Archive

Posts Tagged ‘receitas’

granola feita em casa

outubro 15, 2014 Leave a comment

não é dos meus alimentos preferidos, mas o Otto adora e eu comecei a gostar depois de comer com fruta (com leite e iogurte eu gosto mais ou menos). mas como não achei nunca uma granola industrializada que eu realmente gostasse, tentei uma caseira de uma moça muito prendada lá de santa catarina. amei! só que como o frete não compensa, resolvi arriscar fazer em casa, por conta própria, e não é que deu certo?

ficou super bom. na próxima receita vou mudar 3 coisas: colocar menos mel/melado (ficou super caramelizada, mais do que eu gosto); tirar do papel manteiga enquanto estiver ainda quente, e colocar num outro recipiente; e (óbvio, erro meu) colocar frutas secas DEPOIS da granola pronta.

de resto, é de comer rezando.

ingredientes

1 xícara e 1/2 de flocos de milho

1 xícara e 1/2 de aveia em flocos

1 xícara de flocos de arroz

(OBS: são 4 xícaras de cereais. pode misturar na proporção que gostar mais, inclusive trocando os cereais)

1/2 xícara de coco ralado seco

1/2 colher de chá rasa de sal (opcional, mas eu acho que fez muita diferença, pra melhor)

1/2 xícara de amêndoas picadas (cruas) ou qualquer outra castanha da sua preferência

1/2 xícara de sementes de girassol ou qualquer outra da sua preferência

1/3 xícara de semente de linhaça (ou gergelim; ou chia; ou não coloque :D)

1/2 xícara de frutas secas (usei cranberries. pode colocar mais, pode colocar qual quiser. mas coloque DEPOIS de pronta a granola)

200ml de mel ou melado (eu achei muito pra quantidade de cereais, reduziria pela metade. mas fica BEM gostosa assim, pros que curtem um docinho…)

1 colher de sopa de óleo de coco ou qualquer outro óleo/gordura (azeite, óleo comum, manteiga…)

(*) TRUQUE: você pode fazer como eu, e colocar gotas de chocolate amargo na granola quando estiver ainda quentinha, pra derreter e incorporar. fica sensacional! quero testar adicionar cacau puro na mistura líquida na próxima fornada. cacau é ótimo pra saúde, além de ser delícia, vocês sabem…

 

utensílios

vasilha pra misturar; panela e colher pra aquecer os líquidos; forma / travessa grande e rasa para ir ao forno; xícara para medir; papel manteiga para o fundo da forma; colherão de pau pra mexer; vasilha/forma pra secar e esfriar a granola.

 

modo de fazer

pré-aqueça o forno a 180C.

misture os secos — cereais, coco, castanhas, sementes e sal. misture com as mãos, junte tudo, reserve.

aqueça o mel/melado e o óleo no fogo baixo, até amornar e misturar bem.

junte o líquido aos secos, misture bem, até incorporar tudo juntinho. a mistura fica melada.

espalhe a mistura melada na forma coberta com o papel manteiga, deixando uma camada fina (quanto mais fina, mais rápido ela fica pronta). coloque pra assar, mexendo a cada 10 minutos. aqui em casa eu deixei 40 minutos, quando a granola ficou douradinha. li nas receitas que vi por aí algo entre 20 e 40 minutos, preferi não arriscar deixar menos porque queria as castanhas bem crocantes, e deu certo. cuidado então pra não queimar!

tire do forno (lembre do truque (*)!), coloque a mistura numa outra vasilha, espalhando pra esfriar. depois de morna, misture as frutas secas e depois de fria guarde pra usar como quiser.

muffin de espinafre

setembro 2, 2014 Leave a comment

na escola do otto, as famílias mandam o lanche das crianças 1 vez por semana, cada semana uma família. na semana passada foi minha semana, e eu já tinha mandado bijus de tapioca com coco e queijo, e também bolo de banana sem açúcar, e dessa vez era um lanche especial, pois era aniversário do menino.

tive essa ideia de fazer muffins de espinafre, e procurei alguma receita legal — achei várias, e acabei chegando nessa que é a minha. todas são muito parecidas, mas depois de fazer 5 fornadas cheguei à versão final e preferida, que compartilho com vocês 🙂

rende 9-10 muffins.

