5min!

Eu: “Otto, quando tempo você ainda precisa?!” (Segunda vez que pergunto; ele não respondeu a 1a)

 

O: “eu tou pensando! Você tá sem paciência né?”

 

Eu: *rolling eyes*

 

O: “5 minutos, ó”

P I Z Z A

[fev-2015]

A gente não ensina o Otto a ler, porque achamos que não precisa e que ele terá todo tempo do mundo pra aprender, mas preciso contar pra vocês que hoje ele “leu” (reconheceu, né) a 1a palavra da sua vidinha! (Além de OTTO que ele conhece há um bom tempo, claro)

 

***

 

PIZZA.

 

Hahahhahahahahha 🙂 Atestado de ogro assinado e carimbado, junto com a confirmação de DNA.

 

Parabéns, papai Fernando, excelente trabalho! \o/

TPM é fichinha

[fev-2015]

Quem reclama de mulher na TPM é porque nunca teve que lidar com crianças de 4/5 anos.

 

Hoje eu brincava com o Otto de desenhar, mui pacificamente, eu tinha feito um arco-íris e ele me ajudava a pintar um “unicorn” (segundo ele) vermelho de bolinhas roxas.

 

O lápis é caran D’ache, aquarelar é legal né? Peguei a água, o pincel e encostei no unicorn, que virou um vermelho vivo, lindo.

 

Otto: “NÃAAAAAOOO!” (Coloque aqui a trilha de Psicose)

 

Mãe louca: “que foi???”

 

Otto: “eu queria o vermelho claaaaaaaaaaarooooooooooooo” (as lágrimas correndo, nível final de Titanic)

 

Mãe arrependida: “meu amor, desculpa a mamãe, achei que você ia gostar da aquarela e…”

 

Belzebu lvl1: “NÃO GOSTOOO, eu quero quero o unicórnio SECOOOO”

 

Mãe ficando impaciente: “Otto, eu pego um papel, eu seco!” (Conjura um papel. Seca. Considera pegar um secador de cabelos e se acha louca que mima o filho, se minha mãe visse isso me dava um sopapo)

 

Belzebu lvl5: “CLAREIA ELEEEE!” — enquanto limpa a meleca de nariz na minha calça limpinha.

 

Mãe já perdendo a paciência: “NÃO LIMPA O NARIZ NA MINHA ROUPA!” (“Mas eu quero te abraçar mamaiiimmmmm”) — tá bom, limpa aqui na blusa, tá bom.

 

Mãe culpada: “você tá triste, amor. Fica aqui que já já melhora e você fica bem…”

 

Pazuzu, girando o pescoço: “EU NÃO VOu FICAR BEM, EU NÃO QUERO FICAR BEEEM!!!”

 

(Pausa para ligar para o Padre Karras)

 

**

 

Eu poderia continuar esse diálogo por eras, que foi quanto durou o chilique.

 

Aí o pai chegou e ele mudou de assunto, enquanto eu fiquei com desejo de matar alguém, comer bife de unicórnio e com a calça cheia de meleca.

 

**

 

Ser mãe é tão bonito, né? <3

diálogos

[feb-2016]

Vocês sabem que quando eu coloco os diálogos com o Otto sempre é EXATO, eu não corrijo e nem interpreto, escrevo exatamente o que ele disse. Se ele fala errado eu coloco errado.

 

Então: liguei aqui em casa antes de chegar, pra perguntar se queriam alguma coisa da rua.

 

<triiim triiiiim>

 

O: “alô, aqui é o Otto falando!”

 

Eu: (Hahahahhahaha!!) “oi meu amor! Aqui é a mamãe!”

 

O: “olá, Ivanise, tudo bem?!”

 

HAHAHAHAHA!!!!!!

(Mal consegui seguir a conversa de tanto que ri)

 

**

 

Mais cedo, a Maria leva ele pra arrumar a própria cama. Ele avisa:

 

“Sabe o que é, Maria? Não vamos arrumar, porque eu gosto da minha cama assim: SELVAGEM.”

 

Hahahahahahahhaah!

 

Ai gente, de onde saiu esse menino?!

 

minhas regras, suas regras

Otto a respeito da escola, explicando pra Maria:

 

– “eu gosto da escola; eu não gosto é das REGRAS. Quando eu crescer, vou fazer um mundo sem regras!”

