Segurança em 1o lugar

Quando eu falo que a criança é um velho em forma de criança, as pessoas não acreditam.

Fernando tirando o Otto do carro essa semana:

F: “Otto, eu vou tirar a trava da porta do carro, pra você poder descer sozinho. Você já tá grandinho, e não tem mais perigo, afinal você sabe que só pode abrir a porta em lugares seguros né?”

O: “… melhor você deixar, não tira não.”

F: “ah não, vou tirar!” (Tirou)

O: (foi lá e colocou a trava de volta!) fechou a porta.

Virginiano, né?

Metamorfose

O: “não quero queijo, não gosto de queijo.”

F: “nossa, mas você amava. O que aconteceu?”

O: “cara, as pessoas mudam!”

HAHHAHHAHAHAHHAHAHHAHA

Dia das mães

Queria que no dia das mães todo mundo lembrasse de toda a dificuldade que envolve esse papel.

Que discriminam mães porque precisam cuidar dos filhos, e faltar eventualmente no trabalho porque não tem ninguém que ajude.

Que lembrassem que há mais de 5M de crianças sendo criadas só pelas mães. Que mulheres que querem ser mães são preteridas em vagas de emprego.

Que tem um montão de mulheres que são mães e não queriam ter sido, mas não tiveram a opção de abortar.

Que ser mãe cansa cansa cansa e não temos sequer direito de reclamar, de errar, de perder a paciência, que não temos o direito de desistir. E quando desistimos, ou cansamos, somos crucificadas.

Que sempre tem um monte de gente pra dar palpite sobre como ser uma mãe melhor mas não tem ninguém pra vir pra sua casa te ajudar a poder tomar banho, dormir, comer uma refeição em paz.

Nenhuma mãe prefira de presente, mas precisam de ajuda no dia a dia e apoio emocional, porque é incrível, mas é MUITO puxado.

Fofura de linguagem

Fernando conversando com Otto agora à noite:

F: Fiquei sabendo que você brincou de Saci hoje cedo, se divertiu muito…

O: Sim, me diverti. E a mamãe morreu de dar gargalhadas. … … … … Não literalmente. É expressão.

❤️❤️❤️❤️

Como não morder essa criança, gente?

Literal

Eu: “mas Otto, você me pediu isso umas mil vezes!”

O: “não foram mil vezes.”

Eu: “é um jeito de falar…”

O: me sacaneando, “sim, eu sei que foi um modo de dizer, não era literal!”

Virginianos, gente, quem suporta?

Cosmo

Otto tomando sorvete:

“Como será o fim do universo? O fim de um e o começo do outro, diferente do nosso?”

Alguém podia fazer uma hotline para perguntas difíceis, não?

limites

otto ontem ficou com minha Mami Vera pra gente ter um minuto de paz, ops apaga ir jogar na casa das amigas, e chegamos tarde, umas 23:30h. minha santa mãe conseguiu convencer ele a tomar banho, escovar os dentes e ficar no próprio quarto, mas dormir nem a pau.


chegamos e ele estava no quarto, emburrado (mas cercado de gibis. desconfio que só fez pose quando entramos no quarto, que estava fechado). desfiou um rosário de reclamações, porque queria ter ficado lá embaixo, e não no quarto.

eu: “otto, você sempre reclama que quer ficar acordado até mais tarde lendo! essa é sua oportunidade, quando o papai e a mamãe chegam mais tarde!”

o: “mas eu queria fazer isso lá embaixo [na sala de TV, onde ficam gibis, e alguns brinquedos dele também], e a vovó não deixou!”

eu: “a vovó tá certa, depois da hora de dormir, só pode ficar aqui no seu quarto”

o: “ah, mas eu queria ficar lá no MEU ESPAÇO PESSOAL!”

a criança tem ESPAÇO PESSOAL, agora, só me faltava essa.

Bold / Underscript

Mami Vera se divertindo com os meninos conversando:

O: “o que é sublinhar?”

Fernando: “é riscar embaixo da palavra”

O: “achei que isso fosse grifar!”

🤣

Aleluia!

ATENÇÃO PATRULHA SATÂNICA, ALÔ ALÔ!

Otto fez hoje a tarefa de CÓPIA (a que ele mais odeia) sem reclamar.

SEM

RECLAMAR.

(Coloque aqui um aleluia)

No mesmo dia, mais tarde…

Se preparando pro banho, agorinha:

O: “mamãe, você sabe quem é o cientista mais famoso do mundo?”

Eu: “não, mas posso descobrir!”

O: “sei que ainda não sou eu [hahahahha!!] mas EM BREVE serei eu!”

(Eu: “SE FIZER A PORRA DA LIÇÃO, C@R@LH0)

Eu: “ah, que legal! Por isso mesmo é muito importante ESTUDAR E FAZER A LIÇÃO!”

Ai gente, ninguém me contou que ter filho dava tanto trabalho, pelamordedadá, afe.

(Mas a gente ri, depois que a raiva passa. Às vezes a gente ri durante também, que não somos de ferro)