rotina do bebê: evoluindo e observando

iniciamos a rotina de alimentação do otto (além do leite do peito) aos 5 meses. a decisão foi tomada em conjunto com o pediatra, por dois motivos:

1. eu queria voltar a trabalhar com a rotina 100% estabelecida e ajustada por mim. como a volta estava programada pra quando ele estivesse com 6 meses e meio, preferi começar antes;

2. ele estava “regredindo” no intervalo entre as mamadas (pedindo pra mamar mais frequentemente, especialmente durante a noite). segundo o pediatra, baseado no crescimento dele (que foi maior que o esperado e acima do ganho de peso), é normal que ele mame mais porque precisa mais. a sugestão para aliviar um pouco pra mim (não ter que dar tanto o peito) foi iniciar com suco e frutas. (e funcionou!)

ele aceitou muito bem tudo o que oferecemos, depois de passada a estranheza inicial. caso você não saiba, como eu não sabia, todos os bebês estranham o sabor dos alimentos oferecidos na primeira (segunda, terceira…) vez. é preciso insistir, pra que ele se acostume. a diretriz do pediatra foi dar a mesma fruta por 1 semana antes de oferecer outra, e assim fizemos.

depois de 2 semanas de frutas e sucos, ele já estava gostando de quase tudo, e iniciamos a papinha de legumes. ele aceitou muito bem também, e depois de 2 semanas incluímos carne na papinha (tudo batido no liquificador). a diferença que sentimos, obviamente, foi no cocô: ficou pastoso e passou a fazer 1 ou 2 vezes por dia somente. até o início de outros alimentos, ele fazia cocô a cada 3h (até o terceiro mês) e depois de 4-6 horas.

a rotina dele ficou assim:

entre 6:00 e 7:00: acorda e mama no peito. brinca com a mamãe até as 7:30h 🙂

por volta das 09:00: suco de fruta (começamos com 1 laranja lima; hoje ele toma 2 laranjas mais um pouco de mamão. quando está com o intestino mais preso, colocamos ameixa preta junto batida)

por volta das 11:00: leite do peito no copinho, cerca de 100ml

por volta de 12:30: almoço (começamos com 4 colheres de sopa de papinha, hoje ele come 7. aumentamos progressivamente, conforme ele reclamava que acabou)

por volta de 15:30: leite do peito no copinho, cerca de 100ml

por volta de 17:00: fruta (começamos com 1/2 fruta, hoje ele come uma mistura de 3 frutas, 1/2 de cada, ou seja, 1 fruta e 1/2. também aumentamos conforme ele reclamava que queria mais)

costumamos dar 2 banhos curtos nele durante o dia, um de manhã e outro no início da tarde, pois ele é calorento e sua muito (e adora banho!). a maria passeia com ele a pé pelo menos 2 vezes por dia, ele adora e distrai. ele tira pelo menos 3 sonecas durante o dia, uma de manhã, outra na hora do almoço e outra à tarde, cada uma de 30min-1h. às vezes ele dorme mais, mas não é frequente.

chego do trabalho às 17:30h, brincamos, passeamos os 3 no condomínio a pé por 30-40min, e entre 19:00 e 19:30 ele toma o banho final do dia. a essa hora ele já está morrendo de sono (bocejando, coçando os olhinhos) e às 20:30h normalmente está dormindo.

o otto não dorme sozinho, nunca dormiu. precisamos niná-lo até dormir, ou ele chora, boceja, coça o olho e não dorme (e vai piorando, piorando… uma chatice). há os que defendam que devemos deixá-lo chorar no berço até “aprender” a dormir sozinho (nosso pediatra é dessa linha), mas nós não gostamos da idéia. achamos que ele é ainda muito bebê, e não é um problema ainda fazê-lo dormir no colo. decidimos fazer assim até que possamos conversar com ele e entender, ou que ele comece a dormir sozinho por conta própria, quando estiver pronto. por enquanto, quando ele chora à noite a gente pega do berço, nina de novo, e volta. isso acontece às vezes 1, 2 vezes por noite. às vezes ele acorda a cada 2h (quando os dentinhos começaram a nascer, por exemplo…)

até essa semana ele mamava durante a noite e madrugada: por volta de meia-noite, às 4:00 e depois o dia começava de novo. há 2 dias eliminamos a mamada da madrugada, ele mama por volta da meia-noite e depois só a partir das 6 da manhã. funcionou bem, e ontem foi o primeiro dia que ele dormiu direto até de manhã sem acordar (aleluia!). continuaremos insistindo!

