a que será que se destina?

Deito com o Otto, apago a luz. “Boa noite, meu amor.”

 

O: “mas antes eu tenho uma perguntinha, mamãe”

 

(Nunca é uma “perguntinha”. Nunca)

 

Eu: “tá bom, mas depois dormir tá?”

 

O: “então… que eu nasci da barriga eu já sei. O que eu quero saber é: eu existo pra quê?”

 

~ existimos / a que será que se destina?

 

Eu: “você quer dizer mais ou menos como o propósito, a função que alguém tem, como por exemplo o Wall-e, que faz cubos?”

 

O: “é. Pra que eu existo aqui?”

 

Não sei nem por onde começar. Mas enfim: ser mãe é também buscar sentido e organizar o caos, no sentido mais amplo.

 

Eu: “não existe um sentido, um propósito, meu amor. Nós só estamos aqui, e estando aqui podemos fazer o que quisermos. Ler, nadar, brincar, criar, fazer arte, inventar coisas, construir, fazer amigos.”

 

O: “qualquer coisa?”

 

Eu: “qualquer. Nós somos livres pra fazer o que escolhermos fazer”

 

O: “mas eu preciso fazer tarefa. E o wall-e não tem tarefa!”

 

(Eu sabia que essa conversa ia se voltar contra mim…)

 

Eu: “o wall-e tem tarefa sim: ele faz cubos, pra limpar a Terra; e a EVA busca plantas. É a tarefa deles. Lembra que ele sai de manhã e volta de tarde, depois que acabou?”

 

O: “MAS NÃO É UMA TAREFA!”

 

(Ele não gostou da minha lógica, falou assim mesmo em Caps Lock)

 

Eu: “é sim. Todo mundo tem tarefas, e nem todas a gente gosta. Mas tem coisas que temos que fazer.”

 

O: …

 

Eu: “tudo bem? Podemos dormir?”

 

O: “não sei de gostei da resposta, mas podemos. Boa noite.”

 

Ainda bem que amanhã é Páscoa, porque uma leve overdose de chocolate não vai fazer mal a ninguém depois dessa.

SETE ANOS

7a4m, hoje foi a primeira vez que o Otto dormiu a noite toda e não nos chamou nem à noite nem de manhã.

 

SETEANOS.

tenha filhos :D

[nov-2015]

Tenha filhos, parte 1:

 

Seg. a Sex., 6:30: “nãoooooo! Quero dormiiiiiirrrrrrr! Me deixaaaaaaaa!”

 

Sáb., Dom. e Feriados, 6:20: “BOM DIA, PESSOAL! O SOL JÁ CHEGO-OU!”

 

**

 

Tenha filhos, parte 2:

 

(Separei uma blusa do Batman pra ele vestir)

 

O: “mamãe, eu quero a outra blusa do Batman!”

 

Eu: “ah, Otto, coloca essa mesmo que não sei onde tá a outra”

 

O: “mamãe, peraí!”

 

(Foi pro quarto dele, e eu, inocente, não fui atrás imediatamente)

 

Cheguei lá e encontrei isso aí. Ele não tinha chegado na gaveta onde tava a outra camiseta.

enquanto dure

[29-jul-2016]

Otto, prestes a completar 6 anos, não dorme sozinho. Depois de passar quase 2 anos tentando fazer ele dormir sozinho e na própria cama, desistimos e trouxemos ele pra nossa cama. Foi quando ele finalmente dormiu a noite toda.

Quando mudamos pra cá, há 1 ano e meio, propusemos que ele dormisse na própria cama, que é um colchão de casal no chão. Ele amou e topou, mas ainda quis que fossemos deitar com ele na hora de dormir. No meio da noite é bem frequente ele levantar e vir me chamar pra ir dormir com ele (sempre vou).

De vez em quando Fer e eu nos questionamos se essa história dele nunca dormir 100% sozinho é bom, tá correto, sabem como é — todo mundo critica, diz que ele precisa dormir sozinho, que já é grande, que não tem cabimento, e tals.

