somos sempre iguais a nós próprios

ultimamente não tenho lido nem visto e nem escutado quase nada (além das vozes na minha própria cabeça :)). trabalho, empreendimentos novos, bebê e casa ocupam meu tempo de uma forma que nunca imaginei possível. dormir virou luxo, alimentação e higiene é quando dá tempo, sabem como é.

mas no meio do caos, um cd lindo do renato braz tem sido um alento: outro quilombo. gosto muito do trabalho dele, e esse cd é especialmente delicioso, porque tem canções de um outro cd que gosto muito, a música em pessoa (com poemas de fernando pessoa musicados e muito bem interpretados).

segue o teu destino / rega tuas plantas / ama tua rosa / o resto é sobra de árvores alheias.

e tem também cd da vila sésamo e musiquinhas do rá-tim-bim, pra alegrar o otto 🙂

**

na minha rotina maluca, sobrevivem as séries preferidas (grey’s anatomy, private practice e supernatural, que não perco nem que mundo acabe), o café da manhã e os horários de tirar leite pro menino. e só. o resto, é como o patrãozinho mandar ;D

**

estou iniciando um empreendimento muito legal, que ainda não posso contar (só quando estiver quase pronto). estou muito feliz com a possibilidade de ter um negócio nosso pra cuidar, além do meu trabalho. dá uma sensação gostosa de fazer algo do zero, que pode crescer muito. estou super animada e conto mais logo que puder. contarei com a ajuda de todo mundo que me lê aqui pra divulgar, viu?

**

esse fim de semana vamos para a praia com o otto pela primeira vez. estou bem animada, e morta de medo da trabalheira que vai ser pra ficar confortável com ele fora de casa. ele está comendo super-bem, vou ter que levar MUITA fruta pra ele (e pra mim), o que por si só já é uma trabalheira. e o berço, as coisinhas dele, protetor solar e etc etc etc. muito medo da quantidade de tralha que vamos ter que colocar no carro 🙂

pra não falar da viagem em si, já que ele odeia o bebê-conforto. grita e esperneia depois de 10-15min ali. todos torçam pra gente não largar ele pra viver com os bichos-preguiça da serra do mar 😀

5 comments to “somos sempre iguais a nós próprios”
5 comments to “somos sempre iguais a nós próprios”
  1. Cada bebê é diferente, mas a minha ODIAVA viagens e só se alcalmava com Os Saltimbancos. E eu tinha que cantar junto, e fazendo muitas mímicas de preferência. Papeis coloridos, brinquedinhos de borracha ajudavam também. Coisas para comer idem. Eu sempre pensava que na pior das hipóteses eu mudaria para o banco de trás, mas nunca precisei. E olha que fiz viagens de mais de 8 horas de carro.
    Boa sorte! Boa praia!

  2. oi ivanise td bem uma sugestão q meus pequenos adoram, alem do cocoricó e desenhos da tv cultura q p sinal fica o dia inteiro se tiver cçs aqui rsss, tem palavra cantada q ate eu adoro, toquinho dvd, galinha pintadinha q tem cantigas q agente cantou muito, e musicas do cocoricó, backyardigans (esse é demais tem um clipe da torta bruno ia na cozinha e pegava uma colher p dançar d+ :)rss), desenhos: peixonauta, sid o cientista e p ai vai, sabe qual desenho ele gosta ate o pica-pau!!!! rssss
    ahhh saudades da infância q nao volta mais……bjs e abração

  3. Zel,
    Vc mudou o blog…voltou a trabalhar…voltou a escrever.
    Meu sais please.
    olha..vc continua escrevendo bem pacas..eu e que acabei me enrolando e não tenho vindo tanto a sua casa.
    mais felicidades neste tudo novo de novo

  4. Zel, vc por acaso já viu o Renato Braz cantando com o Zé Renato (Boca Livre)? Fui num show dos dois o ano passado na Fecap aqui em SP, maravilhoso!!!
    No CD do Boca Livre tem uma apresentação deles com o Renato Braz cantando uma música do Boca, perfeito! Recomento.

Deixe uma resposta