o de sempre: não tenho tempo

ter eu tenho, mas é pouco graças ao trabalho que aceitei e que é maior do que minha capacidade de entregar. então me concentro: nada nada nada que não seja eu mesma, meu marido, minha casa, minha família, meu círculo mínimo de amigos.

sinto pela ausência em algumas outras esferas, mas acho que finalmente estou aprendendo a respeitar meus limites e priorizar interesses. a pedra no sapato continua sendo meu foco enorme no trabalho, em detrimento de outros interesses. mas eu vou devagar e sempre, e sei que chego lá.

**

hoje na conversa matinal com minha irmã (sempre falamos no mínimo 20min por dia, enquanto eu dirijo pro trabalho) tive uma epifania (aliás, que palavra linda! :)) e estou ainda um pouco balançada por ela. muito do que sou é uma reação violenta a comportamentos familiares que eu abomino. meu medo de repeti-los é tão grande que me transformei no inverso (o que é tão ruim quanto, convenhamos).

e pra juntar lé com cré, peguei emprestado e estou lendo a auto-estima do seu filho, que é a base da linha terapêutica que eu frequentei por 3 anos. milhares de fichas caem loucamente a cada parágrafo, e eu não sei onde colocar todas elas.

se você não leu, faça-se um favor: leia. se você tiver filhos, faça um favor a eles e leia pra ontem.

**

uma amiga comentou comigo neste fim-de-semana que quando fez a festinha de aniversário do seu filho, ficou na dúvida sobre pedir ou não confirmação de presença. estava em dúvida porque alguém disse pra ela que pedir pra confirmar presença é falta de educação.

como assim, pedir confirmação é falta de educação? o mundo virou de cabeça pra baixo ou o quê?

pessoal, atenção: confirmar presença quando é convidado é questão de gentileza; confirmar presença quando a confirmação é requisitada é questão de boa educação. seu anfitrião poderá recebê-lo melhor se todos forem gentis e educados o suficiente para confirmarem sua presença. tenha educação.

isso pra não dizer dos que confirmam convites pessoais e não aparecem e nem dão satisfação. ca-fo-na, horrível. poucas coisas me deixam mais chateada que falta de consideração com convites pessoais tratados com descaso. não pode ir, não quer ir? avisa. é bonito,é educado, é fino.

seja fino: peça confirmação, confirme, avise seu anfitrião que não pode comparecer. gentileza, gente, não custa nadinha.

11 comments to “o de sempre: não tenho tempo”
11 comments to “o de sempre: não tenho tempo”
  1. Pois É Zel!

    Eu trabalho com isso e sei da falta de educação, noção e amor para com os anfitriôes que gastam uma grana com uma festa e convidado caga e anda pra eles.

    Por isso fico P da vida quando pessoas ao meu redor, digo Norbies tb, enrola com o “vai ou não vai”.

    Bjs

  2. Como sempre, posts perfeitos… vou procurar o livro para dar à minha mãe. Seria uma ofensa?

    Quanto ao RSVP, indelicado é não confirmar. Para precisar pedir confirmação, é pq ficamos (por causa do bolso, na maioria das vezes) no limite de convidados, deixando até de chamar um ou outro que esteja mais distante. Aí aquele que é chamado (privilegiado mesmo), nem dá as caras nem se justifica? Ah, Zel… pode apostar, este eu já cortei da festa do ano que vem!

    Beijocas, lindona!

    Ah, e enqt sua vida estiver nessa correria gostosa, eu só peço pra vc não sumir por muito tempo, mas vou entender =o)

  3. Eu já fiz dessas (confirmar e não ir e nem avisar) e me envergonho até hoje. Realmente é péssimo!

    Desculpas aos penalizados pela minha falta de educação…hahahaha

    “Epifânia”. Se eu tivesse outra filha, colocaria esse nome. *HAHAHAHA*

Deixe uma resposta