Hoje lá foi o Fer, e o Otto enrolou ele por 40min. Estava visivelmente cansado mas se recusou a dormir porque “quero a mamãe”. Fui lá, ele ficou TÃO feliz <3 me abraçou, beijou, disse “eu te amo” umas mil vezes. Ele tá enrolando, que eu sei, mas o amor também é legítimo. Saí antes dele acordar, e cheguei 18:30h. Ele vai pra cama às 20:30h.

Ainda assim, tentei argumentar:

Eu: “Otto, vou ficar aqui com você, mas sabia que você já é um menino grande? A maioria dos papais e mamães não dormem com seus filhos! Alguma hora você precisa dormir sozinho.”

O: “mas por quê, mamãe? Eu não quero dormir sozinho. Por que outros papais e mamães não dormem com as crianças?”

E eu não tinha uma boa resposta. A única resposta honesta seria: porque eles não querem.

Mas eu quero.

Respondi algo como “não sei mas sei que é assim”, porque ele me desconcertou.

Deitamos, ele me abraçou pelo pescoço bem juntinho e dormiu em poucos minutos. Fiquei ali uns minutos que pareceram uma vida, pensando que em muito menos tempo que eu imagino esse menino vai pro mundo, e não só não o verei todos os dias como nem nos falaremos todos os dias. Estes anos dos abraços sem fim, beijos e pedidos de aconchego vão acabar, e outras coisas virão.

 

Não sei sobre os outros pais e mães, mas essa mãe aqui vai lá dormir com o menino até quando ele pedir, e espero que dure muito. 💔

segunda infância, lá vamos nós!

DATA HISTÓRICA NO DIÁRIO DE MÃE

 

Otto dormiu a noite toda sem acordar, sem chamar. Deitou às 21:30h e acordou às 8h.

 

Vocês prestaram atenção? Não me lembro disso ter acontecido nenhuma vez.

 

Nenhuma

Vez

Em

Quase

7

Anos.

 

Fiquei tão orgulhosa e feliz, afe.

 

Fui tomar banho, quando volto pra dar bom dia pra ele encontro ele chorando sentado na cama.

 

O: “eu dormi a noite toda! E não chamei ninguém!”

 

Eu: “mas isso é bom, meu amor! Sinal que você dormiu bem!”

 

O: “não é não! [chora chora] eu quero chamar vocês! isso não pode acontecer NUNCA MAIS! Posso ficar aqui abraçado com você um pouco?”

 

Ô meu amor, fica a vida toda, se quiser.

 

Modosque aguardemos até os 14 anos pro menino dormir sozinho, né?

diário do otto: 3 anos e 3, 4 e 5 meses

otto,

agora parece que realmente perdeu o sentido escrever a cada mês, seja porque a fase mais intensa dos grandes marcos de desenvolvimento passaram, seja porque estou também envolvida com tantas outras coisas que o tempo me atropela. pode ser também que eu é que tenha deixado de me importar tanto em prestar atenção às “novidades” e aproveitar sua companhia, cada dia mais deliciosa <3

reiniciamos seu desfralde pela 2a vez há menos de 2 meses, e já considero como um sucesso. o xixi foi muito fácil, em 2 semanas estava resolvido, já o cocô demorou mais um pouco, com alguns episódios de fazer na roupa ou no chão <o>, mas hoje completamos 1 semana inteira sem nenhum incidente, inclusive saindo para passar o dia fora sem fralda! estamos muito orgulhosos de você. pode parecer uma coisa boba, mas é um controle importante do corpo, que sequer lembramos que aprendemos (depois de adultos, parece que sempre soubemos né?). agora você avisa que quer ir, e já sai correndo com a gente pra fazer direitinho. um moço!

nestas férias algumas coisas mudaram bastante — você começou a dormir um pouco mais tarde (porque nós deixamos, claro) e começou também a acordar BEM mais tarde (9h, 9:30h!), o que é uma maravilha para os seus pais que adoram dormir, mas será certamente um problema quando as aulas voltarem. teremos que fazer uma transição pra evitar choro e ranger de dentes na hora de acordar…

algumas coisas mudaram bastante nestes meses, você tem se interessado mais por histórias diferentes (novos filmes, ufa), mas continua encantado com o wall-e, a ponto de desenhar o robô o dia todo, de todas as formas. aliás, seus desenhos estão cada vez melhores e mais complexos, é muito legal de observar. e você adora desenhar, se deixar passa o dia todo com papel e caneta.

