o pirata Ottius Maldosus

(contada pelo Fernando)

Estava o Príncipe em seu castelo quando de repente… Uma invasão! O temido pirata Ottius Maldosus (ele se apresentou) havia invadido o castelo.

O príncipe tentou se defender, mas suas habilidades com a espada não foram páreo para o pirata sanguinolento, que fugiu com o Ovo Encantado do Príncipe.

Depois de uma longa perseguição por campos infinitos o pirata se refugiou em sua rede, vangloriando-se da conquista do Ovo Encantado com seu animal de estimação, o Taturata, enquanto zombava do Príncipe derrotado.

E fim.

o sapo se mudou

[22-junho-2015]

 

Quase explodi de fofura com o Otto cantando “as flores já não crescem mais / até o alecrim murchou …” COM COREOGRAFIA <3

 

(E descobri que agora a música tem a versão feliz, com a água voltando e tal. Deve ser orientação do PSDB nas escolas, pra continuar todo mundo na ignorança :D)

a experiência antropológica mais completa

A Maria, nossa mais que querida funcionária que é mãe-avó-amiga-babá-etc. agora está com um problema pra sair com o Otto e passear no condomínio: ele só quer andar pelado. No meio do passeio ele decreta “tou com calor, vou tirar a roupa!”

Com muito custo ela convence o menino a pelo menos vestir uma cuequinha (ele cedeu sob protestos, parece), e ele anda de cueca pelo condomínio.

Pra além da graça toda da situação, e o fato dela agora chamar o menino de “curumim” , fiquei pensando no quanto a nudez é tabu. Ele e nós andamos sem roupa na casa com frequência. Eu inclusive ando sem roupa até quando temos visitas (evito quando tem homens, por pura convenção social), não tenho vergonha nenhuma.

Quando adultos, respeitamos as convenções sociais sem nem prestar atenção. Quando criamos uma criança, nós confrontamos com algumas regras que, pensando bem, não fazem sentido algum.

Pra que usar tanta roupa no verão? Por que não podemos andar pelados quando a roupa não serve para proteger? Por que tanto incômodo sobre o que vão pensar sobre nossos corpos?

**

E percebo, encantada, que minha maior expectativa em relação a ser mãe se cumpriu: é a melhor experiência antropológica que pode haver.

mézimor péssicor

ou, em inglês padrão, morris lessmore, protagonista de umas das apps preferidas do otto e também de uma das histórias que ele mais gosta de ler com a gente antes de dormir.

pra quem não conhece, tenho o prazer de apresentar the fantastic flying book of morris lessmore, ou numa linda tradução do livro para o português, os fantásticos livros voadores de modesto máximo. você pode escolher a mídia, é tudo lindo: o curta, ganhador de oscar em 2012, entre outros prêmios; a aplicação para ipad, que é apaixonante e interativa (além de contar com uma impecável narração); o livro, que usa o mesmo texto da aplicação e é muito bonito também.

não me lembro de onde veio a app, quem indicou (não conhecia o curta e nem o livro), mas nos apaixonamos imediatamente. o otto demorou um pouco para curtir de verdade, mas depois ficou fã e volta com frequência para a história, e interage muito bem. é muito lindo quando contamos a história usando o livro, pois ele complementa com as informações que estão na app (que é mais completa), e lembra inclusive das músicas!

resumindo, essa é a história de morris, apaixonado por palavras, livros e histórias. um dia, um furacão levou tudo o que ele tinha, inclusive as histórias do seu livro pessoal, e ele, sem destino, saiu andando pelo mundo. encontrou então uma linda moça que voava, arrastada por um esquadrão de livros voadores! ela pediu que um dos livros o acompanhasse, e este livro o levou à biblioteca dos livros voadores, onde sua história com os livros começou. e mais não conto, pra não estragar a história 🙂

recomendo muito o curta, a app e o livro para todos, mas em especial para as crianças. essa história de amor aos livros é linda, e muito emocionante.

uma câmera para o otto

ele tem só 2 anos e 4 meses, eu sei, mas é que ele realmente AMA câmeras e fotos. e não era pra menos: o pai dele e eu tiramos fotos o tempo todo com nossos iphones, temos outras câmeras em casa, e as duas pessoas que ele mais ama depois de nós dois, o weno e a mawá, são ainda mais viciados em câmeras e tiram fotos o tempo todo.

na última visita dos dois, o otto apaixonou por uma holga (acho que era…) 100% analógica, e acabou com o filme dela em minutos. e nossos iphones são usados e abusados, ele imita direitinho o jeito que a gente faz pra fotografar (“compõe” a cena, pede pra fazer pose, arruma as coisas antes de fotografar, aponta e clica). é uma graça, e nos divertimos muito!

aí que eu decidi arranjar uma câmera pra ele brincar, só dele, porque as nossas estão novas ainda, não dá pra dar na mão do menino. e aí entram vocês, amigos: peço sua ajuda para encontrar a câmera ideal para o otto brincar-de-verdade.

a câmera que estou procurando (pra comprar, claro), precisa ser:

– usada

– leve

– pequena

– digital

– com display, pra ele ver o que está fotografando

– BARATA né 😀

quem tiver uma câmera assim que já não usa mais, que é “lixo eletrônico”, por favor me avisa e coloca preço, que eu compro e pago o envio. prometo também publicar as fotos mais legais que o otto tirar, ok?

se puderem divulgar, eu agradeço.