Vidas Negras Importam

Eu já fui contra cotas raciais, eu já achei que a desigualdade social é mais importante que a desigualdade racial, eu já achei que ser mulher é mais difícil que ser um homem negro na sociedade.

Eu estava ERRADA, e só aprendi e mudei porque ouvi pessoas negras e fui buscar me educar. Eu sigo várias pessoas negras pra ouvir e aprender, ganhar uma perspectiva que jamais terei. É o mínimo que eu posso fazer.

E o que mais eu posso fazer? Em primeiro lugar falar com minha patota branca. Família, amigos, conhecidos já sabem — vão ouvir palestrinha sim, vão levar bronca quando falarem merda sim. Não deixo passar mais nada e fico martelando na mesma tecla até o fim da vida.

Quando puder contratar profissionais, darei preferência a mulheres negras, depois homens negros, depois mulheres brancas. NESSA ORDEM. Usarei qualquer privilégio que eu tenha — e são vários — pra deixar as pessoas negras se destacarem e brilharem.

Eu sei que (1) não faço mais que obrigação e (2) é pouco. Mas vou aprendendo como fazer mais, e farei. Porque quero viver num mundo melhor, e porque desejo uma sociedade mais igual pro meu filho e pros filhos de todo mundo. Não posso ser feliz com tanta gente infeliz no mundo.

“Por que os negros brasileiros não se revoltam?”

Deixe uma resposta