altos e baixos

o otto está muito, muito engraçado testando várias coisas no vocabulário recém-adquirido, entre elas o diminutivo. não sei se é porque usamos muito, involuntariamente, mas ele está com mania de tudo INHO. ottinho, soninho, denguinho, saladinha, JOTINHA (até as letras ele diminui)…

especialmente quando ele quer nos sensibilizar ou fazer gracinha, é tudo “inho”, mas ontem chegou no limite da cara de pau (e da graça) — ele fez alguma malcriação, acho que jogou a garrafa de água no chão e se recusou a pegar. fui lá e fiz ele pegar, ele esperneou, chorou, fez o maior drama e aí pediu o IPAD. aproveitei a deixa, avisei que não senhor, não ia ter ipad porque tinha sido mal educado, que na próxima vez não jogasse a garrafa e pegasse quando depois.

aí começou o berreiro, lágrimas e lágrimas, e depois de vários nãos ele tentou: IPADINHOOOOOO. não dei, mas tive que me esconder pra não morrer de rir 😀

**

e tem o inverso — ele alterna entre INHOS e GANDÃO. ele adora quando a gente fala que alguma coisa é maior, grande, e repete com um tom bem dramático — GANDÃOOOOO (normalmente fazendo gesto de grandão com as mãos também).

essa semana, nos devaneios antes de dormir, já deitado e no escuro, ele começa: caminhão… gandãaaaaaooooo… enóooooooime!… trator!

e a gente vai resistindo à tentação de morder e apertar, de tanta fofura <3

**

ele também tem explorado bastante o quente/frio, quente/gelado (ou GELADINHO), mas vive confundindo. o que ele nunca confunde é em cima e embaixo, que fala direitinho. ele já entendeu o que é pesado, ainda não vi falando que nada é “leve”, no entanto.

dentro e fora me parece que ainda confunde um pouco quando se trata de recipiente, mas dentro e fora de casa ele sabe muito bem o que é 🙂