 

ingredientes

1/2 xícara de leite

1 xícara (ou um punhado grande, de mão cheia) de espinafre cru — update: fiz com talos e folhas de brócoli e ficou ainda melhor!

2 ovos inteiros

4 colheres de sopa de manteiga derretida

1 xícara de farinha de trigo branca

1/2 xícara de farinha de trigo integral

1 colher de chá de sal

2 colheres de chá de fermento em pó

1 punhado de queijo ementhal picado em cubinhos

5-6 tomatinhos cereja cortados ao meio

sementes de gergelim (opcional, mas fica bem bonitinho)

 

utensílios

forminhas para muffin/cupcake ou forma com este formato (usei de silicone e ficou ótimo)

liquidificador

vasilha para misturar

 

modo de fazer

bata no liquidificador o leite e o espinafre até liquefazer; adicione os ovos e a manteiga. na vasilha, coloque os ingredientes secos e vá adicionando o líquido aos poucos, mexendo vigorosamente, até incorporar tudo e ficar uma massa homogênea. adicione então os cubinhos de queijo.

distribua a massa nos “copinhos” ou na forma, 2 colheres de sopa de massa por copinho. coloque então o tomatinho cortado com a “barriga” pra baixo, grudada na massa, e salpique o gergelim por cima se for usar.

asse no forno pré-aquecido (200C) por 20min.

goiabinha da vovó

agosto 26, 2014 2 comments

de tanto o otto pedir a tal da goiabinha da vovó do cocoricó eu resolvi aprender a fazer, porque me recuso a comprar esses biscoitos cheios de açúcar que vendem por aí. nada contra docinhos de vez em quando, mas se puder fazer e garantir a qualidade dos ingredientes, eu prefiro.

(e fazer biscoito é uma delícia, verdade)

bom, achei essa receita aqui, mas precisou de adaptações, então aproveito pra deixar minhas dicas aqui também no meu blog-caderno 🙂 rende uma cacetada de biscoitos, tipo 60! mas faça a receita toda, e dê de presente (se sobrar). conserva muito bem por mais de 1 semana em pote fechado.

 

ingredientes

3 ovos inteiros

5 colheres de sopa de manteiga em temperatura ambiente

2 colheres de sopa de açúcar

1 pitada de sal

1 colher de chá de fermento em pó

400g de farinha branca, e mais um pouco para abrir a massa depois (não faça se não tiver mais que essa quantidade de farinha, pois sempre precisa mais para dar ponto e abrir!)

300g de goiabada — não recomendo a de lata, mais industrializada e mais macia. a cascão é trabalhosa de cortar, então procure goiabada caseira de consistência mais firme

 

utensílios

– vasilha para misturar a massa

– rolo para abrir a massa (é preciso superfície lisa e limpa para abrir a massa e preparar os biscoitos, tipo pia ou bancada)

– cortador de biscoito (ou equivalente), quadrado (5cmx5cm)

– bandejas/espaço para ir colocando os biscoitos prontos

– assadeira grande

– papel manteiga (se não tiver, unte a forma com óleo)

 

modo de fazer

misture na vasilha a manteiga, ovos, sal, açúcar. eu misturo no garfo até virar uma meleca, aí adiciono o fermento e começo a adicionar a farinha aos poucos. coloque metade da quantidade (200g), misture bem, e sinta a massa. se ela estiver grudando na mão e na vasilha, pode colocar mais. adicione farinha até que a massa solte da mão e da vasilha, mas ainda esteja muito macia, mais ou menos assim:

massa goiabinha

deixe a massa descansar, com um pano, por 10 minutos.

enquanto isso, tome coragem e corte a goiabada em tiras, como no prato ali em cima da foto. as tiras não devem ser muito longas, pois quanto menos “cantos” sobrarem fora da massa na hora de assar, melhor. quando os cantos sobram, a goiabada derrete, escorre do biscoito e gruda na forma, fazendo uma meleca bem ruim de limpar.