você também tem se desenvolvido bem na parte física, que nunca foi exatamente seu forte — já está andando de bicicleta direitinho (com as rodinhas) e sobe nas coisas de um jeito que não fazia antes. procuramos continuar incentivando você, que precisa mesmo ganhar mais confiança e testar seus limites!

a coisa mais linda que aconteceu esse mês foi seu interesse pela “ode à alegria” de beethoven, graças ao curta do burn-e, que nos emocionou muito. ver você apreciando música é a realização de um sonho nosso como pais, sendo o assunto tão importante pra nós. você nem sabe o quanto sua alegria nos faz felizes. aliás, acho que é impossível explicar para quem não tem filhos o que significa ver nossos filhos felizes — é uma alegria multiplicada por milhares, fogos de artifício imaginários, o que pode haver de mais delicioso na vida.

**

sua rotina só mudou quanto ao sono, cada vez melhor, e ainda dormindo conosco (não canso de dizer o quanto é gostoso dormir com você, tão pequeno e carinhoso nos abraçando…), acordando com seu sorrisão de feliz <3

continua comendo tudo e mais um pouco, se interessando por coisas novas, sem medo de provar nada. mas também continua nos enfrentando bastante e colocando seus quereres, o que é muito legal e nos deixa felizes. você é um menino sensível e tranquilo, mas com bastante personalidade, que sabe se posicionar quando é necessário. bem melhor que seus pais, inclusive 😀

**

nosso amor só cresce, e a cada noite depois que você vai dormir seu pai e eu nos olhamos e dizemos, como um coro: “como ele é querido, que menino mais especial!”. a gente procura sempre dizer o quanto ama você, espero que isso nunca seja fonte de dúvida pra você, mas que também fique registrado aqui, preto no branco: amamos você demais, e admiramos sua personalidade, seu jeito doce e ao mesmo tempo determinado. que você se mantenha assim, pois será de grande valia na sua vida para ser feliz <3

aqui estão fotos destes seus meses, todas tiradas e guardadas com muito amor: 3 anos e 3 meses, 3 anos e 4 meses, 3 anos e 5 meses.

um beijo maior que o mundo da sua mamãe que adora você mais que tudo.

diário do otto: 2 anos e 3 meses

otto,

tem sido mais difícil pra mim escrever mês a mês, porque agora tudo se mistura e já não lembro mais direito exatamente o que pertence a este mês. você nos surpreende diariamente com tiradas engraçadas, frases cada vez mais complexas e ideias curiosas vindas 100% da sua cabecinha 😀

todo dia tenho coisinhas novas pra contar sobre você. desconfio que essa sua fase de criança deve ser uma das mais divertidas. essa semana você cismou que se fala OTTO-borogodó (e morre de rir quando repete isso). também conheceu um amigo da mamãe que se chama hugo, como seu monstrinho de pano preferido, e ficou muito espantado com o nome, e repetia com olhos arregalados “ele chama HUGO, mamãe!”.

e você fala tão direitinho que dá gosto. “abre a rede pra eu balançar, vovó?” e 30seg depois “abre pra mim, vovó!”. (mas o ÍBULON eu não consigo corrigir, porque é fofo demais <3).

na escola está tudo bem, você gosta muito de ir e pergunta das tias e dos amigos E AMIGAS (aparentemente você não gostou dessa história de gênero masculino ser neutro no coletivo), embora às vezes fique grudento na hora de eu ir embora. na maior parte das vezes você fica bem, e até fala “TRABALHA, mamãe!”, me mandando embora 🙂 e você foi mordido pela 1a (e 2a…) vez na escola, o que nos deixou muito chateados, mas passou.

uma coisa que nos deixa muito felizes é que você é um menino carinhoso, que gosta de beijar, abraçar e ficar juntinho. nós adoramos! e por mais que eu reclame de ter que fazer você dormir todo dia (1 hora, 1 hora e meia…) e dormir com você na cama com muita frequência, tenho certeza que vou sentir falta quando você ficar independente e dormir na sua caminha. é gostoso abraçar você ou mesmo me ajeitar quando você resolve dormir EM CIMA de mim. o contato físico é uma das coisas que mais tenho gostado dessa história toda de ser mãe.

