N-1

Quando a gente pensa em ter filho, imagina todo tipo de coisa que é preciso saber / aprender pra ser uma boa mãe. É coisa pra caramba, e é muito mais que eu consegui imaginar, e olha que minha imaginação é bem boa.

O que eu jamais imaginei é ter que ensinar a criatura a limpar a bunda. E não é só dar a instrução, verbal, o procedimento — tem que mostrar, explicar, verificar e continuar garantindo que o mínimo tá sendo feito né? Pelo menos é assim que tratamos aqui — vai limpar direito SIM SENHOR 🤣

Todo dia tem reforço da instrução. TODO DIA.

“Limpou? Olhou se tá limpo antes de jogar o papel?”

Hoje não foi diferente, porém:

F: “Otto, você nem olhou se estava limpo o papel antes de jogar e ver se precisa limpar mais!”

O: “pô mas eu tenho que olhar TODA VEZ?!”

F: 😱😱😱😱

Eu, no banho só ouvindo: “SIM, meu amor, não dá pra decidir se tá limpo ou não na amostragem! HAHHAHAHAHHAHA”

A habilidade mais importante para ser pai ou mãe é a capacidade de repetir a mesma coisa uma infinidade de vezes sem entrar em combustão espontânea.

Saltos

[2015]

Acho que não é só viagem que dá tilt na cabeça da quiança, mudança também. Otto tá me saindo com umas que não sei de onde vieram…

Ele agora ligou o bit da traquitana, e quando impedimos ele de pegar alguma coisa (comida, objeto, subir na escada…) ele sai buscando objetos empilháveis pra fazer escada por si mesmo e alcançar coisas. Hoje peguei ele empurrando uma caixa de mudança enorme em direção à despensa pra pegar suspiro (maldita hora que comprei) e depois empilhando cubos de sentar pra tentar alcançar a escada. Além de transformar a poltrona da sala em montanha — derrubou no chão e achou graça escalar. Achei engraçado, mas estranhei, ele nunca foi disso!

**

Também pela primeira vez ele interpretou personagem incorporando (ele normalmente representa personagens como ele mesmo. Se eu me refiro ao personagem ele corrige “eu sou o Otto fazendo o Fulano”. Hoje ele saiu correndo pelo quintal me dizendo que era uma borboleta, e quando eu chamei pelo nome ele me corrigiu: “não sou o Otto, sou uma borboleta!” (E ele foi lagarta antes, na hora do almoço. Eca). Mais curioso ainda é ele avisar “agora eu sou o Otto de novo!”

**

Otto — “Mamãe, eu quero viajar pro espaço!”
Eu — “Você pode ser astronauta, e viajar pela via láctea!”
Otto — “E no espaço é escuro?”
Eu — “é sim!”
Otto — “Hm.”

**

Tá bem louco, meu filho.

Boas notícias, porque estamos precisando

Nossa criança dá um trabalhão, como vocês já devem ter reparado pela quantidade de reclamação 😬 Inclusive o apelido era Belzebu-menino quando pequeno porque meodeos não tinha condições 🤣

Mas hoje eu tou aqui só pra dizer que alguma coisa aconteceu nos últimos meses, e especialmente últimas semanas. O Otto está mais maduro, lidando melhor com a frustração, cada vez mais interessado na interação com os amigos e professores da escola (tudo virtual; desde março do ano passado), seguindo instruções com mais facilidade, mais autônomo, entendendo piadas que antes não entendia.

Um salto incrível, no meio da pandemia e do isolamento. Está fluente em inglês, mesmo sem o contato social, o que achamos espantoso, mas ótimo. Está indo muito bem na escola (mas continua se cobrando muito, como sempre).

Ele continua sendo o próprio Calvin, mas um pouco mais maduro, e é a coisa mais linda de ver ❤️

Diante de tanta notícia ruim e tantas dificuldades, estamos muito surpresos e contentes!

🤩

Século XXI

Hoje o Fernando explicou pro Otto que quando a gente era criança não era possível escolher o que assistir. A gente assistia os filmes que estavam passando na TV, em um dos 4 canais, na hora que passava.

ISSO É MUITO LOUCO.

Hoje a gente simplesmente procura o que quer ver on-line, e aluga ou compra. Vê absolutamente qualquer coisa que quiser, quando quiser.

Não sei como a gente não fica estupefato o tempo todo com uma mudança tão monstruosa em uma só geração.

Qualé a música?

Essa semana, 7:30h o Otto acorda e deita do meu lado na cama, todo fofo.

Eu: “bom dia meu amor! O que você quer fazer antes de começar a aula?”

(Desejo: que ele quisesse ver desenho pra eu dormir um pouco mais)

O: “ah eu quero cantar uma música pra você! Vamos lá!”

Cantou a música toda em português, depois a versão em inglês. E eu tive que prestar atenção, mesmo minha alma ainda não estando junto do corpo.

É tão bom ser mãe, gente.

🙄😬🤣

The book is on the table

Otto hoje pro Fernando, ao tentar se isentar das tretas que ele mesmo criou na aula de educação física (virtual):

O: “Papai, olha, eu vou falar em inglês porque eu não sei em português, tá? — I REALLY didn’t mean it!!!”

Modo enrolação mega master, agora em 2 idiomas.

🙄🤣

Vende peixe

Eu: “Otto, qual é seu dia preferido do ano?”

O: “a Páscoa!”

Eu: “por causa do chocolate?! 🤣”

O: “sim!”

Eu: “o meu é o dia do meu aniversário, e logo depois o dia do seu aniversário.”

O: “eu também gosto do dia do meu aniversário, mas não queria ser SELFISH”

(Óinnnn ❤️❤️❤️)

Fernando: (caindo de paraquedas) “que que tem o peixe?!” (interpretação livre minha, só sei que ele captou só o FISH da conversa)

🤣🤣🤣🤣

Literally

Ainda hoje, mais cedo, ainda NO SENTIDO da treta que tava rolando há tempos, Otto conversando com a professora:

“My father is LITERALLY punishing me for no reason!”

E ela: “literally? Wow! That must be hard, Otto!”

🤣🤣🤣🤣

No sentido de

Olha, essa eu não aguentei e ri no meio da conversa:

Fernando: “não sei o que você combinou com a mamãe, sobre tempo de tela, temos que ver”

Eu: “não combinamos nada; só falamos sobre o comportamento e como resolver”

O: “é, papai, só falamos NO SENTIDO DE resolver o problema, não definimos sobre tempo de tela!”

Sério, gente, não tem condições 🤣🤣🤣