das coisas que eu não sabia

olha, nunca imaginei o tamanho da minha ignorância a respeito da maternidade e de bebês. é tanta coisa que eu não sabia que já nem sei se vou lembrar. resolvi compartilhar com vocês as coisas que eu não sabia pra ver se ajudo as marinheiras de 1a viagem 🙂

– o medo, a paúra, o pavor. não é porque o otto foi pra UTI não, gente, é a mera existência dele que dá medo de tudo: de morrer, adoecer, ter algum problema. dá medo de não saber cuidar, de fazer alguma coisa errada. agora eu não sinto mais o medo, mas ele durou pelo menos 1 mês e não foi divertido. acho que a gente se acostuma e simplesmente “isola” o sentimento (porque os motivos pra ter medo obviamente permanecem)

– o cocô. gente, vocês vão viver em função do cocô da criatura e vão agradecer cada vez que ele fizer cocô. o primeiro cocô (mecônio) que é uma coisa bizarra (preto e pastoso) eu não limpei, porque ele estava na UTI. eu já peguei o cocô que parece ovo mexido que deu errado. é líquido, amarelo e cheio de pedaços de leite coagulado. nojento 😀 e tem cheiro, sim senhores.

– ainda sobre o cocô: ele vem em jatos. e quando está ali na direção certa, na hora de trocar, adivinha? leva banho de cocô. eu levei, algumas vezes, de cocô e de xixi. na madrugada. quando a gente levanta a perninha da criança pra trocar a fralda, pressiona a bexiga e a barriga e aí… surpresa! 😀

– o choro deles é poderoso, e dá agonia. e vai mudando com os meses. nos primeiros meses é um chorinho que parece de gatinho, depois vai lembrando grito mesmo. e quando eles choram, você quer mover um planeta pra fazer eles pararem, é instintivo.

– amamentar é cansativo. deve ter mulher por aí que acha prazeroso e tal, mas eu acho cansativo. dá dor nas costas, um calor animal e é uma responsabilidade enorme. pense que a criaturinha depende exclusivamente de você e sua capacidade de produzir leite pra se alimentar. o que compensa é saber o bem que o leite materno faz pro bebê e a carinha de feliz deles quando acabam de mamar 🙂

– a quantidade de fraldas que você vai trocar é insana. o otto faz cocô a cada 4h mais ou menos, e só à noite trocamos menos, mas faça a conta. e morro de culpa de jogar no lixo essas fraldas não biodegradáveis, morro.

– bebês não precisam de água se mamam no peito. pensando bem, parece meio óbvio, porque o leite tem muita água, mas fiquei espantada. algumas pessoas dizem pra dar água (e mesmo nosso pediatra falou pra oferecer água nos dias de muito calor), mas a verdade é que o otto nunca precisou mesmo de água até agora (faz 5 meses semana que vem)

– até o final do 3o mês os peitos ficam inchados, às vezes bem doloridos. a produção de leite estabiliza no 3o mês, o peito murcha um pouco mas continua produzindo o suficiente para o bebê. não acredite nessa história de que seu leite não é ou não vai ser suficiente. basta que o bebê continue mamando regularmente e você beba bastante água e seu leite não acaba e não é pouco. se têm dúvidas, vejam fotos do otto gorducho 😀

– por mais que a gente ame as criaturas, tem horas que dá vontade de jogar fora. juro, é uma coisa incontrolável, vontade de se livrar do incômodo e simplesmente DORMIR. mas passa, a natureza é sábia e faz a gente se apaixonar por essas coisas lindas e pentelhas.

– as unhas deles crescem assustadoramente, e PRECISA cortar, ou eles se unham todos, um horror. eu tinha medo de cortar nos primeiros meses, agora eu corto sem problema. gosto mais do cortador que da tesoura. e se você beliscar os dedinhos do bebê, não se sinta péssima, porque acontece com todo mundo, viu? todo mundo me conta que teve esse “probleminha”…

– eles são muito muito molinhos quando nascem, ai credo. dá aflição de segurar no primeiro mês (isso porque o otto sempre foi bem durinho, no 2o mês já firmava bem a cabeça), e eu que nunca tinha segurado um recém-nascido fiquei apavorada. mas sendo seu, você vai se virar e segurar, não se preocupe

– depois de poucos meses eles ficam insuportavelmente mexilhões e vão dar um puta trabalho pra trocar: bracinhos e perninhas remexendo loucamente o tempo todo. você precisa ser SHIVA pra trocar a criança.

– bebês são uma fábrica de meleca. mesmo quando não estão resfriados ou coisa parecida (o otto só ficou um pouco congestionado uma vez até agora), sempre tem meleca, incrível!