cortadas as goiabadas, e passados os 10min, você pode começar a abrir a massa aos poucos — jogue farinha na bancada, passe um pouco no rolo, pegue um pedaço da massa (não dá pra abrir tudo, é muita massa) e abra. a espessura é importante: se ficar muito fino, é difícil de enrolar na goiabada; se ficar muito grosso fica muita massa pra pouca goiabada. tente deixar a massa com 1-2mm, e corte fazendo pequenos quadrados.

coloque a tira de goiabada na diagonal do quadrado e “abrace” com os cantos do quadrado. é importante realmente grudar os cantinhos do meio bem juntos, senão na hora de assar ele vai abrir. se a massa estiver seca, molhe um tiquinho a mão e “cole” o cantinho (não deve precisar, a massa é bem úmida).

faça os biscoitos e vá colocando na assadeira com o papel manteiga ou untada, pode colocar sem muito espaço entre eles, pois não cresce muito. quanto encher, coloque no forno pré-aquecido a 220C e deixe assar por 25min ou até dourar. fique de olho pra não torrar, e descubra se prefere mais branquinha ou mais douradinha (importante é estar assado embaixo, você pode abrir o forno e testar, o biscoito não liga).

detalhe: fiz uma das fornadas jogando açúcar em cima dos biscoitos, como vemos às vezes por aí. não acho necessário, fica ótimo sem a adição de açúcar em cima, mas se curte um doce bem doce, pode colocar que não estraga.

se sua assadeira for imensa como a minha, vai precisar de 2 levas para assar; senão, boa sorte, porque é biscoito pra caramba!

recomendo experimentar ainda quente, que é divino (mas cuidado, que a goiabada pode queimar a boca. só dê pras crianças depois de esfriar um pouco).

**

fica assim, e é melhor que qualquer goiabinha que eu tenha comido na vida 🙂

(note que algumas minhas ficaram com goiabada demais “escapando” da massa, depois que derrete. foi a 1a vez que fiz, e depois aprendi a deixar a tira de goiabada um tico mais curta)

goiabinha

pão semi integral (pasmem: de liquidificador)

junho 24, 2014 Leave a comment

olha, nunca imaginei que um pão feito assim tão rápido e fácil pudesse ser tão bom! já fiz vários tipos de pão, mas os integrais nunca ficaram bons. sempre pesados demais, na minha opinião.

mas esse não 😉 ele é perfeito. dura dias perfeitamente bom, macio e saboroso (aqui durou 6 dias!).

recomendo muito, pode fazer sem medo. foi tirado deste grupo do facebook, que estou amando.

Quentinho com manteiga = <3

ingredientes

2 xícaras de farinha de trigo branca
2 xícaras de farinha de trigo integral
1 xícara de aveia em flocos
2 ovos inteiros
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sobremesa rasa de sal
1/2 xícara de óleo
2 xícaras de leite morno
1 envelope de fermento para pão (10g)

utensílios

forma inglesa grande (ou mais de uma — o pão é realmente grande), liquidificador, vasilha para misturar.

modo de preparo

bater no liquidificador: leite morno, ovos, açúcar, sal, óleo e o fermento.

despejar o líquido numa vasilha com as farinhas e a aveia, misturar bem, até obter uma massa mole.

colocar em assadeira retangular/inglesa grande (35cm) ou forma para pão (30cm) untada e enfarinhada.

deixar descansar por aproximadamente 1h, ou até dobrar de volume.

assar em forno preaquecido por cerca de 30 minutos ou até dourar, desenformar ainda quente (com cuidado, ele pode quebrar quando for 1 forma grande).

