Pet

Morro de vontade de ter um gato, mas (1) sou alérgica a pelos, (2) viajamos bastante, e complica, (3) tenho plantas e não quero abrir mão delas e (4) Otto né. Ele não é fã de animais de estimação em geral, só gosta deles na natureza, de longe.

Ajudando ele a se preparar pra dormir:

O: “eu descobri que até gosto de gatos. Eles não fazem tanto barulho quanto os cachorros e não lambem a gente né?”

Eu: “não costumam lamber a gente mesmo, não. Mas eles miam…”

O: “mas é bem mais baixo!”

Eu: “verdade. Eu já pensei em ter um gatinho. Você gostaria de ter um gato?”

O: “ah, mamãe, eu preciso analisar isso com mais calma!”

🤣🙄

Dies Irae

Vocês tão bem aí com suas crianças que são de boas? Agradeceram hoje?

Aqui há umas 2h começou uma discussão porque combinamos com Otto de ver 2 episódios do canal de jogos do YouTube que ele gosta, e depois de 1h quando formos conferir ele afirmava com muita ênfase que só tinha visto 1 episódio (não tinha).

Ignorando completamente nosso argumento, ele insiste que a gente PRECISA deixar ele fazer o que quiser, que é muito importante, que não é justo, que crianças deviam poder criar regras também (mal sabe ele que 90% de tudo que se faz nessa casa leva em consideração a vontade dele antes da nossa né?), enfim, discussão sem fim porque ou é do jeito dele ou é o inferno.

Deixamos ele chorar e reclamar, e avisamos que não tem diálogo dessa forma. Ou acalma ou não tem negociação.

Choro, ranger de dentes, vai pro quarto e bate a porta (!), e nós 2 tentando não rir né, porque é muito engraçado.

Depois de várias idas e vindas, ele vem descendo a escada, falando calmamente, e eu penso — “MEODEOS ele vai pedir desculpas e várias almas sairão do purgatório pro inferno!”

O: “olha, pessoal, eu pensei e… vocês não merecem respeito! Vocês não querem me ver feliz! EU NÃO ACEITO ISSO!”

(A trilha sonora é essa. As almas saíram é do inferno né? Afe)

Fernando e eu começamos a rir descontroladamente, porque ambos tivemos a impressão que ele viria pra negociar, apaziguar, e ele veio declarar guerra!

Rimos muito, todos chora nesse momento, porque estamos na sala e escutamos ele no andar de cima falando consigo mesmo igualzinho o Gollum / Sméagol:

O: “eles não sabem nada; eles não se importam!”

**

Logo depois ele desceu e pediu desculpas — mas com MUITA dificuldade.

JesusMariaeJosé, o que será de nós na adolescência…