– a partir do segundo mês, eles gritam. não é mais choro, é grito mesmo. e gritam feito maritacas de brincadeira, experimentando a voz, é super engraçado (e assusta também às vezes!)

– eles peidam e arrotam muito, meu deus! verdade que se pensar bem, a gente também, né? 😀 é que por algum motivo sempre pensei em bebês como versões fofas e limpinhas de adultos, e isso não é verdade, nem de longe 🙂 prepare-se pra muito arroto, pum, cocô, baba, catarro e xixi. o maravilhoso mundo dos fluidos e excreções humanas 😀

acho que era isso… se lembrar de mais alguma coisa eu atualizo o post. a verdade é que estou me divertindo com essa minha nova função de mãe, mas agradeço todo dia à minha maravilhosa babá maria que me ajuda a aprender tanta novidade e alivia meu cansaço… cuidar de bebês é trabalho de período integral!

diário do otto: 4 meses

otto,

é verdade quando dizem que o amor pelo nosso filho só aumenta. é incrível como amamos você mais e mais, quanto mais o conhecemos! você só está nesse mundo há 4 meses e parece que conheço você a vida toda: suas gracinhas, suas manias, as caras que você faz.

este foi um mês de grandes mudanças. fizemos com você uma viagem longa pela primeira vez, para marília. a família do papai é toda de lá, e estavam loucos pra conhecer você. ficamos na casa da sua avó, e você conheceu seus tios e tias avós, suas bisavós e alguns primos. todos adoraram você, claro, e você foi charmosíssimo como sempre. riu pra todo mundo, não estranhou ninguém. parece que bebês não estranham mesmo nessa idade, vamos ver se você vai continuar assim simpático mais pra frente 🙂

esse foi seu primeiro natal e ano novo. tiramos muitas fotos, e você brincou bastante. aliás, uma das grandes mudanças é que você está se distraindo sozinho. no seu quarto mês, você começou a pegar os brinquedos, a prestar atenção ao seu redor com mais clareza, a chorar menos e “falar” mais. você está falando loucamente agora, é muito engraçado!

você começou a “falar” com o AÚ (feito cachorro) e agora tem todo um repertório novo e hilário. descobrimos que essa vocalização não é fala, são exercícios vocais de exploração, uma brincadeira de descoberta. morremos de rir com seus barulhos novos, e você vai dos registros mais agudos (parece uma harpia) até os mais graves (parece o godzila), nos divertindo um monte.

você também consegue agora pegar objetos com mais firmeza, embora sem muito controle. e leva absolutamente tudo à boa, um perigo. você aprendeu a tirar a própria chupeta, mas ainda não aprendeu a colocá-la de volta, dando um certo trabalho pra nós 🙂

e o mais legal: você aprendeu a se virar de lado e de bruços (uma vez só por enquanto, mas foi sozinho!). sua cabeça está tão firme que está fácil de deixá-lo sentado (com suporte, porque você “tomba”) e levantar você segurando as mãozinhas.

você agora não somente ri pra gente, mas gargalha. ainda não descobrimos nada que faça você gargalhar sempre, mas estamos aprendendo. sua carinha de bom humor de manhã é a coisa mais fofa do mundo. temos a impressão que você reconhece as pessoas agora, e fica mais feliz quando vê os que você conhece melhor.

ainda estamos tendo trabalho pra mamar, nós dois. eu tenho um monte de leite, você é impaciente e comilão… parece que você tem refluxo de vez em quando, e fica chato pra mamar e dormir. aliás, dormir ainda é um problema pra você… não tem uma soneca que seja tranquila, você sempre chora e reclama pra dormir, mesmo quando está caindo de sono. ligado no 220v 🙂

em resumo, você cresceu e está amadurecendo, menino. você tem chorado menos, e aos poucos está estabelecendo sua rotina. ainda não temos horário certinho de comer e dormir, mas você mama só 2 vezes por noite com frequência, facilitando meu sono.

e você teve seu primeiro resfriado ou reação alérgica, não sabemos ainda… você tossiu um monte e teve secreções. um saco pra você e pra nós. mas não havia nada a fazer além de manter você hidratado e lavar seu nariz com soro duas a três vezes ao dia (achei que você ia odiar, mas você não deu muita bola).

no mais, você ganhou um chiqueirinho/berço super legal da sua avó, e agora podemos brincar com você sem ficar no colo o tempo todo, e você pode treinar seus rolamentos 😀

aprendi que esse amor que sentimos por você só cresce, por mais impossível que pareça. quanto mais conhecemos você, mais o amamos. você é um serzinho divertido e muito muito bravo. impaciente e risonho. um doce de criatura!

veja fotos do seu quarto mês, e vamos ao quinto mês, muitas novidades virão.

beijos da mamãe.