Categories: comida Tags: , , , ,

pão de coco

outubro 21, 2013 Leave a comment

esse blog tem as receitas mais legais, é uma referência excelente pra doces e salgados. quando tenho um ingrediente e estou sem ideias corro pra lá e passo horas sofrendo pra escolher uma receita. é de lá essa receita deliciosa que ela chama de pão mas que é na verdade um bolo.

não é muito doce, mas não é neutro, é um bolo suave (e delicioso). facílimo de fazer, ótimo pra comer com um café.

ingredientes

2 ovos grandes (usei 3 pequenos, do galinheiro do meu pai)

1 xícara e 1/4 de leite

1 colher de chá de extrato de baunilha

2 xícaras e 1/2 de farinha de trigo

1 xícara e 1/2 de coco ralado seco — 140g (eu tinha 1 saquinho de 100g e usei ele todo, ficou bom)

1/4 de colher de chá de sal

2 colheres de chá de fermento em pó

1 a 2 colheres de chá de canela (eu fiz sem, pra conhecer a receita. acho canela muito dominante. colocarei na próxima)

1 xícara de açúcar

6 colheres de sopa de manteiga derretida

 

utensílios

assadeira (eu usei uma inglesa e me dei mal, a receita vazou fora dela. usaria uma forma baixa média na próxima, ou uma com furo no meio), 2 vasilhas para misturar, misturador ou garfo, e colheres/xícaras para medir.

 

modo de fazer

unte e enfarinhe a forma, reserve. pré-aqueça o forno em temperatura baixa (180C).

misture numa vasilha a farinha, sal, fermento, coco e canela (se usar). deixe um buraco no meio para incorporar os líquidos.

misture em uma vasilha os ovos, o leite e a baunilha, e bata bem até espumar. adicione essa mistura aos ingredientes secos, até incorporar, mas sem bater. por último adicione a manteiga derretida, sem bater, com delicadeza e observe hipnotizado como essa massa é linda 🙂

asse então em forno baixo por 1h – 1h e 15min, ou até dourar em cima e quando fizer o teste do palito ele sair sequinho. deixe esfriar um pouco antes de desenformar.

Categories: comida Tags: , , ,

sorvete de banana

maio 7, 2010 5 comments

receita simples e magra (pra deixar as gordas como eu menos culpadas), se joga!

ingredientes

6 bananas maduras descascadas, picadas e congeladas

2 potes de iogurte natural ou desnatado

1 pitada generosa de canela (dose a seu gosto. eu adoro e exagero)

(eu não uso açúcar nem mel nem nada. caso seja do tipo que gosta das coisas bem doces, tempera com o que gostar mais pra adoçar :))

utensílios

lugar pra congelar a banana antes

liquidificador ou mixer

lugar pra congelar o sorvete depois

modo de fazer

atenção que é MUITO difícil: coloque as bananas congeladas no liquidificador, os iogurtes e a canela. bata até virar uma pasta. coloque no congelador e espere firmar. (se bem que dá pra comer na hora, feito um creme de banana e é ótimo)

acabou. eu coloco melado de cana pra acompanhar, você fique à vontade pra inventar seu jeito 🙂

Categories: comida Tags: ,

bolo de abacaxi

janeiro 22, 2010 18 comments

gente, esse bolo é dos deuses. dá pra fazer com banana também, mas eu prefiro com abacaxi. pra comer com chá, café ou puro mesmo. quente ou frio.

ingredientes

3 ovos

1 xícara de açúcar

1 xícara de manteiga (usei 3 colheres de sopa cheias)

1/2 xícara de leite

1 xícara de farinha de trigo

1 xícara de maizena

1 colher de sopa de essência de baunilha

2 colheres de chá de fermento em pó

1 pitada de sal

para o fundo da forma

4 colheres de sopa de açúcar

2/3 de 1 abacaxi médio (ou o quanto baste pra encher o fundo da forma)

utensílios

batedeira (ou seu braço forte…)

forma de bolo média (eu uso a redonda)

colher e xícara para medir

faca pra cortar o abacaxi

modo de fazer

começo sempre pela preparação do fundo: coloco as 4 colheres de sopa de açúcar no fundo da forma, espalho bem e coloco a forma direto no fogo (na boca maior). vou mexendo conforme o açúcar derrete, até virar caramelo (fica uma calda marrom escura, bem líquida). corto o abacaxi em fatias de menos de 1 dedo de espessura e vou encaixando na forma, por cima da calda. cuidado, porque vai estar super-quente!

aí, o bolo: junto os ovos, a manteiga e o açúcar e coloco na batedeira do poder lá de casa. deixo até ficar esbranquiçado e leve. ainda batendo, começo a juntar as farinhas e o leite (alternados), a baunilha, a pitada de sal e por último o fermento. quando está tudo bem misturadinho, coloco na forma (por cima da calda + abacaxi), deixo assentar e levo ao forno médio (200 graus).

