enxugando prato com o santo sudário

o que essas três mulheres têm em comum: paula, denize e euzinha?

talento, beleza, dinheiro, você vai responder. mas não é nada disso, o que nós temos mesmo é um azar do caralho. dentre tantas criaturas que têm blog nesse mundo, nós somos as escolhidas pelos psicopatas do comentário. nós somos as que recebem aqueles comentários escrotos e anônimos, xingando nossas santas mães ou colocando em questão nosso bom nome.

eu já falei disso um monte aqui, então em homenagem ao nosso karma ruim ou o que quer que seja que tenhamos feito ao universo pra que ele nos castigue, segue a lista de posts dedicados à escória do mundo blog – os comentaristas violentos anônimos.

cyberbullying

assombração digital

mundo, esse lugar horrível: na internet

a netiqueta perdida

mas confesso que a curiosidade me corrói – por que diabos criaturas que não nos conhecem nos odeiam tanto? tanto ódio só seria justificável se alguma de nós tivesse matado ou torturado alguém bem próximo da família ou coisa assim. insano!

0 comments to “enxugando prato com o santo sudário”
0 comments to “enxugando prato com o santo sudário”
  1. Zel,

    a resposta pra tua pergunta é bem simples: felicidade alheia incomoda muita gente, principalmente gente amarga e que não consegue ficar feliz vendo os outros felizes. Ligue não. Esse tipo de gente nem merece comentário. Por via das dúvidas, deixe um pouco de sal grosso e um galhinho de arruda por perto. Beijo

  2. paula: os meus comentaristas anônimos eu tenho 100% de certeza que não me conhecem, porque os comentários são absurdos.

    mas no passado, tipo lá em 2001, eu SEI que os comentaristas me conheciam, inclusive alguns deles eu descobri depois que eram, supostamente, meus amigos. scary.

  3. A Zel, liga não…

    Eu sei q incomoda, mas em compensação tem um montão de gente como eu, que só lê os seus posts sem tecer qq comentário, mas q vem aqui TODOS os dias (não raro, várias vezes ao dia) e que te adora de paixão.

    Beijos

  4. Os meus malassombros definitivamente não me conhecem. Se me conhecessem iriam saber que é infinitamente melhor ser meu amigo do que inimigo, ora pois. Mas tu sabe amigam, eu fico cada dia mais triste em perceber como existe gente infeliz e sem conserto nesse mundo. Ai.

  5. Oi Zel,

    Sabe como é… cada um dá o que tem.

    Você, através do seu blog, me proporcionou um dos insights mais importantes da minha vida com o post “sobre o cuidado com o próximo” e achei que só alguém de muita fibra e coragem faz uma auto-crítica tão aberta e num blog.

    Já os agressivinhos de plantão precisam se esconder e agredir… ou seja… cada um divide com os outros o que tem e o que pode.

    Sou mais você!

    Bjs

  6. POis é, essas pessoas imbecis é que levaram a Denize a apagar todo o arquivo do blog dela e a ter que ficar pesando o que pode ser publicado e o que não pode.

    Pior que eu me divertia muito com as histórias do Théo ;P

    Eu comprei o livro “A Breve História de Quase Tudo”, espero que eu goste tanto quanto vc.

    Ah, vc já viu todas as temporadas de House? Qual é a melhor?

    Eu comecei pela primeira temporada, é bacana, mas não tanto quanto eu tinha imaginado. Talvez alguma outra temporada seja melhor..

    Bjo

  7. Eu acho que a pessoa não tem vida própria, quer viver a vida alheia e tem uma mega inveja. Só pode ser isso. Por que entrar num blog que você “odeia” tanto o dono e ainda se dar o trabalho de comentar? Não entendo… Beijos

  8. OI Zel.

    Assim como a Renata, eu tbm te leio sempre, mas nunca deixo comentário. Leio tudo com gosto, às vezes discordo, muitas vezes concordo, e me pego pensando no que eu te diria sobre esse ou aquele assunto, mas é algo que só valeria pessoalmente (pelo menos tenho essa sensação), porque email é aquela coisa de não ver gesto, não ver olhar… E a aí a mensagem não é completa.

    Bom, divago. Há muitos e muitos anos, quando eu mantinha um blog de maneira decente, como você, também passei um pouco por isso. Gente que ofende gratuitamente. Gente que não quer nem saber se vc está num mau dia, essas coisas. Aí, comecei a pensar que talvez eu tbm agisse assim algumas vezes, mas de maneira presencial, de fazer comentários desnecessários, por qualquer motivo, sem querer saber se a pessoa queria ouvir ou não.

    Claro que o anonimato “facilita” muita coisa para os covardes (defeito que graças aos céus eu não tenho), e talvez por isso eles se soltem mais e nunca, nunquinha se consertem.

    Acho que, no fundo, além de ser muita falta do que fazer, deve ser uma tristeza profunda só ter isso pra passar o tempo: agredir os outros, conhecendo ou não (mas acho que conhecendo é pior).

    Então, depois de um tempo, meu blog nem tinha mais espaço pra comentários. Eu tirei, arbitrariamente. Mas perdi boa parte da interação com o mundo e com quem lia o que eu escrevia. Aí deixei meu email, um endereço só pra isso, porque daí dava pra selecionar melhor. E veio cada coisa tão bacana, que acabava compensando tudo.

    Bom, acabei me alongando, tá vendo? Vc e a Denize eu só vi uma vez, e posso garantir a parte da ‘beleza’. A Paula é praticamente parte de mim, e atesto, além da beleza, o talento e o dinheiro (que, aliás, ela conseguiu com o blog, mas não conta pra ninguém). Portanto, é compreensível que vcs atraiam de tudo, e aí, no meio do trigo…

    um abraço,

    Ana

  9. Faço dos meus os comentários da Daniela. Acho tb que a net é o espelho do que acontece no “mundo real”, com muita gente sendo cada vez mais agressiva e não admitindo a evolução alheia.

    Beijos

Deixe uma resposta