truques que fomos adotando pra manter a rotina

– felizmente nunca precisamos fazer nada pra que ele dormisse às 20h, esse horário foi imposição dele mesmo, apenas respeitamos. o que fizemos foi sempre fazê-lo dormir de novo quando ele eventualmente acordasse entre 20h e 6h (em oposição a deixá-lo brincar, conversar com ele ou coisa assim). ou seja: a partir da hora que ele dorme, é noite e devemos dormir, nada de brincadeira nem conversa.

– não temos deixado ele dormir mais de 1,5h durante o dia. quando ele quer dormir mais, abrimos a janela, fazemos barulho de leve até acordar, ou simplesmente pegamos no colo e gentilmente acordamos.

– procuramos manter um intervalo de 2-2,5h entre as refeições, mas peço que a babá sempre tente manter o último leite do dia por volta de 15:30h, para que eu regule o horário da mamada-antes-de-dormir pra perto de 19:30h, que relaxa bastante o bebê e ajuda a dormir mais fácil (é incomum o otto dormir mamando, acreditem se quiser…)

– ele costuma dormir de chupeta, mas tiramos depois que ele dorme profundamente. a chupeta acalma bastante, e com os dentinhos nascendo então, é a salvação. mas tiramos sempre depois de um tempo, senão ele tira sem querer e acorda BRAVO.

update: esqueci do mais importante! quando ele completou 6 meses, comecei a anotar toda a rotina dele num caderninho, diariamente. a babá, eu e o pai mantemos os seguintes dados lá – hora que acordou/dormiu, mamou, comeu, fez cocô e dormiu (e por quanto tempo). essas anotações nos ajudaram a entender o ritmo dele, e também servem pra que eu saiba o que aconteceu com ele durante o dia quando chego do trabalho. considero essencial!

das muitas coisas que acontecem ao mesmo tempo

olha, um amigo diz que ter filhos é conhecer a vida selvagem, e é mesmo. não que por enquanto a coisa seja “selvagem”, mas no sentido de se conectar às coisas mais básicas de ser humano, ou ser bicho.

estamos aqui na fase de alimentar o bebê (além do leite) e observar como o trato digestivo se comporta. ao mesmo tempo, os dentes irrompem pelas gengivas do menino, transformando-o numa piranha assassina.

já disse por aqui do quanto o bebê é basicamente uma fábrica de excreções e fluidos corporais em geral. vivemos estes primeiros meses em função do xixi, cocô, vômito, baba e meleca (quando há), e ficamos felizes quando o cocô dá sinal de vida. a pior coisa que pode acontecer a um bebê é não fazer cocô (o que me lembra aquela ótima piada sobre quem é o mandachuva do corpo humano – o cu, e não o cérebro, lembrem sempre).

desde que iniciou a alimentação sólida, o otto estava com o cocô ótimo: mudou de líquido para pastoso, mas tudo sob controle. pois desde a inserção da carne vermelha o intestino prendeu um pouco, dificultando a vida dele e a nossa. hoje pela primeira vez ele precisou de ajuda para fazer cocô, e graças aos céus a super-babá dele estava aqui. ela basicamente obrigou o menino a fazer cocô: perninhas apoiadas sobre a barriga, empurrando, e óleo pra lubrificar. havia cocô, e ele não conseguia fazer (apesar de fazer força) porque estava endurecido. com a ajuda, fez muito – MUITO – cocô mais durinho, até chegar na consistência normal pra idade (pastoso). santa babá, porque eu já teria que apelar para o supositório, não saberia conduzir o procedimento. mas observei e aprendi, e se precisar fazer de novo já sei como é.