 

Anarquistas, graças a deus? 😀

 

**

 

É interessante observar que ele se percebe bem, mas ele gosta de regras, sim: as DELE.

 

E não é esse um dos grandes problemas de relacionamentos? As regras do outro são sempre erradas, as minhas é que são boas.

 

smile and wave

Fernando leva o Otto no dentista, hoje:

D: Ele está deixando fazer tudo, que legal!

F: É, não tem mais medo. Medo agora só da maquininha do cabeleireiro.

D: É mesmo? Qual maquininha? Aquela que faz bzzzzzz no cabelo?

O: Olha, eu não quero entrar nesse assunto…

😂😂😂

soccer

Tá puxado hoje, pessoal! 😀

— “mamãe, o que é SUSTENTÁVEL?”

(…)

— “mamãe, o que significa FUTEBOL?”

Eu: “hm, é o jogo, ué!”

O: “mas por que ele usa palavras inglesas? FOOT é pé, e BALL é bola!”

Eu: (hahhahahaha) “ah, tá! Então, nós em português falamos FUTEBOL, mas a palavra vem mesmo do inglês, FOOTBALL, porque nesse jogo se chuta a bola com os pés e…”

O: “mamãe, chutar é SEMPRE com os pés…”

Eu: (Afe!) “Fernando, vem aqui acabar de dar banho nesse menino, vai?”

🙄😂

xampu como detergente

[fev-2016]

Eu: “OTTO! Você usou todos os xampus de novo pra lavar o box?!”

(Todos. Todos! os xampus vazios! 😱😱😱)

Otto: “não, mamãe. Eu fiz uma MÁGICA!”

 

**

 

Quantas vezes vocês acham que explicamos pra não lavar o box?

Mas é mágica, não é a mesma coisa, LÓGICO.

 

**

 

Colocaremos os xampus mais altos, quem sabe até ele crescer do meu tamanho essa fase passa.

sem príncipes ou princesas

[jan-2016]

Estava aqui pensando — não é lindo que os filmes favoritos do Otto sejam Wall-e, Lilo & Stitch e os Guardiões da Infância?

 

Ele gostou de vários outros, mas esses são os únicos que ele realmente viu mil vezes e adora.

 

O primeiro é sobre salvar o planeta, sobre amor e amizade. É também sobre ser diferente — quem salva a humanidade é um grupo de robôs “quebrados”, é um capitão rebelde. Tudo por causa de um robô antiquado e amoroso, que encontrou uma robô cheia de personalidade.

 

O segundo é sobre uma família não convencional, sobre ser diferente, sobre descobrir quem é sua verdadeira família, seu lugar no mundo. As protagonistas são mulheres (e aliens, inclusive um deles é transformista :D), e seus corpos são normais. Elas nadam, andam, dançam. Brigam, bagunçam, fazem as pazes.

 

O terceiro é sobre derrotar o medo.

 

Gosto de pensar que é nossa influência que o levou a gostar desses filmes, mas a verdade é que ele viu de tudo e foi ele que  escolheu. Ele viu Ralph, Mulan, Tarzan, Shrek, Madagascar, Monstros, Enrolados, sei lá o que mais. Nenhum deles foi tão amado quanto estes.

 

(Os heróis todos era impossível ele não gostar, já que nós gostamos tanto!)

 

Tenho um certo orgulho de não incentivá-lo a ver histórias de príncipes e princesas. Por mais modernos que sejam, reforçam tantos esteriótipos… Prefiro esperar um pouco pra que ele veja e possamos conversar um pouco sobre isso.

 

Mesmo os heróis da Marvel são mais fáceis de administrar, porque todos têm poderes, e cada um é diferente (jogar videogame com eles, por exemplo, é muito interessante — nenhum é melhor que outro, e coisas que um faz os demais não fazem. Menos o Batman e o Superman, que são incríveis <3). Há mulheres heroínas, mesmo em menor número, e elas são foda.

 

Fico muito feliz de poder criar meu filho numa época em que as coisas estão mudando, e esse tipo de preocupação faz sentido. Vai ter gente estranhando, mas o mundo já é bem diferente do que era há 10 anos.