mãe chata

No drama da lição de hoje, tivemos chiliques de ambos os lados por motivo de criança que se recusa a seguir instruções e quer fazer tudo do seu jeito.

 

Até que eu desisti e falei FODACE (ou em versão traduzida pra criança — não faz então, e sofra as consequências); e ele fez a porra da lição lá do jeito dele.

 

Nem jantar servi. Deixei ele se virar com a comida que deixei na mesa (normalmente eu sirvo, arrumo tudo, mãe de comercial de margarina).

 

— “também não vou guardar nada!”

 

(FODACE. Silêncio.)

 

— “… tá bom, tá bom, eu guardo.”

 

Guardou. Mas enquanto guardava…

 

O: “sabe, mamãe, você não tá sendo legal.”

 

Eu: (YOU HAVE NO IDEA, KIDDO) “nem você.”

 

O: “mas eu só não tou lendo legal AGORA. Nas outras horas eu sou.”

 

Eu: hm. “É verdade. E eu, sou chata sempre ou só agora?”

 

Quem mandou perguntar?

 

O: “sempre. Você não me deixa fazer só o que eu quero.”

 

Eu: “é, não mesmo.”

 

E hoje ainda é segunda.

 

Agora entendi porque meus pais enchiam a cara.

olhos

Otto leu um texto (na famigerada tarefa) que falava sobre uma criança indígena que ajudava o pai a pescar, e comia peixe.

O: “mas eu não como peixe!”

Eu: “lógico que come. Aqui no temaki, ó, isso é peixe. Salmão.”

O: “não é não. Peixe tem olho!”

Eu: “esse aí também tinha, junto da cabeça, que foi pra outro canto.”

O: …

 

Mais tarde, quando o Fer ofereceu temaki (que até ontem ele comia loucamente, assim como sushi e sashimi):

O: “eu quero, mas sem o peixe. Só a alga e o arroz.”

 

Danou-se.

reprodução celular

Tou pronta pra apagar a luz e dar boa noite pro Otto e…

 

O: “sem querer ser chato, mas…”

 

F + Z: (PQP lá vem)

 

O: “… como é que a gente cresce SOZINHO?”

 

Z: “BOA NOITE PESSOAL!” (Apago a luz)

 

F+O: “VOLTA AQUI, MAMÃE!”

 

Finjo que não escuto e vim pra NetFlix.

 

Boa noite.

sombro

Otto ontem escreveu

 

SSÔNBRANSSÊLIA

 

e eu fiquei com um misto de horror, fascinação de um desejo meio vago de abrir uma empresa com esse nome.

 

😳🙄😂😬😀

a que será que se destina?

Deito com o Otto, apago a luz. “Boa noite, meu amor.”

 

O: “mas antes eu tenho uma perguntinha, mamãe”

 

(Nunca é uma “perguntinha”. Nunca)

 

Eu: “tá bom, mas depois dormir tá?”

 

O: “então… que eu nasci da barriga eu já sei. O que eu quero saber é: eu existo pra quê?”

 

~ existimos / a que será que se destina?

 

Eu: “você quer dizer mais ou menos como o propósito, a função que alguém tem, como por exemplo o Wall-e, que faz cubos?”

 

O: “é. Pra que eu existo aqui?”

 

Não sei nem por onde começar. Mas enfim: ser mãe é também buscar sentido e organizar o caos, no sentido mais amplo.

 

Eu: “não existe um sentido, um propósito, meu amor. Nós só estamos aqui, e estando aqui podemos fazer o que quisermos. Ler, nadar, brincar, criar, fazer arte, inventar coisas, construir, fazer amigos.”

 

O: “qualquer coisa?”

 

Eu: “qualquer. Nós somos livres pra fazer o que escolhermos fazer”

 

O: “mas eu preciso fazer tarefa. E o wall-e não tem tarefa!”

 

(Eu sabia que essa conversa ia se voltar contra mim…)

 

Eu: “o wall-e tem tarefa sim: ele faz cubos, pra limpar a Terra; e a EVA busca plantas. É a tarefa deles. Lembra que ele sai de manhã e volta de tarde, depois que acabou?”

 

O: “MAS NÃO É UMA TAREFA!”

 

(Ele não gostou da minha lógica, falou assim mesmo em Caps Lock)

 

Eu: “é sim. Todo mundo tem tarefas, e nem todas a gente gosta. Mas tem coisas que temos que fazer.”

 

O: …

 

Eu: “tudo bem? Podemos dormir?”

 

O: “não sei de gostei da resposta, mas podemos. Boa noite.”

 

Ainda bem que amanhã é Páscoa, porque uma leve overdose de chocolate não vai fazer mal a ninguém depois dessa.

uva passa

[mar-2016]

Otto abre o box e mostra “olha minha mão!” (Tá enrugada do banho) “é pra eu poder escalar pedras e não escorregar!”

**

Tão fofo, eu expliquei isso pra ele UMA VEZ há uns 3 anos, porque ele ficou muito impressionado com as mãos enrugadas depois de ficar na banheira. Ele não esquece <3

 

fada do dente

[mar-2016]

Otto, descobrindo as grandes questões do mundo:

“Mamãe, eu queria que meus dentes ficassem limpos sozinhos, sem precisar escovar TODO DIA!”

I hear, you, kiddo.

**

Aliás, ontem escovou os dentes, pegou o copo com água (pra enxaguar), achei que ele tava demorando com a água na boca… Ele bebeu ao invés de cuspir.

“Otto! Você bebeu ao invés de cuspir?!”

Otto: “ih! Acho que me enganei! Desculpe.”

Só faltou me entregar um MEMO de EHS com análise de causa raiz, pelo tom 😀

odd

Vocês acham a vida de vocês difícil?

 

Hoje a guerra nuclear apocalíptica para fazer a tarefa foi porque “eu não gosto dos números ímpares; não vou fazer essa tarefa porque não tem o numero 10!”.

 

Boa noite.

 

(Ah, e não fez a tarefa. Preferiu ir dormir mais cedo sem TV e sem brincar e chorando por 1h do que escrever a porra dos números ímpares)

lição de casa

Momento lição do Otto. O texto é sobre diversidade cultural e respeito pelas diferenças.

 

O: “na minha escola não tem respeito NENHUM!”

 

Eu: “afe, por quê? O que acontece?”

 

O: “ninguém deixa a professora falar! Nem consigo fazer combinados, ninguém para de falar!”

 

Eu: (hahahhahaha) “entendi. Isso acontece porque as crianças ainda não aprenderam isso, Otto. Logo elas aprendem.”

 

O: (enfaticamente com as mãos) “mas eu sei isso faz MUITO tempo!”

 

😂😂😂

 

E aí teve essa pergunta aí sobre diferenças culturais. Ninguém pode dizer que ele não é assertivo, né?

frutas

Tarefa do Otto: escrever e desenhar frutas.

 

Fruta com vogal:

O: “Azeitona!”

 

Fruta com consoante:

O: “Tomate!”

 

Nós: “ABACAXI, BANANA, Otto!”

 

Esse menino é inteligente mas jamais será popular, gente, afe.