como se não bastasse, ele já está com 2 dentes embaixo e mais vários querendo rasgar a gengiva. tem pelo menos mais 1 embaixo e os 2 de cima (centrais) estão prontos pra sair. um deles está deixando a gengiva roxinha (como um hematoma), e segundo o pediatra é normal (às vezes o crescimento do dente rompe vasinhos). o menino morde tudo que vê pela frente, judia da chupeta loucamente, morde nosso braço, o ombro, queixo, nariz, mãos, qualquer coisa, pobrezinho. morde como cachorrinho pequeno, de chacoalhar a cabecinha. não imagino a dor e coceira que deve sentir, judiação.

pois junte os dentinhos nascendo e o cocô preso, e terá um bebê irritado e com problemas de sono. acorda de 2 em 2 horas, chorando, mordendo e reclamando. e nós aqui, tentando fazer o melhor pra que ele passe por essa fase sem muito sofrimento.

e dizem que temos sorte, pois há bebês que adoecem nessa fase, e ele não teve nada além do incômodo.

ainda quer ter filhos, meu bem? 🙂

dizem que melhora, e é verdade. mas também é mentira :)

bom, chegamos aos tais 6 meses, o grande marco dessa fase da vida do bebê. a verdade é que melhora sim, por vários motivos, mas outras coisas pioram também (e já estou percebendo que continua assim, forever and ever).

o que melhora nesta fase: você conhece melhor o bebê, e já não é tão difícil saber o que ele quer (comer, dormir, trocar fralda, brincar, etc.); o bebê interage bem nessa fase, sorri e brinca, o que facilita ter prazer em estar com ele sem tanta tensão e preocupação; a freqüência de mamar provavelmente já diminuiu (a cada 4h) e já não é mais tão cansativo, a gente dorme um pouco mais.

o que piora (ou fica mais difícil): o bebê demanda mais atenção, não basta estar ali, tem que participar 🙂 além disso, se seu bebê for como o meu, os dentes vão começar a aparecer e esse é um processo horroroso. dói, o bebê sofre e não há muito que se possa fazer. caso seu bebê durma bem, é possível que pare de dormir bem e acorde muito à noite. o otto sempre dormiu à noite (acordando para mamar), e continua não acordando completamente, mas chora durante a madrugada com muito mais freqüência agora com os dentinhos. fica claro que ele está sofrendo e não há muito o que fazer.

a questão do sono é a que mais nos preocupa no momento. o otto sempre teve muito sono a partir de 19h, e costuma dormir às 20h. mas ele nunca dormiu uma noite inteira sem interrupção. no início nós o acordávamos pra mamar a cada 4h (até o segundo mês), depois ele mesmo acordava 1 ou 2 vezes por noite para mamar. até pouco tempo atrás essa era a rotina, e agora ele começou a acordar a cada 2 horas, muito incomodado. como coincidiu com os dentes, acreditamos que seja isso.

nosso pediatra é da linha “deixa chorar” (pra dormir) e “não amamente durante a madrugada a partir dos 6 meses”. nós nunca deixamos o otto chorar (e não vamos deixar tão cedo), simplesmente porque não acreditamos que fará bem a ele ou a nós, e eu tentei não dar o peito das 23 às 5, mas com o incômodo do dentinho desisti dessa idéia. vou dar o peito a cada 4h durante a madrugada se ele quiser. até porque ele vai parar de mamar no meu peito 2x por dia (vou voltar ao trabalho), e pode estar simplesmente sentindo falta do contato. amamentá-lo na madrugada não me incomoda tanto, tenho muita facilidade pra dormir.

o problema é quando o fer não estiver disponível pra cuidar dele durante a madrugada, acordando a cada duas horas… aí eu vou ter que cuidar dele, amamentar e trabalhar o dia todo no dia seguinte. antevejo dias de zumbi. mas procuro ter esperança que vai passar logo, e vou sobreviver sem grandes dramas.

morro de inveja de pessoas cujos filhos dormem a noite toda desde pequenininhos, afe.

bom, tendo alguma dica pra essa fase dentinhos e problemas de sono, deixem comentário por favor. qualquer ajuda é bem-vinda. achamos alguns links que podem ser úteis, se você chegou aqui procurando ajuda (e encontrou uma mãe perdida :D): kellymom (melhor site sobre amamentação e outras coisas que já vi, mas é em inglês), discussão sobre sono no multiply, relato de uma mãe sobre padrão do sono do seu filho, dentição no orkut, artifo sobre dentição e relato de como os dentes afetaram o sono dos filhos.