para o meu pai

Não dou bola pra dia dos pais, até porque procuro amar meu pai todos os dias e em todas as oportunidades.

Mas não custa aproveitar pra lembrar de tudo que faz dele o melhor pai que eu poderia querer, ou vendo de outro ângulo, lembrar que sou quem eu sou graças a ele. Somos diferentes, muito, mas tem tanto de mim que foi moldado pela maluquice crônica dele, e estou certa que esse meu jeito de colorir o mundo e as pessoas e ver arco-íris onde só tem nuvem vem dele.

Foi com ele que aprendi a contar histórias e ver o lado bom de tudo, de todos. Definitivamente foi dele que aprendi a não dizer não (e desaprendi depois, para o meu bem).

E também aprendi que ser pai é bem mais que ser provedor, presente, ou essas coisas todas. Pai precisa ensinar a gente a voar, a arriscar, a acreditar na gente mesmo e ir pra vida, e ele ensinou direitinho.

Beijo e amor, Papi. Beijo pra todos os pais daqui, e outro pras mães que são pais.

Deixe uma resposta