dia da mulher — de novo!

pra mim todo ano o dia da mulher é um acontecimento. é meu aniversário, afinal, e AMO o dia do meu aniversário. sei que tem quem não goste (não entendo) mas eu adoro, e aproveito cada minuto com muita felicidade. é o meu dia, o dia mais feliz!

mas é inevitável: esse é também o dia de ser inundada com propaganda ruim “homenageando” as mulheres, receber parabéns, ouvir piadas (“e o dia dos homens, não tem?”) e ouvir mulheres xingando ou reclamando das “homenagens”.

sou feminista, casei com um homem feminista, tenho uma mãe feminista. conheço bem o significado do dia da mulher, e sempre que tenho oportunidade divulgo isso para os amigos, família, pra quem quer que tenha ouvidos pra ouvir. não é um dia para comemorar, mas antes para lembrar e refletir sobre a desigualdade ainda tão enorme no mundo e no brasil. conquistamos muito — aliás, nossas antecessoras o fizeram! todas as homenagens a elas! — e ainda tem tanto, muito a conquistar. é uma luta de todo dia, toda hora. é responder a cada manifestação machista, e ensinar meu filho a ser um homem feminista.

leiam esse artigo ótimo do sakamoto com alguns exemplos de machismo diário. e esse ótimo texto da clarah averbuck sobre o mesmo assunto.

porém nada disso me convence ou impulsiona a recusar uma gentileza, um abraço, um sorriso. não pesquisei aqui no blog pra ver se em algum momento eu reclamei do dia da mulher, mas se reclamei, desreclamo. não sei se é a idade ou simplesmente a experiência prática, mas afirmo que ser gentil e firme é a melhor forma de lutar todos os dias por um mundo melhor. pense bem, o que você conquista mandando alguém “enfiar essa rosa no cu” no dia da mulher? melhor faria você se protestasse e reagisse diariamente aos pequenos insultos, comentários, piadas, desigualdades. há o que precise de agressividade, briga, porrada mesmo, estou de acordo e quem me conhece sabe muito bem que saio na mão se necessário (e ganho, tá?), mas não há de ser um parabéns, um chocolate ou uma rosa.

acredito que o mundo também muda com a gentileza e não só com a porrada. que é mais fácil se fazer ouvir sem precisar gritar. minha experiência de 41 anos, completados hoje, confirma essa crença. sou melhor quando sou gentil, as pessoas me ouvem mais e melhor, as coisas mudam.

é bem possível que eu tenha recusado rosas no passado, que tenha xingado, e esperneado. hoje eu aceito a rosa, puxo pelo braço e, com um sorriso, conto uma história. explico porque é um dia de refletir, pensar e mudar. e nem todo mundo muda, claro, não é mágica afinal. mas a sementinha foi plantada, e eu garanto que elas sejam devidamente regadas. não é um trabalho de 1 dia, 1 encontro, é ação pra toda a vida. e eu não desisto.

já em relação a propagandas machistas de todas as naturezas (produtos de limpeza, cerveja, maquiagem, carros, revistas de beleza), sou bem mais dura: simplesmente boicoto. não compro. simples assim. podem arrancar dinheiros de outras mulheres menos esclarecidas. aqui deste bolso desta mulher muitíssimo bem sucedida vocês não tiram 1 centavo, seus abutres idiotas.

(too much for kindness, i guess :))

**

e uma das coisas lindas que ganhei de aniversário foi esse vídeo delicioso feito pelo meu marido querido. espero que gostem tanto quanto eu gostei.

8 comments to “dia da mulher — de novo!”
8 comments to “dia da mulher — de novo!”
  1. 1) Que video delícia!
    2) Ah, se todos fizessem isso “se protestasse e reagisse diariamente aos pequenos insultos, comentários, piadas, desigualdades.”, preconceitos…. esse mundo seria muito mais educado!
    3) “desta mulher muitíssimo bem sucedida” como eu gosto de ler/ouvir esse tipo de frase, se referindo a qualquer aspecto da vida, seja financeiro, intelectual…..
    É um dia importante pra mim, o dia do nascimento da minha avó que foi a mulher mais exemplar, mais forte que conheci! 🙂

Deixe uma resposta