devagar e sempre, rumo ao sétimo mês

26 semanas, ou metade do sexto mês. essa contagem é completamente esquisita, vejam: estou DE 5 meses (completos), estou NO sexto mês (2a semana do mês 6). é de enlouquecer uma pessoa. além dos médicos sempre calcularem qual é a semana atual a cada consulta, coisa de louco.

por enquanto, tudo bem. piolho chuta loucamente (me acorda de noite, inclusive. ele não gosta que eu durma recostada do lado direito) e eu me sinto bem. a pressão está baixa (o que não é mau), não ganhei muito peso (1kg até a 25 semana) e estou funcionando quase normal.

complicado mesmo tem sido o equilíbrio – ontem fui pra ioga e me senti uma imbecil. não conseguia fazer as coisas mais simples, porque meu corpo tá todo estranho. até pra andar tá esquisito, me sinto andando feito um pinguim!

a história de mudança do centro de gravidade é um fato. o corpo todo precisa se adaptar à nova distribuição de massa, minha coluna está estranhando muito.

já estamos procurando coisas para o quarto dele, e estou horrorizada com a tirania do branco. por que diabos tudo no quarto do bebê precisa ser branco? parece uma enfermaria, hospital, credo. confesso que tenho problema (preconceito, vá) com móveis laqueados de branco. sou filha de marceneiro, e desde que me conheço por gente esses móveis laqueados são considerados cafonas e de mau gosto. eu gosto mesmo é de madeira, de rádica.

mas não tem, simplesmente, “porque as pessoas não compram se não for branco”, me informam as vendedoras. e quanto tem (raridade) custa os olhos da cara (sem noção, tipo um berço 11 mil reais). tou decepcionada, vou ter que me render ao branco e improvisar pra quebrar um pouco.

por outro lado, já decidimos que a “decoração” (MUITAS aspas) que queremos é basicamente um tapete verde desses de fitinhas que parecem grama, pra montar um jardim com joaninhas e formigas de pelúcia (sim, elas existem). o quarto do moleque vai ser um zoo, porque eu já tenho dezenas de bichos de pelúcia e vou usar todos. tem leão, sapo, lagosta (!), porco, furão, cachorro, pinguim, gorila, galinha (se é que sobreviveu aos furões, vou ter que conferir), joaninhas de vários tamanhos, bicho preguiça, coelho, calango, gato. e deve ter mais coisas que eu esqueci.

é isso: se depender de nós, o menino vai amar bichos desde o nascimento, inclusive os insetos 🙂

6 thoughts on “devagar e sempre, rumo ao sétimo mês

  1. Zel,esta dos bichos é ótima ideia,acostume-o desde cedo a conhecer e respeitar os animais.No nosso caso,já que meu marido é ceramista,sempre existiu pela casa(e no quarto do bebê inclusive)uma profusão de tudo que é bicho(e monstros inclusive)de cerâmica.Desde lagartixas no teto até pequenos dragões no prato da criança.Pode soar meio louco mas nossa filha sente um amor imenso pelos animais.Claro que também sempre fomos cuidadosos ao lidar com aranhas,etc,por sorte o pai dela conhece bastante,e assim ela aprendeu também,já que morávamos num sítio com caranguejeiras,cobras verdes,etc.Neste aspecto era um belo observatório,cada um em seu espaço,cada “bicho” vivendo a sua vida.Beijo!

  2. Zel, a menina que trabalha aqui do meu lado conseguiu um berço de madeira – madeira mesmo – em uma dessas lojas de móveis usados, sabe? Pagou baratinho, só precisou dar um “trato”. É uma garimpagem, dá um trampo, mas dá para encontrar alguma coisa bacana. Antes de comprar um branco, coloca a rede de leitores aqui para ficar de olho p/ vc. De repente alguém encontra uma opção bacana e te avisa.

    bjs!

  3. Acho uó a tirania do branco! Vi um quarto outro dia (não estou achando link) que tinha uns bichos em recortes de vinil preto, umas coisas cinzas, uma coisa levemente (beeeem levemente) Tim Burton. E as pessoas nos comentários do blog dizendo que era “macabro” pra uma criança. Que é isso! Ah, e sei que vc vai achar joaninhas, sim. Tenho várias em casa, sei que existe pra vender. Tem até umas grandonas, que podem servir como pufe.

  4. Zel,

    O berço que comprei há 7 anos é de madeira em tom de marfim, minha filha usou até virar mini cama (com uma gradinha menor), o filho de uma amiga usou e agora o Theo está usando e está novinho (se o Theo não estivesse usando te daria) mas é lindo e paguei R$600,00 na época, era o mais barato que vi. Foi na loja Patinho de Ouro: http://br.kekanto.com/biz/patinho-de-ouro-confecces-infantis

    Não consegui ligar lá prá confirmar, mas comprei todo o enxoval de maternidade lá, tinha body de R$1,00 acredite…essas primeiras roupinhas de recém nascido, vc usa por duas semanas + ou – e depois não cabe mais pq o bebê cresce…

    Outra opção de madeira é no embu das artes, tem que bater perna, mas eles fazem berços lindos e sob encomenda.

    Estou guardando coisas especiais pro seu bebê.

    Bjss

  5. Oi Zel – porque vc nao usa um marceneiro? Assim voce pode dizer exatamente o que e como quer. Tem um muito bom la no Butanta, um senhor que fez varias coisas pra mim (minha cama e escrivaninha, entre outras) e que trabalha com o maior carinho e usa varias tecnicas incluindo marchetaria. Se quiser me diga e eu te passo o contato. Boa sorte e beijos!

  6. Zel, eu me rebelei contra o branco e não quis saber do tal “mogno” pq o quartinho era pequeno e eu não queria móvel escuro. Rodei e olhei montes de catálogos até achar um modelo que queria (linhas retas, simples, com rodinhas) e que poderia ser em marfim. Aliás, desmontamos o berço hoje pra trocar por uma cama pro Alê e opa, quem estiver precisando de berço…topamos vender!

    O quarto do Alê ficou bem fofo, simples, sem aquele monte de pano e de teretetê que eu achava (acho) breguérrimo. Posso mandar fotos caso vc queira ver como ficou.

    Beijo!

Leave a Reply