no geral você é uma criança educada, tranquila, obediente e muito divertida. não é montagem minha nas fotos — você está sorrindo sempre, fazendo graça e conversando com a gente. uma delícia de menino, que nos faz muito felizes!

sua alimentação agora é praticamente igual à nossa, que no geral é mesmo muito saudável. comemos em casa durante a semana, comida toda preparada aqui mesmo. muitos legumes, verduras, frutas, carne vermelha e branca, queijos, ovos (muitos ovos!) e peixes. nos fins de semana saímos para almoçar geralmente no domingo, e você se diverte bastante. já aprendeu a pedir comida pro garçom e não se faz de rogado: “moço, qué papá! uma shalada e batata fita!”. juro, é isso que você sempre pede. de vez em quando pede também carninha  ou farofa.

o sono mudou — você dorme agora a noite toda, mas nem sempre na sua cama. cansamos do esquema de fazer você dormir na sua cama, fazemos dormir na nossa cama, levamos pra sua e quando você acorda vem dormir comigo. seu pai foi expulso pro quarto de hóspedes, coitado. esperamos que essa fase não dure muito, mas francamente aceitamos qualquer arranjo que nos deixe finalmente dormir depois de 2 anos insones…

uma coisa que nos chama bastante a atenção é como você desenvolveu bastante nesse último mês a percepção sobre o funcionamento das coisas. aprendeu a abrir e fechar torneira, a embalagem de pomada (e agora alcança o interruptor, SOCORRO). entende o funcionamento das torneiras de água quente e fria (e identifica pelas letras…), diferencia esquerda e direita, entre muitas outras coisas. dia desses você pegou o garfo e falou “mindinho, seu vizinho, pai de todos, fura-bolo… (pausa) ele não tem mata-piolho!” 🙂

essa semana você teve estomatite pela primeira vez, algumas aftas apareceram na boca e você reclamou que “a língua incomoda, mamãe!”. seu pediatra avisou que podia ser vírus, e hoje você empipocou… mas fora isso, sua saúde é de ferro! fora o nariz meio travado quando muda o tempo (herança dos seus pais alérgicos), tudo muito bem.

uma coisa linda que aconteceu esse mês é que você começou a pedir pra que eu conte histórias sobre as pessoas. começou pedindo “conta a história do tio weno e da tia mawá po otto dumí?” e eu contei, claro. conto do meu jeito, com foco nas coisas que você conhece e talvez lembre…

“era uma vez o tio weno e a tia mawá que viraram palhaços! eles chamam frederico e cremilda, e quando se conheceram se adoraram tanto tanto que começaram a namorar…”

e você faz perguntas, e repete partes da história, é uma graça. até que essa semana você pediu “mamãe, conta a história do papai, da mamãe e do otto?” e seu pai (e eu também, ok) ficou todo emocionado.

agora a mamãe conta a nossa história toda noite no escuro antes de dormir, pra que um dia você se pergunte de onde vêm essas lembranças de antes de nascer, e de tão pequeno… e vou te contar, já bem maior, que grande parte das nossas lembranças de infância são memórias re-construídas, por mamães tagarelas e inventivas como eu.

nossos dias têm sido deliciosos, cheios de conversas e surpresas, pequenas coisas boas acontecendo todos os dias. e muito cansativos também, não vou mentir. trabalhar o dia todo + educar e brincar com você é bastante coisa pra uma mamãe quarentona só.

aqui estão as muitas fotos que tenho de você com 2 anos e 3 meses. cada dia mais lindo, e ainda loirão! achamos que você vai ter o cabelo do seu tio kito, que é castanho claro e fica loiro quando cresce.

um beijo cheio de amor da sua “mamãe zel” (e do “papai fer” também :)).

dialética aos 2 anos

pra quem não sabe, entre 18 e 30 meses a maior parte dos bebês passa por um período de mudança significativo de comportamento, apelidado pelos americanos de terrible twos (referência aos 2 anos de idade). achei um artigo interessante sobre essa fase aqui.

