Assinado:

Um dos meninos que ficou amigo do Otto na escola é americano, e tem 2 irmãs e 4 irmãos. Umas das irmãs tem 11 anos e está aprendendo português, então mandou uma carta pro Otto ❤️ em português se apresentando e dizendo que gostaria de conversar com ele!

Ele respondeu a carta dela, muito simpático (estilo

Otto né? “Sou filho único mas gosto muito disso” hahahhahaha, e no final colocou:

ASS.: Otto

Fernando grazadeus é uma pessoa atenta, porque eu nem teria pensado nisso, e explicou pro menino que ASS pra nós é abreviação de ASSINADO mas que em inglês é BUNDA. (Esqueceu de falar que é asno também, depois a gente explica)

Já pensou que máximo você assinar assim?

ASNO: Ivanise

ou

BUNDA: Ivanise

?

Amei. Mas mudamos, ele preferiu colocar “Um abraco, Otto”.

Primatas

Otto, pegando uma peça de Lego que caiu debaixo da mesa com o pé:

— “nossa, nós somos parecidos mesmo com os macacos!”

❤️❤️❤️❤️❤️

Infância traumática

Eu vendo lembranças do Feysse enquanto Fernando e Otto montam Lego:

Eu: “ownnnnn olha que lindo o Otto bebê na praia!!”

F: “ownnnn”

O: “bebê não! Detesto bebês, inclusive quando sou eu!”

HAHHAHAHAHHAHAHAHA! Um dia ele vai pra terapia quando for adulto e descobre de onde vem esse trauma. Talvez seja dos pais, que tiveram uma experiência traumática com esse bebê belzebu-menino…

Escolhendo sabiamente

Otto odeia escola, todo mundo já sabe e tal. Hoje é sexta, não vai ter aula, tem preparação pra uma gincana que vai ter à noite, e ele não quer ir pra gincana porque “é muito barulhento” (estamos de acordo).

Fernando vem me consultar — “já que ele não quer ir pra gincana mesmo, que tal se liberarmos ele da escola e ele vai comigo fazer as coisas que eu preciso fazer?”. Achei ok, um dia livre pro rapazinho.

Fer: “Otto, ao invés de ir pra escola e preparar pra gincana, que tal você ir comigo fazer as coisas que eu tenho que fazer?”

O: “hm, que coisas?”

Fer: “vou no contador, buscar umas coisas na loja que fomos no fim de semana…”

O: “prefiro ir pra escola.”

🤣🤣🤣🤣🤣

Pois é, meu filho, perceba que vida de criança não é tão ruim assim quando comparada às tarefas chatíssimas de adultos 😀

Almoço de domingo

Domingo, preguiça de fazer almoço, alternativas:

Eu: “Otto, o que você acha de pedir um yakisoba?”

O: “hm, 50% de mim gosta dessa ideia.”

Eu: (hahahhahaha) “sei, e os outros 50% querem o que?”

O: “um estrogonofe com arroz e batata palha”

Eu: “ahhh, isso a vó Vera faz amanhã pra você!”

Fernando: “e tem alguma coisa que os dois 50% concordam em comer?”

O: “tem: COXINHA.”

HAHHAHAHHAHAHAHHAAHHA

Fer tá lá se arrumando pra sair e comprar coxinha de almoço. Tem que aproveitar enquanto pode né? ❤️

High maintenance

Otto hoje recebeu duas visitas muitos queridas — um primo e um tio-avô. Ficaram aqui durante a tarde com ele pra matar a saudade.

Chego do trabalho, pergunto como foi o dia:

— “ufa, ser amigo dá bastante trabalho, né?”

Bem-vindos ao mundo dos introvertidos 🙄🤣

Ilusão de ótica

Ontem fomos no Museu da Ilusão, que está no shopping Dom Pedro (recomendo muito, é BEM legal. Vá em 3 pessoas ou mais, que é mais barato), e adoramos todos.

Hoje Otto acorda e a 1a pergunta é:

“Mamãe, o Cebolinha quando está de frente tem 5 fios de cabelo; quando está de perfil TAMBÉM tem 5 fios de cabelo… como isso é possível?!”

Te aguardo chegar pra responder, Fernando 🤣🤣🤣

Aranhas são ovíparas né

Quando a criança é a pessoa mais adulta da casa, assistindo desenho:

Vó Vera: “nossa, o homem aranha tem mãe?!”

Otto: “claro, como você acha que ele nasceu?!”

Vó: “de um ovo, quem sabe?”

Otto: 🙄

Do contra

Isso é o Otto contando pra avó Vera — MUITO empolgado e feliz — que vai se mudar pros Estados Unidos!

Foi mais ou menos assim:

Nós: “meu amor, a mamãe recebeu uma proposta de trabalho muito legal, e nós vamos nos mudar para os USA.”

O: “mas eu não quero me mudar…”

Nós: “a gente imagina, meu amor. Mas vai ter muita coisa legal!”

O: “tem mais legos do que aqui?”

Nós: “muito mais!!! Tem tudo!”

O: “OBA!!!! Mas eu vou querer levar meus brinquedos, meus livros favoritos, minhas coisas.”

Nós: “você pode levar tudo que quiser, meu amor.”

O: “o problema é que não vou entender nada que se pessoas falam, né?”

Nós: “por um tempo, vai ser difícil. Mas você vai aprender rápido, e a gente também. Você vai ter ajuda na escola, e nossa também.”

O: “como se fala – ‘eu sou do Brasil?’”

Nós: “I am from Brazil!”

(Ele repete, com pronúncia muito melhor que a nossa hahhahaha)

Fernando: “ah, e a gente pode trazer alguém aqui em casa pra conversar com você em inglês pra acostumar, o que acha?”

(Tentar não custa…)

O: “acho ótima ideia!”

Falamos sobre muitas coisas que ele ama, entre elas patinação no gelo (sempre quis aprender). Falamos das escolas, que adoramos porque têm laboratórios de ciências.

O: “até de química??? OBAAAAAAA!!!”

O: “puxa, pena que eu não nasci lá né?”

Saiu pulando, feliz da vida, pra contar pra avó que vai morar nos Estados Unidos.

**

Alguém chama o Padre Karras, porque a quiança tá possuída.

😱

<3

Quem não conhece direito o Otto, aproveitando o aniversário, esse episódio resume a quiança.

Fernando pergunta alguma coisa pra mim, querendo que eu ajudasse a decidir:

Eu: “ah, não sei não. escolhe com o seu coração :D”

Otto: “mas quem escolhe é o cérebro, o coração não escolhe nada.”

Fuén 😀