um dito popular e uma pausa

dizem que quando não temos nada de bom a dizer é melhor calar, e acho que é um bom momento de exercitar o silêncio.

as coisas não vão bem por aqui e não quero propagar problemas, então espero que entendam a pausa e continuem com pensamentos bons. pensar e agir para que tudo dê certo pode não ser suficiente mas é necessário.

fiquem bem por aí, volto logo.

10 comments to “um dito popular e uma pausa”
10 comments to “um dito popular e uma pausa”
  1. Oi querida, sempre leio o seu blog mas nunca comento…

    Força, sei que é difícil mas o único consolo é que aproveitamos cada momento com essas criaturinhas queridas que fazem parte da família como um filho ou irmão e enchem a nossa vida de alegria.

  2. Oi Zel … acompanho seu blog há um tempão. Adoro !! Seguinte, sei que você gosta de HQ e tenho uma oferta. Estou com dificuldades financeiras e precisei dar uma geral na minha biblioteca. Como vender para sebos nem sempre é o melhor negócio, pelo menos para quem vende, estou tentando vender direto, sem atravessadores …:-)

    Toda a Mafalda (Quino)- em portugues, capa dura, novo, em ótimo estado = R$ 50,00 // O Mundo é Mágico – Calvin e Haroldo – em português, capa mole, também novo e ótima conservação = 25,00.

    Se interessar, se comunica comigo,ok ? Moro em Campinas.

  3. Conte com meus pensamentos bons pra que tudo fique bem.

    Posso tentar te animar? Olha a piadinha abaixo:

    Há um conto milenar japonês que é mais ou menos assim:

    Em uma planície, viviam um urubu e um pavão. Certo dia, o pavão refletiu:

    – Sou a ave mais bonita do mundo animal, tenho uma plumagem colorida e exuberante, porém nem voar eu posso, de modo a mostrar minha beleza. Feliz é o urubu que é livre para voar para onde o vento o levar.

    O Urubu, por sua vez , também refletia no alto de uma árvore:

    – Que infeliz ave sou eu, a mais feia de todo o reino animal e ainda tenho que voar e ser visto por todos, quem me dera ser belo e vistoso tal qual aquele pavão.

    Foi quando ambas as aves tiveram uma brilhante idéia em comum e se juntaram para discorrer sobre ela: o cruzamento seria ótimo para ambos, gerando um descendente que voasse como o urubu

    e tivesse a graciosidade do pavão!

    Então cruzaram-se. E daí nasceu o PERU: QUE É FEIO PRA CACETE E NÃO VOA!!!

    Moral da história: “Se tá ruim, nem vem com gambiarra que piora!”

    hehehe não é das melhoras, mas ah…

Deixe uma resposta