Padecer onde mesmo?

“Opiniões não são fatos!”

No meio de uma discussão. Porque aqui tem discussão todo santo dia, saibam.

Rimos, ele saiu puto.

Vou conferir ele no banho, ele com cara de limão azedo pra mim, demonstrando seu desagrado. Eu rio muito, ele ri também e:

“Eu sempre rio com a sua risada, mamãe, não tem jeito!”

Ser mãe é querer mandar pro colégio interno e querer apertar e amar até esmagar, ao mesmo tempo.

Tudo em vão

Gente, eu vou pro céu. Mesmo sendo ateia, vou pro céu porque o céu vai ser criado nessa geração só pra mim.

🤣

Otto dá um chilique mega monstro na rua, aqui na frente, enquanto Fer tá tentando ensinar ele a andar de bicicleta (também vai pro céu, ele, ateu). Chilique nível “meu Deus tão matando alguém socorro”.

Ok, entra, vamos conversar. E tá (de novo) sem YouTube até 2035, porque pelamor.

Conversa, acalma, explica que precisa aprender a manifestar tristeza, raiva, frustração de uma forma mais razoável. Explico que comunicação é complexo mesmo, que a gente precisa se adaptar ao outro pra comunicação ser melhor. Explico brincando de andar nos meus pés — “viu? Pra eu conseguir andar com você nos meus pés, NÓS DOIS precisamos nos ajustar!”

Ele acha o máximo, entende, fazemos um pequeno treino de simulação de situação, tudo certo, ele se desculpa, lindo.

O: “bom, e cadê o iPad?”

Eu: ”tá guardado, porque você tá sem YouTube, lembra?”

O: “quer dizer que eu passei por tudo isso, TOLEREI essa conversa e tudo, pra nada?!”

Rimos muito, e choramos.

Usem camisinha.

Fada pobre

Otto arrancou mais um dente (quando acaba, jesus?!) e A FADA DO DENTE (o Fernando) deixou 5 dólares. A gente acha um dinheirão.

Ele conta as notas e comenta:

“Hm, not much money, is it?!”

😬🤣