a principal característica dessa fase é a demonstração de independência, exercício da vontade através do “não” e reforço do “eu”. e isso deve ser considerado positivo pelos pais — significa que o bebê está de fato se desenvolvendo neurologicamente conforme o esperado, pois é justamente nesta fase que o bebê entende que é um ser separado dos pais (mais especialmente da mãe), que tem suas próprias vontades, pensamentos, desejos e que pode exercitá-los. já vi quem chamasse essa fase de “adolescência do bebê” e faz todo o sentido, já que a adolescência é mesmo marcada pelo desejo do jovem de destacar-se da sua família, e criar seu próprio mundo e espaço independentes.

o otto já apresenta sinais de independência há muitos meses, mas nada muito marcante, são pequenas coisas que percebemos no dia a dia: dizer não para coisas que ele normalmente gosta ou resistir a trocar a fralda na hora que precisa trocar. com um pouco de jeito e alguma técnica é possível contornar sem stress.

mas ontem ele chegou a um novo nível: além de dizer “não” pra absolutamente tudo que era pedido ou oferecido, na hora do jantar ele olha o prato de salada (que adora) e diz “não qué querê!” 🙂 e comeu tudo, como sempre, mas no seu tempo, do seu jeito.

temos dormido juntos na minha cama, antes de colocá-lo no seu berço (ele demora pra dormir, acho mais prático fazer assim que ficar plantada do lado do berço dele). deitado na cama, no escuro, ele vira pra mim e diz: “tá do contra!” (repetindo algo que falaram pra ele durante o dia, com certeza). eu ri, e falei que não tem problema, que pode ser “do contra” também.

normalmente ele dorme abraçado comigo, ou segurando no meu braço. mas ontem quando o abracei, como faço toda noite, ele disse “não abaça, dumí shójinho!”. me segurei pra não rir, falei “claro, pode dormir sozinho, a mamãe tá aqui se você precisar”. dei um beijo de boa noite e deixei ele quieto. em alguns minutos ele pediu a hilda (coruja de pano) e o hugo (monstro de pano), que fazem companhia pra ele no berço. peguei os dois, e ele realmente não veio me abraçar — ficou tentando conversar comigo (depois de dar boa noite eu não converso mais com ele, só fico ali junto) e depois de insistir na conversa e ver que não ia funcionar, ele virou e dormiu sozinho com seus bichinhos!

achei uma graça (e muito significativo) que logo depois de começar na escola ele também tenha começado a manifestar seu poder de decisão, sua individualidade, a ponto de querer dormir (a parte mais complicada de toda sua rotina, desde que nasceu) so-zi-nho. e que tenha iniciado o ritual de separação da mãe, através da transferência do apego para os  bichinhos (achamos que ele ia pular essa fase, mas pelo jeito ainda está por vir).

minha forma de lidar com essa necessidade de independência é oferecendo opções quando possível (leia o último link que coloquei nesse texto), pra que ele possa de fato exercer sua vontade. deixo que ele diga não, e não forço quando não é preciso. adio um pouco a troca da fralda, deixo que ele escolha no prato o que quer comer, misturo fruta com salada com sopa, pra que ele decida o que quer primeiro, deixo que ele tenha pelo menos a sensação de que está no controle de algumas coisas. na grande maioria das vezes funciona — ele fica muito feliz de poder fazer as coisas do seu jeito, fica confiante e normalmente não confronta de novo.

ele tem testado um pouco mais os limites físicos também, e tenta fazer coisas “perigosas” (o que têm potencial de causar acidentes). quando o risco do acidente é baixo, tenho procurado deixar acontecer, sob supervisão (cair, por exemplo), pra que ele entenda causa-consequência.

mas não sou do tipo que negocia tudo o tempo inteiro: tem hora que não dá pra ceder, nem conversar, nem negociar. certas coisas são NÃO mesmo, com letras maiúsculas, e aí simplesmente exerço autoridade e pronto. às vezes é preciso trocar fraldas à força (porque não posso discutir naquele momento, e temos que sair, por exemplo), tirar coisas perigosas da mão dele ou desgrudá-lo do armário que ele resolveu se pendurar (e pode cair em cima dele). sempre converso e explico os motivos, mas quando precisa ser rápido, é inconveniente ou arriscado, não dou opção.

