eu ia fazer pum, mas não sei como fiz cocô!”

A criança tem 9 anos e NUNCA teve cocô mole na vida. Nenhum desarranjo, nadinha. Inclusive vomitou pela 1a vez já era grande também, uns 6 anos. Espetáculo de sistema digestivo. Mas não hoje.

Não sei como Fer foi ninja e conseguiu tirar a roupa dele sem sujar mais, limpou o menino, terminou o serviço.

Desce na lavanderia, lava tudo minimamente, volta pra cama. Conseguimos dormir até umas 7h, e ele acordou.

Não pode ir pra escola, mas nem contente ele ficou, porque ainda tava malzinho. Eu comecei o dia às 8h, reunião direto, e lá pras 9h escuto todo o processo se repetindo lá em cima, e o Fer administrando. Já não tinha mais nada pra vomitar, mas a diarreia, vocês sabem, é infinita, e dessa vez o Otto não quis ajuda e tirou a roupa toda sozinho, o que resultou num desastre que gracasadeus o Fer resolveu com banho + limpeza e eu nem vi nada. Acho que inclusive não entrei no banheiro de cima ainda hoje.

Ele tomou água, e ficou comigo vendo desenho enquanto eu trabalhava. Comeu batata cozida de almoço, e sustentou. Fer convenceu ele a ir no banheiro preventivamente, ele foi, mas reclamou que odeia cocô mole, “dá muito trabalho pra limpar” (quem não, né?), tá contrariado.

Pediu um sanduíche de repolho e cenoura (ganhou), comeu pipoca e parece muito melhor, pois pediu de jantar…

TACOS.

Eu quero dar o mundo pra esse menino, mas confesso que tou tensa.

Aguardem notícias.

Not appropriate

Pra quem acha que a gente exagera quando compara o

Otto com o Calvin, tenho uma notícia fresquinha, de hoje: Otto FUGIU DA SALA DE AULA. E veio bilhete pra nós, lógico: “please reinforce at home that this is not appropriate.” 🙄😖

Claro que não conseguiu sair da escola, ele fugiu (mesmo, escondido) de uma sala pra outra, e a professora da outra sala deu bronca e levou de volta.

COLAMOS CHICLETE NA CRUZ NA OUTRA ENCARNAÇÃO, não é possível.

#0800-dermato

Fomos num photobooth no fim de semana, porque eu amo, e aí estão as fotos.

Mega desconfortável, porque além da gente não caber na cabine, a hora que você olha na tela a pele fica MEDONHA, cheia de manchas, as imperfeições todas evidentes e gritando.

A pele do Otto, UM PÊSSEGO. Eu e Fernando podíamos fazer cosplay de zumbi do Walking Dead, mas vambora né.

Saímos da cabine, e…:

O: “nossa, a pele de vocês tava toda manchada na foto né?”

Eu: “pois é, pele de adulto é diferente de criança né? A nossa tem mesmo mais marcas”

O: “pois é. Mais um motivo pra eu não querer ser adulto e continuar sendo criança!”

😩

Errado ele não tá, né. Fuén.