by
on
under
tagged
Permalink

história #16: nospheratt

Tô com o coração a mil. Não é fácil contar as histórias que valem a pena ser contadas, aquelas que mudaram o rumo da sua vida para sempre, da forma menos esperada. E esta é uma história dessas. É a história que conta porque e como eu sou o que sou hoje, é a história da minha origem.

Tive que brincar de arqueóloga para encontrar os links que fazem parte dessa história, e vocês vão gostar do tesouro que desenterrei. Vamos lá?

Voltando no Tempo

O ano é 2006. Há pouco tempo tive condições financeiras de explorar a Internet, esse admirável mundo novo. Eu ignorava completamente a existência desse troço chamado “blog”. Navegava muito em sites de receitas, e em um deles descobri que a colunista com os melhores textos tinha um blog: o Drops da Fal. Virei leitora assídua. E lá na Fal, descobri a Zel.

E descobrir a Zel foi um acontecimento digno de ser comparado com os acontecimentos relatados em “1492: A Conquista do Paraíso“. Pelo menos para mim, claro está. Foi uma apoteose descobrir alguém que pensava exatamente como eu sobre muitas coisas; e que quando discordava radicalmente do que penso, me fazia refletir. Virei fã absoluta e desavergonhada, de pagar pau mesmo (condição que mantenho orgulhosamente até hoje).

Comecei a deixar comentários no blog. Trocamos emails, conversamos no MSN. E eu continuei lendo e deixando comentários épicos no blog da Zel, e mandando emails homéricos. Ela sempre foi de uma fineza sem par, e recebeu minhas copiosas laudas com toda a graça e a simpatia que ela tem.

Eis que senão quando, ela publica no final de Junho de 2006 um post intitulado “A netiqueta perdida” (que continua absolutamente atual, embora ela comece o post falando de “uma febre dos anos 90, a netiquette). E nesse post, ela escreveu um parágrafo que foi para mim a descoberta da pólvora:

Se você é cheio de opinião e precisa compartilhá-la com o mundo, abra seu blog e mande bala ao invés de encher os comentários ou livros de visita alheios.

(Sim, livros de visitas ainda eram muito usados nessa época) Embora ela não tenha escrito esse parágrafo pensando em mim – eu sei porque eu perguntei – eu fiquei simplesmente estarrecida. Nunca tinha me ocorrido que eu poderia abrir um blog. Um blog meu. Um lugar onde publicar o que eu escrevo desde antes de saber escrever. Um blog! A descoberta da pólvora.

E se Zel assim o disse, melhor ainda eu o fiz. Bem, não tão melhor assim, porque abri um blog no falecido e deficiente Weblogger do Terra. Esse blog durou duas semanas, e eu migrei de mala e cuia para o Blogspot. Assim nasceu, em Julho de 2006, o “Peccata Minuta”, que posteriormente se transformaria no Deusario. Logo depois criei no Blogspot a primeira encarnação do que hoje é o Blosque.

O resto, como dizem por aí, é história.

Ponto de Inflexão

Minha vida mudou para sempre, no momento em que a Zel publicou aquele post. Com os blogs, encontrei meu espaço, amigos, e até minha profissão. Minha vida hoje seria completamente diferente, se eu não tivesse descoberto a Zel. Se ela não tivesse escrito aquele post. Se ela não tivesse me encorajado a blogar. Jamais vou poder agradecer o suficiente por ela ter me mostrado o caminho.

Eu creio firmemente que blogs podem mudar vidas. O blog da Zel mudou a minha, para melhor e para sempre.

Obrigada, Zel. Do fundo do meu coração, onde você tem um lugar mais do que especial. 🙂

**********************************************************************************


nospheratt é mais uma do grupo “gente que faz”. ela é uma mulher de paixões, e digo sem constrangimento que eu também me apaixonei por ela. a mulher é envolvente, cheia de vida e de idéias, sentimentos. é daquelas pessoas intensas, com as quais dá vontade de ter um caso! hahahhahahahaha 🙂

(sorte dela que essa fase da minha vida ficou pra trás. ou sorte dos nossos maridos e azar nosso, sei lá:D)

falamos longamente por email, sobre muitas coisas. conversas sempre muito gostosas e cheias de idéias, que me fizeram pensar. ela é honesta, não tem medo de perguntar e nem de se expor. gostei (e gosto) muito disso. ela tem sido pra mim uma fonte de constante admiração – realmente me impressiono com pessoas que correm atrás do que querem com paixão, e perseveram. é porque tenho lua em sagitário, sabe? 🙂 sou do tipo que cria e inventa mas não segue adiante. eu desisto, encho o saco, enjôo. começo tudo e não termino nada. inconstante, cheia de vontades. e morro de inveja de quem vai lá e termina as coisas, entrega.

você, nospheratt, é uma guerreira, daquelas de contos e histórias de lenda. mulherona poderosa, que corta cabeças e acredita no que diz. mas que também tem humildade de mudar, reconsiderar, pensar e se recriar. e você é bonita, interessante, generosa. é uma honra e um prazer ter conhecido você e ainda tê-la sempre por aqui, pertinho.

continue por perto, tá? mesmo que não nos falemos com tanta frequência quanto gostaria, o carinho e admiração estão aqui pra ficar. você ganhou um lugar enorme aqui no meu coração e no mundo blog, amiga! 🙂

Deixe uma resposta