aliás, se tem coisa que detesto é observar essas mães bovinas, que falam com voz mole e com a bunda imóvel na cadeira, enquanto vêem os filhos fazendo merda. “fulaninhooô, coloca o sapaaaaato que a gente precisa ir pra casa. vou contar até 2 milhões, hein?!”. quero morrer. tem que colocar o sapato e sair e a criança tá enrolando? levanta essa bunda e coloca à força, pronto. depois, em casa, conversa e explica.

por enquanto estamos conseguindo lidar bem com a fase “do contra”. cedendo às vezes, confrontando outras. até pra que ele saiba que sim, pode e deve exercitar suas vontades, mas não sempre. que às vezes ele precisa sim se adequar às pessoas ao redor, mesmo que fique chateado.

como não tenho medo de cara feia e nem ligo pra chororô, quando ele fica bravo ou chora eu consolo, pego no colo e explico: eu sei que é difícil ser contrariado, não fazer o que a gente quer. pode chorar, a mamãe te entende.

mas não é e continua sendo não.

diário do otto: 1 ano e 10 meses

otto,

esse mês foi, de longe, o mais interessante e legal desde a sua chegada. você começou a falar há apenas 6 semanas, e é simplesmente inacreditável o que aconteceu entre a primeira palavrinha (“pé”) e a situação atual. já não é mais possível contar quantas palavras você fala, seja por repetição (o que é engraçadíssimo, você ouve uma palavra nova e repete-repete-repete) ou por elaboração da sua cabecinha mesmo.

é curioso como você ainda não fala frases completas, só combinações de 2 ou no máximo 3 palavras, mas consegue flexionar verbos da forma correta (apaga; apagou; apaguei; fugi, fugiu, fugindo!) e aprendeu a contar (2 e 3 coisas) sem que a gente percebesse desde o mês passado. você sabe repetir os números até 15, na ordem certinha e pronúncia super fofa, mas é só uma lista de números relacionados a quantidades; a contagem de 1, 2 e 3 você já SABE o que significa. é verdade que aqui em casa gostamos de números, e de contar, e talvez sem perceber tenhamos ensinado você, mas juro que não foi proposital. depois dessa 1a vez da “contagem”, achamos tão fofo que começamos a brincar de contar até 10, até 15 e você se diverte bastante, então vamos continuar 🙂

você também gosta de a-e-i-o-u (adora repetir em voz alta, e vira e mexe anda pela casa repetindo), e tem se divertido especialmente desenhando no papel ou na lousa/adesivo que colocamos no seu quarto. você reconhece o “desenho” do seu nome e pede pra gente desenhar O-T-T-O. o mais bonitinho é que você gosta da bolinha, e fica tentando desenhar bolas imitando os Os! desenhar é uma das coisas que você mais gosta de fazer, além de ler livrinhos, bagunçar as coisas jogando tudo pelo chão (“baguncha!”, você mostra com as mãos abertas, num tom indignado. imitando QUEM, eu pergunto?), varrer a casa com a “ashôra”, limpar com “apá”, regar as plantas (“plantiiiiinha”), e a maior alegria de todas, que é “pasheá! úa! paquinho!”. a coitada da sua babá passa boa parte do dia com você no mato, na areia e fazendo bagunça pelos parquinhos do condomínio. e nos fins de semana, o papai leva você passear de bicicleta, e você também adora.

esse mês foi muito difícil, pois você passou 2 semanas dormindo MUITO mal. foi quase tão difícil quanto o comecinho da sua vida, quando passávamos a noite em claro. você acordou várias vezes nestes dias chorando e chamando “mamãeeeeee” e a gente simplesmente não consegue deixar você chorando. levamos você pra nossa cama, e fico lá juntinho até você dormir de novo. só que nestes dias, cada vez que você acordava, chorava e não sossegava enquanto eu não pegava você. na cama, estava muito difícil também: você chutava, rolava, reclamava, a mamãe estava querendo ligar pro disque-saruê de novo 🙂 mas finalmente melhorou, há 2 dias, e espero que estabilize por um tempo. durante o dia você agora só dorme depois do almoço, cerca de 1h e meia.

