Privilégios

Às vezes eu fico pensando aqui que deve ser muito bom nascer em família que tem gente que todo mundo foi pra universidade, viajou de avião, teve carro, casa própria, estudou em escola particular.

O Otto tem uma parte da família que é assim (a do Fernando), já a minha… tem outra história. E eu valorizo muito essa experiência. Não é que eu queira romantizar o perrengue não, é que a escassez faz a gente ver as coisas com mais clareza, sabe?

Eu vejo tanta gente que não percebe o enorme privilégio que tem de vir de uma família com formação universitária, que estudou em escola particular… meu maior drama é dar pro Otto todas as oportunidades que eu puder, mas ao mesmo tempo ensinar pra ele que muita gente, como eu, não teve o mesmo privilégio. E que tem muita gente que teve ainda mais barreiras que eu.

Cada um de nós precisa enxergar isso pra conseguir fazer do mundo um lugar mais justo e mais legal. E pra não ser cuzão.

Deixe uma resposta