40 a 45 minutos o bolo tá pronto – basta observar a cor, ele fica bem moreninho.

se você tiver onde colocar, pode desenformá-lo de ponta-cabeça, ele fica lindo de morrer com as rodelas de abacaxi carameladas em cima e o bolo fofinho por baixo. acreditem: é de comer ajoelhado.

Categories: comida Tags:

pão pita

novembro 30, 2009 5 comments

eu devo ter repetido isso mil vezes na época que fui pra grécia, mas nunca é demais: jamais comi pão pita tão gostoso como o que servem em atenas acompanhando o souvlaki. é dos céus.

desde então sonhamos com o souvlaki e com aquele pita sensacional. o que compramos aqui é seco, sem graça, eca. mesmo o melhor pão sírio que nosso dinheiro pode comprar não se compara com aquele pão pita.

pois decidimos experimentar receitas e pra nossa sorte, acertamos de primeira. o pão ficou cheiroso, lindo, saboroso e com a mesma maciez e textura que experimentamos lá. imagino que o segredo é não industrializar pra não ressecar, sei lá.

compartilho a receita com vocês com o maior prazer e espero que vocês façam. poucas coisas na vida são tão gostosas quanto fazer pão, é uma sensação de poder de criação, de multiplicação dos ingredientes… é mágico.

ingredientes (para 30 pães médios)

450g de farinha de trigo

280g/ml de água morna

30g (ou 2 tabletes) de fermento úmido

1 colher de chá de sal

1 colher de chá de açúcar

1 colher de chá de azeite

utensílios

1 frigideira média (eu usei antiaderente, mas acho que não precisa. se tiver uma chapa ou panela de ferro é melhor)

1 rolo de abrir massa (acho que uma garrafa de vidro serviria até melhor… :))

1 vasilha para a massa crescer

1 faca para cortar

1 prato pra empilhar os pães prontos

superfície ou tábua grande pra sovar/abrir os pães

modo de fazer

dissolva o fermento na água morna completamente e junte 100g de farinha. deixe descansar por 20 minutos.

misture o restante da farinha (350g) com os demais ingredientes, junte a mistura de farinha+fermento até incorporar tudo e sove bem. a massa deve ficar lisa e sem grudar (eu tive que colocar 2 punhadinhos de farinha a mais pra dar o ponto).

quando estiver lisa e fofa, mas sem grudar, coloque na vasilha e deixe crescer até dobrar (eu cubro com um pano de prato, mas na verdade nem sei se precisa).

depois de crescida, divida em 30 bolinhas (pergunte ao fernando como) e deixe crescer de novo até dobrar.

coloque a frigideira para esquentar (seca) bem e comece a abrir os pães em formato de disco (eu nem vou dizer que é fácil, porque não é. vários dos meus pães ficaram em formato de ameba) bem fino (1 a 2mm). coloque o disco na frigideira e espere assar (dá pra ver a cor mudar). eu gosto dos pães com pedaços tostadinhos, deixei escurecer alguns pontos. só cuide para não exagerar, senão vira torrada.

bom, aí você empilha que nem panqueca e come puro mesmo, que é dos deuses. ou com o que der na telha.

Categories: comida Tags:

ao que interessa – crème brûlée!

agosto 7, 2009 7 comments

mas antes da receita, posso falar? esse povo engajado e in me cansa… é muita modinha, tendência, movimento, afe. cada vez mais gosto de simplicidade e mão na massa. menos blá-blá-blá e mais ação concreta, sabe? os gringos dizem kiss, mas eu gosto dos nossos dizeres populares – “vê se pega um tanque de roupa pra lavar ou uma roça pra carpinar”.

dito isso, vamos ao crème brûlée, uma receita simples e chique, como as coisas devem ser 🙂

utensílios

2 opções – uma travessa refratária grande ou 6 travessinhas pequenas (prefiro as 6 pequenas)

fue grande

panela média

maçarico de cozinha – essencial. não sei como fazer sem ele…

ingredientes (6 porções)