você teve um pouquinho de febre alguns dias, e a pediatra que examinou você disse que seu ouvido estava um pouco infeccionado. esperamos passar, e pelo jeito passou e melhorou sozinho. ufa! fora isso, tudo nota 10 com sua saúde.

a alimentação continua ótima, ainda não encontramos nada que você se recuse a comer. esse mês você esteve especialmente apaixonado por vagem (tipo salada), e comeu loucamente. além dos amados “piábo” e “bocóli”, que você continua comendo muito. sempre que está em casa, damos sua comida separada (é a mesma que a nossa, só que sem sal), mas quando estamos na rua ou não temos sua comida pronta, você come a nossa comida normalmente, não recusa nada nem dá trabalho. você ainda não come doces, bolachas, sobremesa e nem nada industrializado de forma geral. mas quando a gente come algo desse tipo que não seja muito trash, damos pra você experimentar (chocolate, bolacha, salsicha, por exemplo). refrigerante e bolachas recheadas nós nunca demos e nem daremos, porque achamos que é trash demais. aliás, você não liga pra suco (só toma água) e realmente não se interessa por doces em geral (só bolo-de-bolo, daqueles caseiros, que você adora. cobertura e recheio você normalmente não gosta). o leite você toma 3x por dia (quando acorda, à tarde e a mamadeira do meio da noite ainda permanece).

falando em doces e comidas, você escova os dentinhos 2x por dia, uma graça! aliás, desde que nasceram seus primeiros 2 dentinhos a gente escova seus dentes, e você se diverte bastante. escovamos sempre depois do almoço e antes de dormir. adaptamos a musiquinha do “lava, lava, lava / uma orelha outra orelha” do palavra cantada pros dentinhos: “escova, escova, escova / um dente outro dente” e você AMA. aliás, você pega a escova e já começa a cantar (e agora a dançar também :D), pedindo pro papai cantar E dançar DE PÉ (sentado não serve). coisa mais fofa!

neste mês que passou visitamos o rio de janeiro com você pela primeira vez, e foi bem legal. você conheceu os melhores amigos da mamãe e do papai por lá, a claudia letti + família e dani/felipe e meninas (além da verônica, amiga da mamãe de longa data). você gostou de todo mundo e foi um príncipe, mas sua paixão foi a marina. até hoje você fala da “mariiiina”, e lembra da “claudjia” e do “obérto”. passeamos, comemos fora, visitamos pessoas, tudo muito tranquilo apesar de cansativo, claro.

você tem agora interagido muito com todos ao redor, reconhece todo mundo da família e os amigos mais próximos (vê as fotos e fala os nomes, muito fofo) e está mais sociável que nunca. temos muito orgulho de você, meu menino, especialmente porque você tem se mostrado cada dia mais esperto, sem-vergonha e muito muito feliz. a mamãe e o papai apertam MUITO você o tempo todo, e ficar com você tem sido uma delícia.

um beijo cheio de amor da MAMI.

PS: veja aqui as fotos de você com 1 ano e 10 meses.

diário do otto: 1 ano e 9 meses

otto,

você completou 21 meses no meio da sua primeira mudança de casa. e tratando-se dos pais que você tem, prepare-se para muitas mudanças ainda na vida 🙂 desde que o papai e a mamãe foram morar juntos (há 9 anos) já trocamos de casa 3 vezes (sem contar nossa 1a casa), ou seja, estamos na 4a casa.

essa casa nova é bem mais legal do a outra, apesar de não ter um jardim. teremos que improvisar com as plantinhas da mamãe e algumas árvores que encomendei pra você. teremos jabuticaba, pitanga, amora e cereja, espero que algumas delas produzindo ainda este ano. mas em frente à nossa casa tem uma enorme área verde com lago, patinhos e árvores de monte pra você brincar.

