grécia, dia 12: lefkada – meteora

esse foi um dia passado no carro, praticamente. pra nós, que adoramos estrada, foi maravilhoso. fomos da costa oeste da grécia para a parte central, no meio das montanhas. descobrimos, aliás, que há várias estações de esqui na região montanhosa para a qual nos dirigimos, a tessália.

curiosidade: minha bisavó por parte de pai se chamava thessalia, um nome que eu aliás adoro.

antes de sair de lefkada, visitamos a fortaleza agia mavra, que “guarda” a entrada da cidade. é interessante, mas muito menos cuidado que outros sítios arqueológicos que vimos na viagem.

antes de enfrentar as montanhas, decidimos parar num local pouco visitado porém muito impactante: dodona, o mais antigo dos oráculos gregos.

além de estar situado num local espetacular – que justifica inclusive a escolha de zeus em se manifestar naquela árvore específica 🙂 – o sítio arqueológico tem um teatro muito bem preservado e informações históricas preciosas espalhadas pelo caminho.

segundo conta a história, esse foi o oráculo mais importante da grécia (e do mundo) por muitos séculos, iniciando suas operações por volta do século VI antes de cristo. a deusa gaia era então cultuada, zeus e os demais deuses do olimpo vieram bem depois, incorporando as culturas mais antigas. uma coisa muito legal deste museu ao ar livre é que há mapas indicando, com cores, o que é de cada época, então você pode ver o efeito das invasões culturais transformando o que antes era o templo de gaia em tempo de afrodite, por exemplo.

fizemos nossas orações a zeus e continuamos nossa viagem pelas montanhas.

as paisagens da estrada são maravilhosas: passamos por serras, estradas sinuosas e cidades minúsculas com suas igrejinhas impecáveis. a grécia de verdade é bem diferente de santorini, com aquelas casas caiadas e cúpulas azuis. a maior parte da grécia é rústica, seca e cheia de cores quentes.

num boteco no meio da estrada, em um lugar que sequer sabemos o nome, comemos a melhor refeição de toda a viagem: salada grega feita com ingredientes da horta, souvlaki simples e impecável e o melhor tzatziki do universo. os tomates mais doces, o pão mais fofo, ah!

e chegamos, no final do dia, ao nosso desejado destino, meteora. mesmo com um céu cheio de nuvens não nos decepcionamos com o visual:

e já aviso: nem esta nem as demais fotos das imensas montanhas de pedra fazem jus à beleza e espírito do local. há de fato um ar de mistério e santidade naquelas pedras imensas no meio das árvores e dos muitos tons de cinza por toda parte.

Deixe uma resposta