5 gemas

500ml de creme de leite fresco

100g de açúcar

açúcar para polvilhar e queimar depois (1 colher rasa por potinho)

1 fava de baunilha (se não tiver, coloque 1 colher de chá de essência)

modo de fazer

coloque os potinhos na geladeira enquanto prepara.

bata as gemas e o açúcar até esbranquiçar.

aqueça o creme de leite com a fava de baunilha (eu corto a fava “de comprido”, pra soltar as sementinhas) até o ponto de ferver mas não deixe ferver.

fora do fogo, junte o creme de leite aquecido com a mistura de ovos/açúcar sempre mexendo, até que incorpore completamente. quando estiver misturado, leve ao fogo baixíssimo e mexa com o fue sem parar, até que tome consistência de um mingau mole (não deve engrossar demais).

despeje a mistura nos potinhos gelados e deixe esfriar na geladeira (eu coloco direto – não ligo pra história de não colocar coisas quentes na geladeira…) até ficar firme. agora vem a parte divertida 😉

com o creme já firme, jogue açúcar por cima dele (espalhando, deve ficar uma camada fina) e use o maçarico para queimar o açúcar, criando uma camada de caramelo dura. é mais difícil espalhar o açúcar uniformemente do que queimá-lo, por incrível que pareça!

feita a casquinha de caramelo, volte à geladeira e depois coma ajoelhado.

observação: há receitas em que o creme vai ao forno em banho-maria, ao invés de levar direto ao fogo. vou até testar e ver se faz diferença, mas podendo evitar o trabalho que assar em banho-maria dá, eu prefiro.

os molhos

agosto 4, 2009 1 comment

as duas receitas são extremamente simples, eu fiz para comer com a polenta, mas você pode comer com macarrão ou com o que bem quiser 🙂

(as 2 são para um montão de molho)

utensílios

panela grande para o molho de azeitona

panela de pressão grande para o ossobuco

colheres de pau para mexer

faca e tábua para picar

ingredientes – azeitona com tomate

1 dúzia de tomates maduros picados

15 azeitonas pretas grandes picadas e sem caroço

1 cebola grande picada

2 dentes de alho picados

tomilho e alecrim (tiquinho)

sal e pimenta a gosto

4 colheres de sopa de azeite

modo de fazer

refogue no azeite a cebola e o alho, até ficar transparente. adicione a azeitona e mexa bem. por fim, adicione os tomates. tempere com as ervas, sal e a pimenta, coloque fogo baixo e deixe apurar por cerca de 30min. veifique o tempero de vez em quando e desligue quando o tomate estiver bem derretido.

ingredientes – ossobuco

1/2 cebola picada

2 tomates maduros picados

3 colheres de sopa de alho poró

2 caixas grandes de purê de tomate

2kg de ossobuco cortado

1 taça de vinho tinto (opcional)

água suficiente para cobrir o ossobuco

pimenta calabreza em flocos (eu coloquei 1 colher de sopa)

2 colheres de sopa de azeite

pimenta e sal a gosto

alecrim, se gostar (eu gosto :))

modo de fazer

na panela de pressão, refogue no azeite a cebola até amolecer, junte o alho poró e por fim os tomates e os temperos todos. coloque o ossobuco, a água até cobrir e tampe a panela, cozinhando em fogo alto.

após pegar pressão (a panela começa a chiar), cozinhe por no mínimo 45min e verifique (cuidado pra abrir a panela, pelo amor de deus) – a carne deve se soltar do osso completamente e o tutano deve derreter. se não estiver assim, ajuste a água (deve ficar bastante caldo) e coloque de volta para o fogo por mais 15 min.

quando estiver tudo bem derretido e em pedaços, jogue fora os ossos, volte ao fogo médio e adicione o purê de tomate e o vinho. ajuste o tempero e deixe apurando por mais 20min.

vale para as duas receitas: coloque uma pitada de açúcar se o molho estiver muito ácido.

Categories: comida Tags: ,