este mês você continuou ensaiando palavras novas o tempo todo, parece um papagaio! já arrisca os nomes dos bichinhos que você adora no livro de histórias: coruja e caramujo ainda são UUÚ; gá-tô; au-au; am-bá (saruê); o morcego é IR, graças ao seu morcego moacir de pelúcia; rato-pato (que é um personagem da história) é ATO-PÁ; pa-tô; co-có; ovelhinha é BÉ-É-É; e o único animal que você fala PERFEITO é a águia. não temos a menor idéia de porque você gosta de falar e repetir águia, mas todos os dias quando pegamos o livro você começa a repetir “águia, águia” até que a gente achar, e mostrar.

e, não tem como esquecer, você FINALMENTE começou a falar mamãe, mãe e MAMI (o mais fofo) <3

os nomes das pessoas agora começaram a aparecer também (além de aía, que é a maria, sua babá e pau que é a tia paula) — artá (marta, que ajuda com a limpeza da casa), vovó véa, vovó lu, tia, pé-go (prego, o jardineiro que você ama) e kito (seu tio). os verbos aparecem aqui e ali, mas sempre e principalmente qué (quer), ábi (abre), papá (comer ou comida), naná (dormir), mamá (mamar). e tem chulé, janjão (o camaleão de brincar no banho), ága (água), aqui (sempre apontando, pra dizer exatamente ONDE), úa (rua) e uá (lua), EU (que muitas vezes significa outra pessoa :D), ábo (rabo, seja de bicho seja de cabelo).

você começou também a chamar a si mesmo de otto, apontando pra barriguinha, é a coisa mais linda! “quem tá fazendo bagunça?” “OTTO!”, você aponta.

mas o mais impressionante destes dias foi você aprendendo a contar e falar os números. você gosta de mostrar os dedinhos quando conta (uuum — 1 dedinho; dôsh — 2 dedinhos com o maior esforço). o tês e cáto você só fala, não faz dedinhos. mas conta “uuum, dôsh IIIII XÁ!” (1, 2 e já) e morre de rir. só que no meio das brincadeiras, esses dias, você viu 2 gatinhos no livro e disse: “ga-tô. uuum, dôsh!” e mostrou 2 dedinhos! e logo depois mostrou a mãozinha (“uuum”), a outra mão (“ooô” — outra) e mostrou 2 dedinhos (“dôsh!”). juro que não estamos tentando ensinar você a contar assim tão cedo, mas aparentemente você já entendeu como funciona e achou legal 🙂

sua rotina de dormir está a mesma, e ÓTIMA. sempre tem um dia ou outro que você chora à noite, acorda porque tem picada de mosquito ou nariz um pouco entupido (maldição dos seus pais com nariz estragado), mas no geral tá muito bem. tenho feito você dormir na minha cama à noite e só depois coloco você no berço, pois você demora um pouco para pegar no sono e estava muito cansativo ficar sentada do lado do berço, toda esticada. você gosta de dormir abraçado no nosso braço, e não queria privar você desse aconchego, especialmente porque passo o dia todo fora, né? a mamãe tem gostado bastante de ficar abraçadinha com você até que você durma!

bem, você continua comendo de tudo e cada vez mais independente, querendo fazer tudo sozinho. a novidade atual é que você não quer mais cottage, prefere os queijos amarelos e está apaixonado por castanhas! (noz, amêndoa, castanha do pará, de caju e macadâmia) aliás, qualquer castanha você come direitinho e adora. descobrimos seu gosto por elas porque mantemos um pote de castanhas no armário e você para na frente dele, pedindo e apontando, e enfim, adora.

na casa nova tem um espaço na sala só pra você, que ficou lindo e cheio de brinquedos e suas tranqueiras. você amou a casa nova, ainda não sei se é por ter mais espaço, espaço só pra você ou porque também gosta de mudanças, como seus pais.

você continua lindo (e cabeludo, já que não conseguimos ainda cortar seu cabelo), brincalhão, geralmente muito feliz e bem humorado e cheio de personalidade, o que nos dá um trabalho e canseira enormes 😀 mas não reclamamos. a convivência com você melhora a cada dia, e a diversão também. temos muito orgulho do menino bonito e feliz que você é e amamos você mais que tudo no mundo.

um beijo carinhoso da sua MAMI 🙂

PS1: esqueci, tem mais um bicho — você também reconhece o dodô no seu macacão, aponta e fala DODÔ 🙂

PS2: muitas fotos deste mês 🙂